GVT se posiciona contra possível fatiamento da TIM Brasil

Por meio de comunicado oficial à imprensa, a GVT (Global Village Telecom), unidade brasileira da francesa Vivendi, disse ontem (02/06/14), que a ideia de dividir a rival TIM Participações é "inconcebível" e que se a proposta for levada a diante vai gerar aumento de preços e queda na qualidade de serviços aos consumidores. De acordo com o informe da GVT, o fatiamento da TIM seria uma "má notícia para o consumidor e para a economia do país".

Rumores sobre uma possível consolidação no mercado de telecomunicações brasileiro circulam desde o ano passado, mas o comunicado da GVT foi a primeira manifestação oficial da companhia sobre o tema, que envolve o futuro da TIM, unidade local da Telecom Italia.

"A proposta de fatiar a TIM em três pedaços e vendê-la às três outras grandes operadoras de telefonia móvel estabelecidas no mercado é inconcebível no atual cenário de telecomunicações brasileiro e vai gerar aumento de preços, queda na qualidade de serviço e redução nos investimentos no setor que já está atrasado na comparação com outros países em qualidade e preço ao consumidor", disse a GVT.

Segundo a assessoria de imprensa da empresa, o comunicado foi divulgado para responder a "rumores de mercado e questionamentos da imprensa". A GVT disse que trabalhará para garantir que o regulador não promova um fatiamento da TIM, segunda maior operadora de telefonia celular do país, com aproximadamente 74 milhões de usuários e acima de 75 mil clientes de banda larga fixa.

Fonte: Convergência Digital