Conab: produção de grãos no país deve chegar a 193,6 milhões de toneladas

A produção de grãos no Brasil deve chegar a 193,6 milhões de toneladas na safra 2013/2014, segundo o nono levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado ontem (10/06/14). Esta estimativa representa aumento de 2,6% ou o equivalente a 4,9 milhões de toneladas acima da safra passada (188,7 milhões de toneladas).

Em relação à pesquisa do mês passado, houve incremento de cerca de 2,3 milhões de toneladas, devido à recuperação das lavouras de milho na primeira e segunda safras, feijão na terceira safra e trigo. A cultura desse grão apresentou crescimento 33,4%, atingindo 7,37 milhões de toneladas. O feijão total cresceu 32,3%, com 3,71 milhões de toneladas. O milho total (primeira e segunda safras) teve aumento de 3,6%, devendo ser colhidas 77,9 milhões de toneladas.

Para o ministro da Agricultura, Neri Geller, os produtores no país estão animados. "Estamos confiantes que se consolida os 193 milhões de toneladas com a possibilidade de se aproximar de 195 milhões de toneladas. A grande surpresa consolidada é o milho segunda safra. Eestamos em uma perspectiva bastante forte com o trigo também, que ainda está com o plantio acontecendo", disse.

Segundo a Conab, a área total destinada ao plantio de grãos deve chegar a 56,9 milhões de hectares, com uma alta de 6,2% se comparado à área de 53,6 milhões de hectares da última safra. A soja cresce 8,5%, passando de 27,7 milhões para 30,1 milhões de hectares. Outras culturas que ampliaram a área foram trigo (18,4%), arroz (0,2%), feijão total (11%), algodão (23,3%), mamona (16,9%), girassol (105,8%) e amendoim total (8,1%).

No nono levantamento foram ouvidos representantes de órgãos públicos e privados das principais regiões produtoras de grãos do país, no período de 18 a 24 de maio.

IBGE: safra de grãos será 2,2% maior que em 2013

A safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas crescerá 2,2% este ano, em relação a 2013, totalizando 192,3 milhões de toneladas. Os dados são da quinta estimativa da safra de grãos relativa a maio, divulgada ontem (10/06/14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os números do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola indicam que, em relação à estimativa de abril (188,2 milhões de toneladas), as previsões de maio são 0,7% maiores.

A estimativa da área a ser colhida em 2014, de 56,1 milhões de hectares, cresceu 5,9% em comparação à área colhida em 2013 (53 milhões de hectares) e 0,6% em relação ao mês anterior (55,8 milhões de hectares).

Arroz, milho e soja são os três principais produtos desse grupo que, somados, representaram 91,0% da estimativa de produção e responderam por 85 % da área a ser colhida. Em relação a 2013, houve acréscimos de 1,2% na área do arroz, 8,1% para a soja e queda de 1,5% na área do milho. Quanto à produção, em relação a 2013, houve altas de 4,8% para o arroz e de 5,8% para a soja, com queda de 5,4% para o milho.

Regionalmente, a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas apresenta como destaque o Centro-Oeste, com produção de 80,2 milhões de toneladas, o equivalente a 41,7% do total da produção nacional; seguido do Sul, com 72,4 milhões de toneladas, 37,7% do total nacional; do Sudeste, com 17,2 milhões de toneladas (8,9%); Nordeste, com 17,2 milhões de toneladas (os mesmos 8,9% do total nacional); e do Norte, com 5,3 milhões de toneladas.

Em relação à safra passada, houve alta de 7,1% no Norte, de 44,1% no Nordeste e de 2,1% no Centro-Oeste. o Sul e o Sudeste diminuíram a produção em 0,8% e 12,9%, respectivamente, em relação a 2013. Mato Grosso, maior produtor de grãos, tem participação de 24,1%, seguido pelo Paraná (18,4%) e o Rio Grande do Sul (16,0%) que, somados, representam 58,5% do total.

O IBGE esclarece que, nessa divulgação, devido ao calendário agrícola, os dados dos cultivos de terceira safra de alguns produtos e os das culturas de inverno (trigo, aveia, centeio, cevada e triticale) "ainda são projeções obtidas a partir das informações de anos anteriores".

Fonte: Agência Brasil
Kelly Oliveira e Nielmar de Oliveira — Repórteres
Valéria Aguiar e Graça Adjuto – Edição