El Niño favorece desenvolvimento de grãos nos Estados Unidos

No Hemisfério Norte, o verão começou hoje, dia 21 de junho, quando a região vai receber a maior quantidade de energia do sol. Será o dia mais longo do ano, chamado solstício de verão. No Hemisfério Sul, será o contrário. É o inverno que se instala e o hoje será o dia mais curto do ano, o solstício de inverno, quando recebemos a menor quantidade de energia solar.

Ambas as estações sofrerão a influência do fenômeno El Niño, que trará diferentes conseqüências para as lavouras americanas e brasileiras. O verão 2014 no Meio-Oeste Americano começa com uma condição típica da estação, com elevação da temperatura e ondas de calor, mas mantendo uma boa distribuição de chuvas, garantindo condições de umidade do solo favoráveis ao desenvolvimento das lavouras de milho e soja.

No entanto, para o restante do verão as preocupações estão na falta de chuva e nas ondas de calor, grandes riscos para as lavouras. O El Niño, mesmo que ainda em processo de instalação e não sendo de forte intensidade, contribui para a redução do risco de estiagens mais severas e prolongadas entre julho e agosto. As chuvas serão favorecidas pela atuação das frentes frias que com essa condição se tornam mais intensas e frequentes.

Por outro lado, o fenômeno pode trazer o risco do excesso de chuva na fase final das lavouras, entre agosto e setembro, o que pode comprometer e atrapalhar o processo de colheita, principalmente nas lavouras dos Estados produtores do Norte dos Estados Unidos, que são plantadas mais tarde.

Fonte: Canal Rural
Pryscilla Paiva