Relatório com abrangência mundial analisa tendências do agronegócio café

O Bureau de Inteligência Competitiva do Café, do Centro de Inteligência em Mercados (CIM), da Universidade Federal de Lavras (UFLA), instituição integrante do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café, divulga o Relatório Internacional de Tendências do Café, v. 3 nº 9, do mês de outubro de 2014. O Bureau tem como missão principal criar inteligência competitiva e contribuir para que o Brasil se consolide como protagonista do agronegócio café em nível mundial.

O principal foco de atuação do Bureau é gerar e promover a distribuição de informações estratégicas do agronegócio café, inclusive de indicadores econômicos e sociais que permeiam o setor, a fim de permitir a elaboração de políticas, tomada de decisões e a construção de cenários para os Cafés do Brasil no contexto mundial.

O Relatório Internacional de Tendências do Café, do Bureau, divulgado mensalmente, está sendo elaborado com apoio do Consórcio Pesquisa Café, por meio do projeto "Criação e Difusão de Inteligência Competitiva para a Cafeicultura Brasileira", executado em parceria entre a Ufla, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG) e a Universidade de Brasília (UnB). Esse projeto é financiado pelo Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento — Mapa, e tem como objetivo principal monitorar, analisar e difundir informações e indicadores relevantes para a competitividade da cafeicultura brasileira, bem como propor soluções estratégicas para os desafios enfrentados pelo setor. Para saber como é feito o Relatório, leia aqui a entrevista do prof. Luiz Gonzaga de Castro Junior, da UFLA.

Destaques de análises

Na edição deste mês, o Relatório ressalta que, do ponto de vista da produção, ainda há incertezas quanto ao volume colhido em 2014 e também que há possibilidade de quebra na safra de 2015 em decorrência de danos causados pela seca nas lavouras brasileiras. Com isso, o preço do café continuará sua tendência de alta podendo ocasionar déficit no abastecimento mundial.

Segundo o Relatório do Bureau, nos "Insights", a respeito da seca nas lavouras cafeeiras, há duas possibilidades: considerar como muito improvável outra seca como essa e, por isso, não adotar nenhuma medida mitigadora para o futuro ou considerar que é preciso fazer algo diante da possibilidade de novas situações climáticas de alto risco. A escolha pela segunda opção demandará mais investimento em pesquisa em benefício da cafeicultura nacional. Nesse sentido, as ações do Consórcio Pesquisa Café poderão ser decisivas e de impacto econômico, ambiental e social atuando para incrementar tecnologias de irrigação e manejo da lavoura e ainda variedades resistentes ao calor e à seca.

Sobre as indústrias, o Relatório pondera que elas têm investido em constantes inovações para atender às necessidades dos consumidores. Entre elas, destaca-se o segmento de doses únicas, que oferece a praticidade e qualidade de uma cafeteria sem que o consumidor tenha que sair de casa. No entanto, esse segmento requer investimentos e mudanças na indústria, exigindo que o Brasil avance nesse processo para não se tornar totalmente dependente das importações. Sustentabilidade social e ambiental também são valores cada vez mais presente no meio. O investimento em práticas sustentáveis é uma das grandes tendências atualmente e grandes torrefadoras tentam focar seus negócios em uma produção ecologicamente correta e de menos impacto ambiental.

O Relatório mostra ainda que a demanda pelo café continua em ascensão, mesmo com os problemas na oferta dos cafés do Brasil, país maior produtor e exportador mundial. Reflexo disso é a constante expansão das grandes redes de cafeterias e aparição de novas cafeterias locais por todo o mundo. Com isso, o perfil de público-consumidor foi alterado, passando a incluir não apenas jovens, mas também diversas classes sociais e faixas etárias. Assim, o cenário se encontra favorável ao mercado de cafeterias. Além disso, a busca por novos blends e a curiosidade de experimentar novos produtos torna-se mais comum. Outros temas relevantes da cafeicultura também são analisados nesse Relatório.

Relatório Internacional de Tendências do Café – Pode ser acessado gratuitamente nos sites do Bureau e do Consórcio Pesquisa Café (www.consorciopesquisacafe.com.br) ou enviado por e-mail. Nesse último caso, o interessado deve solicitar cadastro enviando uma mensagem para lgcastro@dae.ufla.br.

Bureau de Inteligência Competitiva do Café – É financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas GeraisFapemig com interveniência da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior – Sectes. São apoiadores a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais – Seapa, o Pólo de Excelência do Café e o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do Café.

Dados da cafeicultura – Para informações sobre dados estatísticos de produção, consumo, exportação e estoque; pesquisas sobre tendências de consumo, análise de mercado, entre outros, acesse o site do Consórcio Pesquisa Café:http://www.consorciopesquisacafe.com.br/

Fonte: Embrapa Café