Aparelho detecta doença frutífera antes de sintomas

No Instituto de Física de São Carlos (ISFC), pesquisa do professor Jarbas Caiado de Castro Neto e a equipe da startup Agricultural Optronics Systems (AgriOS) criou o protótipo de um equipamento que realiza o diagnóstico precoce da huanglongbind (HBL), ou greening, doença que ataca os cultivos de laranjas. O aparelho pode detectar se a laranjeira está infectada antes que apareçam os sintomas visíveis do greening, podendo auxiliar no combate a doença.

O professor do IFSC apresentou o protótipo no "Industrial Physics Forum 2014? (IPF 2014), evento que ocorreu na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), entre 28 de setembro e 3 de outubro de 2014. O instrumento portátil, de baixo custo, pode prevenir a presença de greening, doença de difícil controle causada por bactérias que vivem em moscas que habitam as laranjeiras.

Constituído por um laser, espectrômetro, um processador de análise de resultados e uma bateria — que permite o funcionamento da máquina durante um dia inteiro — o novo equipamento foi testado por Castro e sua equipe em agosto passado, tendo conseguido detectar a citada doença com precisão superior a 95%. O uso da nova técnica poder se estender à detecção de outras doenças na vertente agrícola, bastando, para isso, a integração de alguns outros pequenos dispositivos.

Controle da propagação

O equipamento, que utiliza uma nova técnica óptica, envolveu Castro e sua equipe durante um ano e meio de trabalho ininterrupto em sua startup, a Agricultural Optronics Systems (AgriOS), consegue detectar a presença da doença antes de uma árvore infectada apresentar os sintomas visíveis, evitando que a infecção se propague. O método poderá salvar bilhões de dólares na agricultura, até 2020, caso seu uso seja adotado em breve pelos agricultores. Surgido na Ásia, o greening foi identificado em 2004 no Centro e no Leste do Estado de São Paulo, e já atingiu todas as regiões citrícolas de São Paulo, além de pomares de Minas Gerais e Paraná, de acordo com a Fundação de Defesa da Citricultura (Fundecitrus).

As bactérias Candidatus Liberibacter asiaticus e Candidatus Liberibacter americanus provocam a doença, transmitida pelo inseto psilídeo Diaphorina citri. Ambos também são encontrados na planta ornamental Murraya spp. (falsa-murta). A bactéria é levada no fluxo da seiva para toda a planta. Quando há sintomas na extremidade dos galhos, ela pode ficar alojada em vários pontos, inclusive na parte baixa do tronco e nas raízes, o que torna a poda inútil, pois além de não curar a planta, as novas brotações dão origem a outras infecções.

O equipamento despertou a atenção de diversos especialistas durante o IPF 2014, tendo sido, inclusive, motivo de reportagem na edição de outubro da prestigiada revista norte-americana Physics Today, do American Institute of Physics Scitation, sob o título "IPF 2014: Detecting stealth crop diseases: Physicists help Brazilian orange groves to thrive".

O Brasil é responsável por 80% das exportações mundiais de suco de laranja — a maior fatia de um produto agrícola brasileiro. Para conferir a matéria da "Physics Today" na íntegra, acesse o este link.

O professor Castro Neto integra o Grupo de Óptica do IFSC. A AgriOS é uma empresa voltada à inovação tecnológica em instrumentação agropecuária, realizando a introdução na agroindústria, pecuária e meio ambiente, novas tecnologias ópticas e eletrônicas. A sede da empresa fica em São Carlos (interior de São Paulo).

Mais informações

Pesquisador Jarbas Caiado de Castro Neto
Telefone: (16) 3371-2012 – Ramal 209
E-mail: jarbas@ifsc.usp.br

Fonte: Agência USP de Notícias

Instituto de Física de São Carlos
Assessoria de Comunicação do IFSC
E-mail: comunicifsc@ifsc.usp.br