Tese avalia variedades de cana-de-açúcar que podem gerar mais energia

Uma pesquisa realizada na Universidade Federal do Paraná (UFPR) analisou as variedades genéticas de cana-de-açúcar para avaliar as que melhor podem gerar energia. O trabalho do doutorando Luís Cláudio Inácio da Silveira, técnico da Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroenergético (Ridesa) foi defendido em banca de doutorado ontem (08/12/14). A tese, intitulada "Seleção de famílias de irmãos completos em cana-de-açúcar para produção de biomassa", foi orientada pelo professor Edelclaiton Daros. A cana-de-açúcar é uma das culturas agrícolas mais eficientes na conversão de energia solar em energia química.

A pesquisa é especialmente relevante porque a Ridesa é responsável pela liberação da variedade de cana-de-açúcar RB867515, atualmente a mais cultivada no Brasil e no mundo. Visando contribuir com a nova linha de pesquisa da entidade, o trabalho de Silveira foi avaliar a diversidade genética entre 50 genitores potenciais para obtenção de cana energia, selecionar os melhores cruzamentos (famílias) e os clones promissores, além de definir as estratégias a serem adotadas na avaliação e seleção das famílias.

A UFPR é uma das 10 universidades participantes da Ridesa, trabalhando com pesquisa para obtenção de variedades de cana-de-açúcar. Juntas, as entidades representam 70% do que é cultivado nacionalmente, com variedades RB. Ou seja 70% do etanol e do açúcar consumido no Brasil se deve às universidades, por meio deste trabalho.

Fonte: Universidade Federal do Paraná
Simone Meirelles – Jornalista