IBGE: safra de 2014 deve superar a do ano passado em mais de 3%

A safra de 2014 deve superar a de 2013 em 3,3%, divulgou ontem (10/12/14) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na estimativa de novembro. O instituto espera que sejam colhidas neste ano 194,5 milhões de toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas, montante que supera em 0,5% (1 milhão de toneladas) o que foi previsto para o ano, em outubro.

O IBGE também elevou a expectativa ao divulgar o segundo prognóstico de safra de 2015, que cresceu 3,9% em relação à projeção anterior, chegando a 202,1 milhões de toneladas.

A maior parte da produção brasileira prevista para 2014 está concentrada nas regiões Centro-Oeste e Sul, que responderão por 42,8% e 37,1%, respectivamente. Enquanto o Centro-Oeste deve aumentar a produção em 5,9%, em relação a 2013, o Sul deve ter diminuição de 1,2%. O maior incremento está previsto para a Região Nordeste, de 31,9%, seguido do Norte, com 5,9%. Para o Sudeste, está prevista produção 9,3% menor.

Quase um quarto da produção nacional de grãos de 2014 (24,3%) deve sair de Mato Grosso, seguido do Paraná (18,4%) e do Rio Grande do Sul (15,5%).

A estimativa de safra contabiliza as produções de algodão herbáceo (caroço de algodão), amendoim (em casca), arroz (em casca), feijão (em grão), mamona (em baga), milho (em grão), soja (em grão), aveia (em grão), centeio (em grão), cevada (em grão), girassol (em grão), sorgo (em grão), trigo (em grão) e triticale (em grão).

Produção de soja e arroz deve crescer em 2014, diz IBGE

Entre as três principais safras da produção agrícola brasileira, a soja e o arroz devem ter crescimento de produção em 2014, enquanto o milho deve apresentar queda, divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, na estimativa de novembro. Somados, os três grãos respondem por 91,2% da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas, e por 84,9% da área a ser colhida.

A produção brasileira de soja, em 2014, deve crescer 5,6% em relação ao ano passado, com um aumento de 8,4% da área colhida. A safra de 2014 deve chegar ao patamar recorde de 86,3 milhões de toneladas, com um aumento ocasionado pelo crescimento da área plantada, de 8,5% no estado de Mato Grosso. O Paraná, segundo maior produtor nacional, sofreu com a estiagem e teve a produção diminuída em 7%, com queda de 11,9% no rendimento médio da cultura.

Para 2015, a expetativa para a soja é que a produção nacional chegue a 95,395 milhões de toneladas — expansão de 10,5% sobre o que é previsto para 2014. Esse resultado deve ser obtido com os aumentos de 18,1% na produção total do estado e 3,4% em Mato Grosso.

O arroz já teve sua safra de 2014 colhida. O total chegou a 12,2 milhões de toneladas, superando em 3,3% do que foi colhido em 2013. Segundo o IBGE, a safra do arroz, em 2014, foi favorecida pelas condições climáticas, com elevados níveis de mananciais de irrigação na Região Sul. O Rio Grande do Sul é o maior produtor dessa cultura, com 67,8% da produção nacional.

O instituto espera que, no ano que vem, a produção de arroz cresça 2,9%, apesar de o segundo prognóstico de safra para 2015 apontar queda na área plantada. A participação gaúcha deve aumentar para 68,9%, com um crescimento de 4,6%. O segundo maior produtor, Santa Catarina, também deve elevar a produção em 3,1%. A previsão é que o Rio Grande do Sul aumente a área plantada em 3,4%, enquanto os catarinenses devem reduzi-la em 0,2%.

A produção de milho deve cair 1,9%, impactada pela diminuição da colheita em 10,1% na primeira safra. Com preços mais favoráveis, a soja tem motivado os agricultores a trocarem de cultura na época de plantio da safra de verão. A situação foi agravada por problemas climáticos e, como resultado, 2014 teve quedas de 4,6% na área colhida e de 5,7% no rendimento médio.

A queda na produção de milho da primeira safra chega a 22,2%, no Sudeste, e 36,1% em São Paulo, onde a área plantada caiu 22%. Estado que concentra a maior produção nacional, Minas Gerais teve diminuição de 15,5%.

O milho de segunda safra, plantado na mesma terra depois que uma primeira cultura é colhida, tem uma estimativa de aumento de 4,2% em relação a 2013, chegando a 61,1% da produção nacional. Esse é o terceiro ano seguido que a segunda safra supera a primeira, o que mostra uma consolidação do período como a principal cultura de milho em grão.

Para 2015, o prognóstico é que a produção de milho de primeira safra supere 2014 em 1,6%. Para a segunda safra, ainda não há previsão.

Fonte: Agência Brasil
Vinícius Lisboa – Repórter
Marcos Chagas – Edição