Workshop define ações para o trigo tropical

Os principais atores envolvidos na produção de trigo no Cerrado estiveram reunidos, de 1º a 4 de dezembro de 2014, em Uberaba (MG), no 3º Workshop de Triticultura Tropical. O evento avaliou as ações de pesquisa e transferência desenvolvidas na região ao longo do ano e definiu a agenda de atividades para 2015.

No melhoramento, os pesquisadores apresentaram os resultados obtidos na avaliação de linhagens que estão sendo conduzidas há três anos na Região do Brasil Central. Os genótipos são avaliados quanto à densidade de semeadura, espaçamento, época de semeadura, qualidade, adaptação e tolerância à seca ou calor, uso eficiente da água, resposta à adubação, monitoramento de pragas e doenças.

Como resultados diretos do trabalho do melhoramento podem ser citados os lançamentos previstos para maio de 2015: uma cultivar de trigo de sequeiro e uma cultivar de trigo irrigado. Os novos materiais devem, de forma gradual, substituir as cultivares BR 18 e BRS 254, em uso há mais de 10 anos.

"Foram apresentados cultivares com novo potencial genético, desenvolvidos para atender tanto a demanda dos produtores da região, quanto da indústria. Ainda, durante o workshop, foram apresentados materiais com potencial para lançamento em 2016 e nos anos seguintes, oferecendo mais opção ao triticultor do Cerrado", explica o Chefe-Geral da Embrapa Trigo, Sergio Dotto.

Ele lembra, porém, que o desenvolvimento da cultura na região ainda demanda ajustes no zoneamento agrícola, com melhor detalhamento das épocas de semeadura das cultivares nos diversos microclimas nesta grande área que é o Brasil Central.

Com relação às doenças, foram apresentados os trabalhos da pesquisa para minimizar perdas por brusone, principal desafio a ser superado para a viabilidade do trigo tropical. Uma das experiências reconhecidas pelos participantes é a de "ensaios cooperativos em rede para brusone" que reúne instituições de pesquisa e empresas fabricantes de fungicidas para avaliar a eficiência dos produtos químicos disponíveis no mercado.

Outro trabalho apresentado foi relacionado à "influência da brusone sobre o rendimento de grãos e qualidade do trigo em função de diferentes épocas de plantio", conduzido pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) em Patos de Minas (MG). Ainda, foram relatados trabalhos relacionados à caracterização de linhagens e cultivares de trigo para resposta à brusone.

A estrutura da Embrapa em Uberaba, que deverá abrigar as pesquisas com trigo, está com as construções concluídas na Estação Experimental de Itiguapira (Uberaba/MG), necessitando ainda finalizar a infraestrutura interna e a composição da equipe. No início de 2015, deverá acontecer o edital de licitação para a reforma da área experimental com o objetivo de adequar os campos para a implantação dos experimentos com trigo.

O workshop foi uma realização da Embrapa Trigo com a participação das seguintes instituições e empresas: Embrapas Produtos e Mercado (escritórios de Passo Fundo, Triângulo Mineiro e Brasília), unidades Soja e Cerrados; Universidade de Brasília (UnB), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM), Epamig, Or Sementes, Associação dos Triticultores do Estado de Minas Gerais (Atriemg), Copamil, Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Estado de Minas Gerais (Seapa), Sólida Agronegócios, Cocari, Emater/MG, Moinho Sete Irmãos, Fazenda Maringá, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Agroinveste, Sinditrigo MG, Fazenda Liberdade, Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg).

Fonte: Embrapa Trigo
Joseani M. Antunes – Jornalista
Telefone: (54) 3316-5860
E-mail: trigo.imprensa@embrapa.br