Pesquisa aponta que o uso do ácido salicílico prolonga vida útil das uvas Itália

Com o objetivo de reduzir as perdas pós-colheita de uvas Itália, o curso de Bacharelado em Enologia, da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), desenvolveu uma pesquisa nos laboratórios do Campus Dom Pedrito. As uvas foram colhidas em um vinhedo na cidade de Canguçu.

Conforme o estudo, um dos problemas de uvas de mesa, após a colheita e durante o armazenamento, é a desidratação, o que pode ser minimizado através da manipulação adequada. Para prolongar a vida pós-colheita das uvas Itália, o experimento utilizou o ácido salicílico, produto produzido de forma natural pela planta.

Segundo o professor Juan Saavedra del Aguila, o custo do ácido salicílico é baixo e foi o tratamento que deu melhores resultados. A pesquisa mostra que a aplicação do ácido salicílico na pós-colheita de uvas de mesa Itália contribui na redução da abscisão de bagas e da desidratação do engaço, o que prolonga a vida útil do fruto.

Para produtores interessados em desenvolver o experimento, Aguila recomenda testar a aplicação do ácido salicílico em pequenos lotes na pós-colheita de uvas Itália, antes de utilizá-lo em grande escala.

O estudo resultou na publicação do artigo científico "Use of plant growth regulators in the conservation of grapes Italy as aids in post-harvest", apresentado no 37º Congresso Mundial de Uva e do Vinho, realizado em Mendoza, na Argentina.

A pesquisa foi coordenada pelo Núcleo de Estudo, Pesquisa e Extensão em Enologia (Nepe²), da Unipampa. Além desta, o Nepe² possui várias pesquisas em andamento, entre os temas estudados estão o uso de resíduos das vinificações na alimentação animal e humana, diferentes tipos de podas e de desfolha e manutenção da acidez nos frutos da videira.

Confira no vídeo, o que foi discutido durante o Congresso Mundial de Uva e Vinho. Fonte: Universidade Federal do Pampa