Brasil quer desenvolver foguetes em parceria com a China

Brasil e China assinaram um acordo de colaboração na área espacial que contempla o desenvolvimento conjunto de foguetes. A carta de intenções foi assinada pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Clelio Campolina Diniz, com a Administração Espacial Nacional da China (CNSA). O ministro estava no país asiático para acompanhar o lançamento do satélite CBERS-4.

"Assinamos [Brasil e CNSA] hoje um acordo de colaboração para os próximos dez anos," disse o ministro. "A partir dele, vamos discutir as etapas técnicas e os cronogramas das futuras atividades. Há um desejo mútuo de continuar trabalhando junto".

Os dois países já mantêm estreita colaboração na área espacial. Contudo, no momento cabe ao Brasil etapas no desenvolvimento dos satélites, enquanto o foguete lançador fica totalmente a cargo da entidade chinesa. A ideia é que passa a haver um desenvolvimento conjunto de novos lançadores.

O Brasil possui um acordo já formalizado com a Ucrânia, mas ainda sem resultados práticos.

Ciência e Tecnologia

O ministro brasileiro também se encontrou com o ministro chinês da Ciência e Tecnologia, Wan Gang. "Tivemos uma longa conversa sobre nossas agendas em comum. Estamos programando o 2º Diálogo de Alto Nível Brasil-China em Ciência, Tecnologia e Inovação, a ser realizado em Brasília, no primeiro semestre de 2015," disse Campolina.

Ocorrida em 2011, em Pequim, a primeira edição do Diálogo de Alto Nível abordou parcerias em agricultura, energias renováveis, nanotecnologia, segurança alimentar e tecnologias da informação.

"Agora, estamos discutindo os temas mais relevantes da cooperação, como a área espacial, a presença de empresas chinesas no Brasil, a exemplo da Baidu e da Huawei, os convênios entre universidades dos dois países e o programa Ciência sem Fronteiras", disse o ministro.

Fonte: Inovação Tecnológica