Subproduto do cacau ajuda no preparo de chocolates com menos açúcar

Ao invés do açúcar, mel de cacau. Essa substância ainda desconhecida por boa parte da população tem grande quantidade de açúcares redutores, como frutose, sacarose, entre outros, e pode ser utilizada na produção de chocolate doce para substituir parte do açúcar comum. O mel de cacau também possui considerável atividade antioxidante e fibras alimentares, além de índices altos de vitamina C. Essa análise foi feita a partir da pesquisa feita em colaboração entre pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).

A exploração do cacau sempre esteve ligada ao uso de sua polpa enquanto o mel de cacau foi – e ainda é – praticamente desprezado. Segundo a professora Suzana Caetano da Silva Lannes, que coordenou a pesquisa, o mel de cacau é um subproduto do processamento inicial do cacau, antes de sua fermentação.

O sul da Bahia, a maior região produtora de cacau do país, vem sofrendo nos últimos anos com uma doença conhecida como "vassoura-de-bruxa", que atinge principalmente as plantações de cacau e reduz drasticamente a produção e a extensão das lavouras. Por isso, a procura por alternativas de exploração total do fruto é cada vez maior. Apesar disso, o aproveitamento do mel de cacau não atinge 0,5% de toda a sua produção. Todo o resto é descartado. Para a professora Suzana, isso acontece por causa do "pouco conhecimento de suas propriedades, processamento e coleta".

Atualmente, a utilização do mel de cacau se reduz à confecção de geleias e outros doces caseiros. Ele é mais aproveitado pelas microempresas das regiões de produção, principalmente no sul da Bahia, enquanto ainda é quase ignorado pela grande indústria. No ano passado, os pesquisadores da USP e da Uesb entraram com um pedido de patente sobre uma forma de confecção de chocolate utilizando o mel de cacau e com níveis menores de açúcar.

O produto praticamente não apresenta riscos a quem o consome. "O risco é mínimo, [existe] apenas para aqueles alérgicos a alguma substância presente [no mel de cacau]", garantiu Suzana Caetano. O Brasil é o 6º maior produtor de cacau segundo dados de 2010 da Organização Internacional do Cacau, com 161 mil toneladas por ano. O país só fica atrás de Costa do Marfim (1,2 milhões de toneladas), Gana (632 mil toneladas), Indonésia (550 mil), Nigéria (235 mil) e Camarões (209 mil).

Fonte: Agência Universitária de Notícias
Murilo Carnelosso – Jornalista