A terceira edição da Feira Internacional de Produtos Orgânicos e Agroecologia (Bio Brazil Fair) já está confirmada para os dia 3 a 6 de maio de 2007, no pavilhão da Bienal do Ibirapuera. Aberta ao público, a feira visa à expansão dos negócios do setor e também a transmitir ao consumidor final os benefícios da alimentação orgânica.

A Bio Brazil Fair é promovida pela Francal Feiras e pela Associação dos Produtores e Processadores de Orgânicos do Brasil.

Mais informações: www.biobrazilfair.com.br.

Fonte

Primeira Página
Assessoria de Comunicação e Eventos
Tiago P. Machado – Jornalista
E-mail: redacao.tiago@ppagina.com
Internet: www.ppagina.com

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Consultoria de gestão logística, locação, transporte, rastreabilidade, recolhimento, higienização e manutenção de embalagens retornáveis: a Unipac se posiciona como provedora de soluções e serviços para atender toda a cadeia produtiva

No ano em que completa 30 anos, a versatilidade da empresa nacional Unipac ganha força com sua nova frente de negócio: o gerenciamento de toda operação logística, com o uso exclusivo de embalagens retornáveis. O trabalho inclui a locação dos itens para transporte e armazenagem e a administração das mesmas para seus clientes.

20993.jpgA novidade, coordenada pela sua divisão de movimentação e armazenagem, está alinhada aos propósitos da empresa: gerar soluções inovadoras e integrar serviços e tecnologias para agregar valor à cadeia produtiva – nacional e internacional. e quot;Sempre estivemos focados em fornecer ao mercado resultados sistêmicos, de bens e serviços, e com essa nova frente de negócio, ampliamos ainda mais a possibilidade em atender o cliente, com soluções completas e sob medida e quot;, informa Marcos Antonio Ribeiro, diretor comercial da empresa.

O diferencial da Unipac será a consultoria de gestão logística, composta por análise, planejamento, implementação e controle do fluxo de matérias-primas. Soluções e serviços logísticos personalizados serão sugeridos de acordo com o tipo de produto a ser transportado e com o setor de atuação de cada cliente. Segundo Ribeiro, diversos setores poderão se beneficiar deste sistema.

e quot;As embalagens retornáveis têm aplicação consagrada na indústria automobilística e autopeças, mas se estende para outros mercados, entre eles, alimentício e de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, pois possuem forte apelo ecológico e não encontram restrições em outros países. Elas eliminam o problema do descarte e não propagam possíveis pragas florestais. e quot;

Destaque na Movimat

Esta nova frente de negócios da Unipac – empresa 100% nacional e que pertence ao Grupo Jacto – será apresentada na Movimat 2006, Feira de Logística, Movimentação, Armazenagem e Embalagem de Materiais, que acontece entre os dias 8 e 11 de agosto, no Expo Center Norte, em São Paulo.

No evento, os visitantes poderão conhecer o portfólio de soluções para movimentação disponíveis para locação ? que inclui produtos tanto da Unipac como de sua parceira Schoeller Arca Systems, com quem mantém uma joint-venture desde 1999: a Unipac Schoeller Arca. e quot;Podemos projetar e fabricar as soluções a partir de uma amostra ou desenho fornecido pelo cliente, para que a acomodação do item a ser transportado esteja na medida exata e quot;, destaca Ribeiro.

Algumas operações, como o rastreamento, serão exemplificadas em seu estande, enquanto especialistas explicarão o funcionamento da locação e do gerenciamento logístico das embalagens retornáveis ? cujos produtos serão destaque na feira. e quot;Se o cliente tem uma necessidade, a Unipac irá propor uma solução logística. Ao administrar as embalagens retornáveis, por meio da locação ou da gestão dos itens que fazem parte do patrimônio de nossos clientes, podemos agregar valor à operação, eliminar problemas inerentes à movimentação e armazenagem, otimizar espaços, proteger os produtos fabricados e reduzir custos, de acordo com o segmento de atuação. Nossos parceiros cuidarão dos andamentos de seus negócios e nós, de seu fluxo logístico e quot;, ressalta.

Serviços com rastreabilidade

Embalar o produto do cliente no recipiente retornável; acondicionar e estufar (lacrar) os contêineres; transportar e disponibilizar o produto no local de destino ? terrestre, marítimo ou aéreo; recolher as embalagens retornáveis; e disponibilizar novamente para uso. Estes são exemplos dos benefícios do gerenciamento logístico proposto pela Unipac. A empresa realizará também a manutenção e conservação das embalagens, que inclui higienização, limpeza e lavagem. Todo o trabalho será feito com o portfólio de produtos da Unipac Schoeller Arca, que inclui embalagens retornáveis e uma linha composta por caixas colapsíveis ? que podem ser desmontadas quando não há necessidade de uso.

As embalagens retornáveis possuem elevada capacidade de carga, são mais resistentes, permitem o máximo aproveitamento em carregamentos de produtos de alta densidade, oferecem máxima proteção com diminuição dos riscos de transporte e armazenamento que possam comprometer a qualidade dos materiais. Além disso, são mais resistentes a impactos e ao desgaste natural do tempo.

O processo de identificação das embalagens pode ser feito por hot-stamping (marcação indelével) ou, juntamente com o processo de injeção, onde são adicionadas cores que proporcionam diferenciais em alguns componentes das caixas. Antes de seguir para seu destino, cada embalagem recebe um chip ou plaqueta com código de barras para ser rastreada, que armazena todos os dados da nota fiscal e detalhes do produto a ser transportado. e quot;O sistema é seletivo e detalha se o conteúdo pode sujar, contaminar, se é frágil ou se precisará seguir para uma determinada linha de produção e quot;, explica Ribeiro.

Vantagens da embalagem retornável

Foi pensando em redução de custos que a Unipac ingressou, em 1995, no segmento de embalagens plásticas retornáveis, visando solucionar problemas logísticos relativos ao transporte e armazenamento de materiais. O gerenciamento foi implantado primeiramente na própria empresa e, posteriormente, nas do Grupo Jacto e agora se estenderá aos seus mercados de atuação, tais como automotivo, agropecuária, consumo, logístico e embalagens industriais para os setores agroquímico, alimentício, fotoquímico, limpeza, químico, entre outros.

Com um know-how de 30 anos no segmento de transformação de plástico, com um parque fabril com tecnologia para executar seis processos (Sopro, Injeção, Injeção Espumada Estruturada, Extrusão, Termoformagem e Rotomoldagem), a Unipac alcançou flexibilidade industrial para produzir exatamente o que seus parceiros desejam. Para realizar o estudo de cada caso, foi criado o Departamento de Engenharia de Aplicação, que se comunicará com os Departamentos de Engenharia de Processos e de Engenharia de Produtos. Juntos, irão mapear e propor o melhor resultado. O sistema participativo visa estimular a criação de soluções diferenciadas, que antecipem as tendências e gerem competitividade para toda a cadeia produtiva.

De acordo com Ribeiro, a Unipac aceitará desafios de novos mercados, pois está apta a atender às exigências nacionais e internacionais. e quot;Temos condições de gerenciar todas as etapas e processos de um produto de forma segura. Podemos produzir exatamente o que o nosso parceiro deseja, na qualidade e na forma, além de desenvolver, transformar e testar o produto de acordo com as normas vigentes no Brasil e no exterior, sugerindo opções de processo, material, peso, geometria e a melhor relação entre custo-benefício. Atuaremos desde a elaboração do projeto e do molde, passando pelo gerenciamento e controle da administração de estoque ou da linha de produção, até chegar ao cliente final. e quot;

Qualidade e meio ambiente

A Unipac sempre se encontra um passo à frente quando o assunto é qualidade. É certificada pelas Normas do Sistema de Gestão de Qualidade, a ISO 9001, versão 2004; pela norma que padroniza os requisitos do sistema da qualidade relacionados à indústria automobilística, a QS 9000 e, posteriormente, a ISO TS 16949:2002; pela Norma UN, norma de segurança que atesta as embalagens para transporte de produtos considerados perigosos que, devido às suas propriedades físicas e/ou químicas, podem oferecer risco à vida humana, ao meio ambiente ou ainda ao meio de transporte; e, pela sua preocupação com o meio ambiente, o Sistema de Gestão Ambiental da Unipac também obteve certificação ISO 14001 – Norma Internacional de Qualidade de Gestão Ambiental, que permite gerenciar e conciliar o desenvolvimento econômico e tecnológico de suas atividades com a preservação do meio ambiente. Por esta norma, a empresa conquistou em 2005 a certificação ISO 14001:2004, graças à constante preocupação em não lançar na natureza nada que de alguma forma contribua para sua degradação.

Sobre a Movimat 2006

A Feira de Logística, Movimentação, Armazenagem e Embalagem de Materiais, promovida pela IMAM Feiras e Comércio, é considerada a maior do setor na América Latina. Trata-se de um evento técnico especializado que, bienalmente, apresenta os últimos avanços da tecnologia nos segmentos da movimentação, armazenagem, embalagem e transporte de materiais. Os visitantes são empresários, diretores e gerentes das áreas de materiais e suprimentos, profissionais de logística e dos setores de movimentação e armazenagem de materiais, engenharia industrial, embalagens, transporte, que encontram na feira o que há de mais atual no setor. O evento ocorre nos Pavilhões Azul e Branco do Expo Center Norte, em São Paulo (SP), entre os dias 8 e 11 de agosto, das 14 às 21 horas.

Unipac Schoeller Arca Systems

Em 2005, a companhia holandesa Schoeller Wavin Systems e a sueca Arca Systems se uniram para criar uma das maiores empresas de embalagens plásticas para manipulação de materiais. Atualmente, a Schoeller Arca Systems (www.arcausa.com) mantém operações em praticamente todos os países europeus e no continente americano e seus produtos são comercializados em mais de 30 países. A empresa absorveu a joint-venture firmada com a Unipac antes da fusão das empresas. A parceria Unipac Schoeller Arca diversifica e amplia o portfólio de embalagens para movimentação e armazenagem disponível no mercado brasileiro.

Perfil da Unipac

A Unipac integra o Grupo Jacto, formado por empresas que atuam nos ramos agrícola, de transportes, equipamentos para limpeza (alta pressão), ferramentaria e meio ambiente. Há 30 anos, a Unipac foca seus objetivos estratégicos no segmento de transformação de plástico e tem como propósito prover soluções inovadoras, que integrem serviços e tecnologias de aplicação de polímeros para agregar valor à cadeia. Executa seis processos de transformação em seu parque industrial: Sopro, Injeção, Injeção Espumada Estruturada, Extrusão, Termoformagem e Rotomoldagem e atende, atualmente, aos mercados automotivo, agropecuária, consumo, logístico e embalagens industriais para os setores agroquímico, alimentício, fotoquímico, limpeza, químico, entre outros. Conta com cerca de 900 funcionários e 126 máquinas de transformação de plástico, instaladas em um total de 30.000 m2 de área construída, nas três unidades fabris no Estado de São Paulo, sendo uma in house.

A empresa está sempre na vanguarda tecnológica, já tendo desenvolvido mais de 2.000 moldes dos mais variados tamanhos, pesos e geometrias, numa variação de produtos que vão desde frascos de 60 ml, até tanques de 5500 litros. Esta capacitação permitiu à empresa alcançar um aumento de produtividade de 10% em 2005, índice que deve se repetir neste ano. Em 2006, a empresa espera um aumento no faturamento em torno de 8%, taxa semelhante ao conquistado em 2005 em relação ao ano anterior.

Para maiores informações visite www.unipac.com.br.

Fonte

Via Pública Comunicação
Inês Cardoso – Jornalista
E-mail: viapublica@viapublicacomunicacao.com.br
Internet: www.viapublicacomunicacao.com.br

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

A Resgate Leilões organizará no Pindorama Eventos, em Resende/RJ, a segunda edição do Leilão Futuras Matrizes do Leite, da raça girolando, responsável por 80% do leite produzido no Brasil e perfeitamente adaptada aos trópicos.

20992.jpgO remate será realizado dia 29 de julho, a partir das 15 horas, com o coquetel de apresentação dos animais e, em seguida, o início do leilão. Serão comercializadas 150 bezerras registradas, sendo 30 de TE (transferência de embrião), das melhores linhagens e qualidade.

Os promotores, Herbert Siqueira da Silva (Fazenda CentroGen) e Luiz Dias da Silva (Fazenda Bahia), ambos criadores locais, presentearão um dos compradores, através de sorteio, com a novilha Condessa da Centrogen TE (Debate TE da Pecplan x Guatemala Sally Tonto).

A organização do remate recomenda a reserva de mesa.

Para conferir alguns exemplares que serão comercializados no leilão, acesse: www.resgateleiloes.com.br/FolderExterno.jpg e www.resgateleiloes.com.br/FolderInterno.jpg.

Fonte

Matriz da Comunicação
Comunicação Estratégica para o Agronegócio
Luciene Gazeta – luciene@matrizdacomunicacao.com.br
Tammy Lauterbach – tammy@matrizdacomunicacao.com.br
Flávia Sancho – flavia@matrizdacomunicacao.com.br
Internet: www.matrizdacomunicacao.com.br

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Projeto da APEX-Brasil e da Associação Brasileira da Indústria de Café promove cafés industrializados e cafés especiais em mais de 10 mercados. Metas de exportação são de US$ 43 milhões para 2006, US$ 48,1 milhões para 2007 e US$ 54,2 milhões para 2008.

Depois de se firmar no comércio internacional como maior exportador mundial de café em grão, o Brasil ganha investimentos para aprimorar e ampliar sua estratégia nas vendas internacionais de café torrado e moído. Para isso a Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX-Brasil) e a Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC) iniciam hoje um projeto nacional de incentivo às exportações de cafés especiais e industrializados.

A parceria, que inclui programas de promoção comercial para cafés em grão especiais, por meio da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA, na sigla em inglês), prevê um aporte de recursos da ordem de R$ 11,489 milhões, que custeará investimentos em marketing e publicidade, participação em eventos internacionais e promoção de encontros de negócios com compradores estrangeiros no Brasil e no exterior.

As metas do convênio prevêem a exportação de US$ 43 milhões em 2006, US$ 48,1 milhões em 2007 e US$ 54,2 em 2008, além de aumento do número de empresas exportadoras e de postos de trabalho no setor. Um objetivo altamente factível, tendo em vista os resultados obtidos com o convênio anterior (agregado agora ao da ABIC), firmado pela APEX-Brasil com o Sindicato das Indústrias de Café de São Paulo (Sindicafé-SP), que elevou as exportações de café industrializado em 309% entre 2002 e 2005 (de US$ 4.054.688 para US$ 16.591.198). Só no primeiro semestre deste ano, as vendas somaram US$ 14.230.617, ou 85,77% das exportações de todo o ano de 2005.

Um dos principais pontos deste novo acordo é a promoção em mais de 10 mercados da Europa, América do Norte, Ásia e Oceania dos cafés com maior valor agregado, como os torrados e moídos e os especiais em grão de alta qualidade, proporcionando às empresas participantes a oportunidade de negociar diretamente com seus potenciais compradores.

Para tanto, ?o projeto buscará instrumentos que atestem ao mercado internacional a qualidade do verdadeiro café brasileiro (blend 100% brasileiro). E a estratégia adotada atende a meta da APEX-Brasil que é a de promover e inserir no mercado internacional itens diferenciados e de qualidade, resultado de pesquisa e industrialização?, observa o presidente da Agência, Juan Quirós, lembrando que o Brasil já consolidou a posição de maior exportador mundial de café verde, alcançando, em 2005, o valor total de US$ 2,7 bilhões.

Valor agregado

?Além de conquistar novos nichos de mercado, a exportação de cafés de alta qualidade, industrializados ou em grão, significa maior valor agregado?, diz Guivan Bueno, presidente da ABIC. De janeiro a junho deste ano, o preço médio aumentou em 21%, comparativamente ao mesmo período de 2005, indo de US$ 3,75 o quilo para US$ 4,54. ?O convênio, que agora passa a ser feito com
a ABIC, traz um novo fôlego e dá maior incentivo ao projeto?, avalia Guivan Bueno.

Justamente por isso, e visando mercados já trabalhados pelo setor, como o americano, italiano, francês, inglês e japonês, e buscando conquistar novos parceiros comerciais e ampliar os negócios na Coréia do Sul, China, Rússia, Austrália e Emirados Árabes Unidos, o projeto prevê uma nova série de importantes ações. Serão elaborados materiais de divulgação e realizadas atividades de relações públicas.

As empresas integrantes da ABIC e da BSCA participarão de feiras no exterior e organizarão sessões de degustação de cafés em cadeias de lojas e redes de varejo nos países alvo. Serão promovidas ainda rodadas de negócios com compradores estrangeiros no Brasil e no exterior e está prevista a vinda de jornalistas estrangeiros especializados para conhecer a produção e industrialização do café brasileiro.

Cerca de 60 empresas iniciarão o projeto. Até o final deste ano o número subirá para 74. Em 2008 o projeto atenderá 120 firmas. No momento, as empresas que compõem o projeto estão localizadas em São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Bahia e Rio de Janeiro.

O setor cafeeiro brasileiro e suas exportações

Atualmente, o Brasil responde por cerca de 30% das exportações mundiais de grão verde. No entanto, a exportação de cafés industrializados, na forma de produtos torrados em grão ou torrados e moídos, que representa mais de 80% do consumo mundial – segundo dados da OIC ? Organização Internacional do Café -, é uma atividade pouco difundida no Brasil para a qual é ainda necessário um grande esforço na área de promoção comercial.

No caso dos cafés especiais (em grão verde, porém de alta qualidade), as atividades estão centradas em um forte trabalho de promoção internacional, e focadas nas principais redes varejistas e do setor de gastronomia, de forma a agregar valor ao produto e consolidar a imagem do Brasil como maior fornecedor de cafés de alta qualidade.

Fonte

APEX-Brasil
Jorge Fecuri – Jornalista
E-mail: jorge.fecuri@apexbrasil.com.br
Internet: www.apexbrasil.com.br

Compartilhe esta postagem nas redes sociais