Um dos produtos amazônicos mais apreciados – não só pelo sabor como pelo valor nutricional – o açaí – tem sido o responsável pela conquista de cada vez mais novos segmentos econômicos, tanto no mercado nacional quanto no internacional. E é justamente esse um dos motivos pelos quais o fruto é tema da mais recente Árvore do Conhecimento, disponível na Agência de Informação Embrapa, a partir de agora. Na Embrapa Amazônia Oriental, unidade responsável pelo desenvolvimento do conteúdo, as informações sobre o açaí estão entre as mais buscadas pela população no Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC).

De acordo com a analista Alethéa Lisboa, as sementes dessa palmeira também registram significativa procura por agricultores, estudantes e até pessoas interessadas em cultivar a planta para fins paisagísticos. “Agora com a árvore, temos mais uma fonte de divulgação de conhecimento sobre essa planta que gera tanto interesse ao nosso público”, disse. Já a pesquisadora Ana Vânia Carvalho avalia que na árvore o leitor pode encontrar desde informações gerais sobre o açaí quanto aprofundar-se no tema a partir de artigos científicos. Segundo Vânia, uma das questões recorrentes do público se refere às características funcionais da fruta. “O açaí é rico em antocianina, substância que pode reduzir o risco de doenças”, explica.

caju

Além do açaí, que teve o conteúdo organizado pela Embrapa Amazônia Oriental, já podem ser acessadas no mesmo endereço eletrônico – www.embrapa.br/agencia -, informações sobre a produção do caju, que também acaba de ganhar uma árvore. Ambas fazem parte dos temas de interesse do Programa Mais Alimentos, do qual a Embrapa participa como parceira do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), de apoio à agricultura familiar e à assistência técnica e extensão rural. A Árvore do Conhecimento do caju foi desenvolvida pela Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza/CE).

De acordo com o editor técnico do conteúdo, pesquisador José Jaime Cavalcanti, a cultura do fruto tem apresentado constante crescimento anual; por isso, as perspectivas de utilização das informações reunidas no site são muito boas. Cavalcanti acredita que por ser uma espécie de bom potencial econômico, diversos segmentos ? do pequeno ao grande produtor -, além de associações, cooperativas e escritórios de assistência técnica e extensão rural, serão beneficiados com os dados disponíveis na nova árvore. A construção do projeto mobilizou uma equipe de cerca de trinta profissionais, entre pesquisadores e pessoal de apoio, durante três anos de trabalho.

SUCESSO NA DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA

Pesquisa recente da Embrapa Informática Agropecuária revela que a Agência de Informação Embrapa, onde estão as árvores do conhecimento, tem merecido destaque como fonte de consulta de informação científica gerada pela Embrapa. Em 2010, cerca de um milhão de visitas foram registradas no site, correspondendo a mais de nove milhões de páginas acessadas.

Além dos novos conteúdos que estarão disponíveis a partir de fevereiro de 2011, o usuário tem acesso ainda a outras árvores selecionadas nas áreas de cultivo (arroz, banana, cana de açúcar, castanha-do-brasil, feijão, manga e trigo), de criações (agronegócio do leite e suínos), temáticas (agricultura e meio ambiente, bioma cerrado, espécies arbóreas da Amazônia, espécies arbóreas brasileiras e reprodução animal).

FONTE

Embrapa Informação Tecnológica
Kátia Marsicano ? Jornalista

Colaborou

Vinícius Soares Braga ? Jornalista
Embrapa Amazônia Oriental

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.