Os pesquisadores da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Arthur Mariante e Maria do Socorro Maués e os pesquisadores da Embrapa Florestas, Maria Cristina Mazza e Carlos Alberto Mazza, visitaram no período de 7 a 9 de fevereiro de 2011, fazendas parceiras da Embrapa no Planalto Catarinense, com o objetivo de estreitar a parceria com os criadores da região em prol da conservação de recursos genéticos animais, incluindo bovinos, equinos, suínos e ovinos.

A conservação de raças naturalizadas ou locais, como são conhecidas, é uma das prioridades do programa de pesquisa da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia desde a década de 80. Essas raças são importantes mananciais genéticos, pois estão no Brasil desde a época da colonização e, por isso, possuem características de rusticidade e adaptabilidade adquiridas ao longo dos séculos. Por essa razão, a Empresa investe na conservação e caracterização genética desses animais, na busca de genes de importância para programas de melhoramento genético.

Durante a visita ao Planalto Catarinense, os pesquisadores participaram de uma reunião na sede da Associação Empresarial de Lages (ACIL), na qual estava presente o Presidente da mesma, além de diversos criadores da raça bovina Crioula Lageana. É importante mencionar que a ACIL, na pessoa de seu Presidente, Roberto Amaral está coordenando o Projeto Lages do Amanhã que, dentre as ações programadas, inclui o apoio à conservação dos recursos genéticos animais daquela região.

Com os membros da Associação Brasileira dos Criadores do Gado Crioulo Lageano (ABCCL) foram discutidas estratégias para a implantação de Núcleos de Conservação, de acordo com os modelos preconizados pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), nos quais serão contemplados bovinos da raça Crioula Lageana, cavalos Campeiros, ovelhas da raça Crioula Lanada e suínos da raça Moura.

Também estiveram presentes à reunião: o presidente da ABCCL, Nelson Camargo; o criador e secretário da ABCCL, Edison Martins; o médico veterinário Dirceu Costa; o presidente da Associação Brasileira dos Cavalos Campeiros (ABRACCC), além dos professores da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), Vera Villamil e Joandes Fonteque.

Martins fez alusão ao reconhecimento dos órgãos públicos brasileiros sobre a importância do Crioulo Lageano para o Brasil e para o estado de Santa Catarina e agradeceu o apoio da Embrapa por todo o trabalho que vem sendo desenvolvido. Segundo o Secretário, é preciso ampliar as parcerias dos criadores com outras instituições públicas e privadas, de forma a criar uma cadeia mercadológica diferenciada a partir do Crioulo Lageano, agregando maior valor à raça.

Na oportunidade, os pesquisadores visitaram ainda as Fazendas Canoas e Bom Jesus de Herval, no município de Ponte Alta e a Granja Taipas e o Haras da G.A.M.A, além da Associação dos Criadores do Cavalo Campeiro, no município de Curitibanos, onde são mantidas as raças naturalizadas e adaptadas ao Planalto Catarinense.

FONTE

Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia
Fernanda Diniz – Jornalista
Telefones: (61) 3448-4769 e 3340-3672

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.