O Mestrado em Ciências Agrárias do Instituto de Ciências Agrárias (ICA) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) realizou a defesa pública da dissertação Efeito do ambiente térmico nas respostas fisiológicas, produtivas, características do pelame e no comportamento de vacas Holandesas puras por cruza no norte de Minas Gerais, da Zootecnista Bárbara Cardoso da Mata e Silva.

A pesquisa foi realizada com o objetivo de verificar se animais da raça Holandesa puras por cruza eram adaptados às condições climáticas do Norte de Minas Gerais, visto que os animais puros dessa raça são provenientes de clima temperado e a região registra altas temperaturas ao longo do ano.

Em 2010 a pesquisa foi realizada na Fazenda Experimental do ICA, em duas fases, sendo uma no período de julho/agosto, no qual há temperaturas mais amenas na região, e no período de outubro/novembro, com temperaturas elevadas. Foram utilizando 12 vacas da raça Holandesa puras por cruza em lactação, predominantemente negras.

Observou-se nos animais, durante a pesquisa, os seguintes parâmetros fisiológicos como: temperatura corporal, frequência respiratória, e temperatura da superfície do pelame durante as duas fases estudadas. Outro parâmetro observado foi o comportamento dos animais: o tempo em que eles permaneciam se alimentando, ruminando ou em ócio (tempo no qual não realizavam atividade nenhuma), quanto tempo eles despendiam ao sol e a sombra, e em que tipo de local eles permaneciam durante o dia, se era na instalação (onde se localizava o cocho), na pastagem ou embaixo da árvore. Outro paramêtro estudado foi a característica do pelame desses animais, como quantidade e comprimento de pelos e espessura do pelame.

Sobre os resultados, durante a fase na qual ocorria maior temperatura, os parâmetros fisiológicos se encontravam mais elevados quando comparado a fase de temperatura mais amena, mas os parâmetros permaneceram dentro da normalidade. Sobre o comportamento observou-se que os animais permaneciam a maior parte do tempo à sombra principalmente na época mais quente do ano.

Observando esse resultado, o produtor de leite deve buscar alternativas para amenizar o efeito da temperatura e da radiação solar para os animais durante os meses mais quentes do ano, pois esse fator pode interferir na produtividade dos animais. Com o aumento da temperatura ambiente o animal reduz o consumo de alimento e por conseqüência diminui a produção. Comparados os resultados foi percebida uma pequena queda de produção nos meses mais quentes. Na dissertação Bárbara sugere que os produtores de leite devem se preocupar em proporcionar ambientes com sombra para os animais em tempo de calor.

A observação do pelame das vacas Holandesas puras por cruza observadas na pesquisa indica uma boa adequação às condições ambientais da região, facilitando a dissipação de calor, pois os resultados revelaram uma pequena quantidade de pelos comparado a outros trabalhos com animais da raça Holandesa, além de pequeno comprimento e pequena espessura.

A dissertação conclui que os animais da raça Holandesa puras por cruza, de pelame negro, que nasceram na região do norte de Minas possuem uma adaptação às condições climáticas da região que facilitam a dissipação de calor.

PARA MAIS INFORMAÇÕES

Pesquisadora Bárbara Cardoso da Mata e Silva
Telefones: (38) 9135-7343 e (38) 8816-9333
E-mail: barbaracmsilva@yahoo.com.br

FONTE

Instituto de Ciências Agrárias da UFMG
Maria Fernanda Ruas – Jornalista
Telefone: (38) 2101-7773

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.