Por estar instalada em um ambiente único no mundo e, em decorrência disso, ter que gerar todo o conhecimento sobre o bioma, a Embrapa Pantanal pode ser considerada uma “grife” da Embrapa. A afirmação foi feita pelo diretor-presidente da Embrapa, Pedro Arraes, na manhã do dia 22 fevereiro de 2011, durante a cerimônia de posse da chefia geral da Unidade. “É um centro de pesquisa com imenso potencial e que pode avançar muito”, disse.

Arraes anunciou vários investimentos feitos pelo governo federal por meio do PAC Embrapa (Programa de Fortalecimento e Crescimento da Embrapa), que injetou R$ 913 milhões nos últimos três anos na empresa.

Pedro Arraes também falou sobre a necessidade de valorização das organizações estaduais de pesquisa e da extensão rural, para que os conhecimentos gerados pela pesquisa cheguem até os produtores.

Para finalizar, ele elogiou o processo seletivo para os cargos de direção da empresa, que ocorrem sem interferência política. “A Embrapa não pertence a nenhum partido político. Ela pertence ao povo brasileiro.” Essas palavras foram ditas pelo ex-presidente Lula na cerimônia de posse de Arraes, em julho de 2009.

DESAFIOS

A nova chefe geral da Embrapa Pantanal (Corumbá/MS), Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Emiko Kawakami de Resende, foi reconduzida ao cargo pela segunda vez. Ela já havia dirigido a Unidade entre 2001 e 2005. Na posse, fez um breve histórico do centro de pesquisa, que ontem, dia 24 de fevereiro, completou 36 anos de fundação.

Emiko falou das principais tecnologias geradas nesse tempo todo de atuação e enumerou desafios para o futuro. Um deles será fornecer informações para que os serviços ambientais prestados pelo Pantanal sejam valorados e pagos.

“Nesse ambiente de competitividade crescente, teremos que nos manter como líderes na geração de conhecimentos sobre o Pantanal. Demandas vindas da Bolívia também deverão ser consideradas”, disse ela.

Ao transmitir o cargo, o ex-chefe geral e pesquisador José Aníbal Comastri Filho agradeceu a toda a equipe que atuou sob sua gestão e pediu apoio para sua sucessora. “O Pantanal, como qualquer região, tem suas potencialidades e seus negócios, que precisam ser respeitados e bem administrados”, disse ele, referindo-se à busca da tão sonhada sustentabilidade.

A Embrapa Pantanal tem hoje 139 funcionários, sendo 43 pesquisadores. A sede fica na área urbana de Corumbá e está em fase de expansão. A Unidade tem um campo experimental (fazenda Nhumirim), localizado a 160 km da cidade.

Prestigiaram a solenidade o prefeito de Corumbá, Ruiter Cunha de Oliveira; o de Ladário, João Antônio Assad e Faria; Álvaro Gonçalves Wanderley, comandante da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira ?Ricardo Franco?; tenente Dayane Cristina Ferreira Fontes, representando o 6º Comando de Distrito Naval; Fernando Mendes Lamas, chefe geral da Embrapa Agropecuária Oeste; Lúcia Gatto, chefe administrativa da Embrapa Gado de Corte, entre outros.

FONTE

Embrapa Pantanal
Ana Maio – Jornalista
Telefone: (67) 3234-5886

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.