A posse do novo chefe-geral da Embrapa Gado de Corte, Cleber Oliveira Soares, e a abertura oficial da VI Dinâmica Agropecuária ? Dinapec, marcaram o dia 23 de fevereiro de 2011, em Campo Grande (MS), na Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Com a presença do diretor-presidente da Empresa, Pedro Antônio Arraes, e outras autoridades, o médico-veterinário Cleber Soares recebeu a missão de conduzir o centro de pesquisa de pecuária de corte pelos próximos três anos.

Valor organizacional, com base nos ambientes interno e externo, levando em consideração os aspectos econômicos, políticos, sociais e ambientais, atuais e futuros; desafios institucionais visando a excelência do desenvolvimento organizacional; e resultados prioritários que contribuirão para o alcance da Visão de Futuro (2027) da instituição, quando a Unidade atingir seu primeiro ciclo de maturidade científica e tecnológica, esses são os pilares que nortearão a gestão de Cleber Soares.

Tais fatores confirmam-se frente à importância da cadeia produtiva da pecuária de corte, em especial da carne bovina, diretamente relacionada às tendências do mercado agroalimentar, em que a segurança dos alimentos, sua qualidade e a necessidade de aumentar a produtividade são esteios, principalmente, sendo o Brasil o maior exportador de carne (33% do comércio mundial), com projeções de aumentar a sua participação para 60% do mercado externo, até 2018.

“O país, a Embrapa e a Embrapa Gado de Corte precisam atuar visando não só desenvolver tecnologias, mas também superar os desafios globais para a produção de proteína animal. A Gado de Corte tem papel de instituição âncora para o desenvolvimento do agronegócio e da cadeia produtiva da pecuária de corte. Para alcançar os patamares atuais de importância e impacto da produção de carne no Brasil e sua participação no mundo, o Centro, nos seus 34 anos, contribuiu de forma decisiva por meio da geração, adaptação e transferência de conhecimento e de tecnologias relacionadas a forrageiras tropicais, genética, sanidade e nutrição animal”, destacou Cleber em seu discurso de posse.

O diretor-presidente da Embrapa, Pedro Arraes, lembrou a abrangência nacional do Centro, com estrutura, linhas de pesquisa e resultados presentes nas propriedades rurais brasileiras e frisou um aspecto: o olhar. “Lá fora, a sociedade só sabe e olha uma única Empresa que é a Embrapa e é assim que devemos trabalhar, porque somos mesmo uma só instituição, com Unidades pelo país, e isso deve prevalecer em todas as nossas ações”. Ao todo, são 46 centros no território nacional. Em Mato Grosso do Sul, Campo Grande, Dourados e Corumbá sediam a Embrapa Gado de Corte, Embrapa Agropecuária Oeste e Embrapa Pantanal, respectivamente.

Gestor da Empresa por seis anos, Rafael Geraldo de Oliveira Alves e sua equipe foi responsável pela revitalização da Gado de Corte, com reformas e novas estruturas e deixa o cargo com a sensação de dever cumprido, pois o plano de trabalho, assumido em 2005, foi praticamente executado e “tenho a certeza de que a próxima gestão terá habilidade e sensibilidade para encarar os novos desafios”.

ENCONTRO

Antes da solenidade de posse, o presidente Pedro Arraes, o diretor-executivo Kepler Euclides Filho e os chefe-gerais Cleber Soares, Fernando Lamas e Emiko Resende reuniram-se com André Puccinelli, governador de Mato Grosso do Sul, Tereza Cristina Côrrea da Costa, secretária de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (Seprotur), José Antônio Roldão, diretor-presidente da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer) e Eduardo Riedel, presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul) para discutir acordos entre Estado, Empresa e entidades.

Na agenda de pedidos, Puccinelli solicitou uma atenção especial para a pecuária leiteira do Estado, em forte expansão, e a morte de pastagens na região norte sul-mato-grossense. “Cada instituição tem suas dificuldades e integrados podemos servir melhor Mato Grosso do Sul. O Estado investe e a Embrapa, ao lado de seus parceiros, pesquisa”, afirmou.

Pedro Arraes acredita na força desse pareamento, no qual a Empresa tem capacidade para colaborar no treinamento de agentes da extensão rural, no planejamento estratégico das atividades e, por fim, no desenvolvimento de pesquisas, missão da Embrapa. Para tanto, Arraes sugeriu ao governador a inclusão da Empresa no comitê gestor do Fundems – Fundo para o Desenvolvimento das Culturas de Milho e Soja, criado para incentivar esses grãos, com melhorias no processo produtivo, armazenamento, comércio e transporte do produto e deve receber incentivos na ordem de R$ 3 milhões por ano. O recurso é proveniente da redistribuição da verba do Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de MS (Fundersul).

Atualmente, o comitê é formado por representantes da Associação dos Produtores de Soja do Estado (Prosoja), Famasul, Organização das Cooperativas Brasileiras no Estado (OCB/MS), Secretaria de Fazenda (Sefaz) e Seprotur. “É necessário um sinergismo entre os pares. Hoje 70% da soja plantada em MS é com uma única cultivar e isso deixa o sistema produtivo, extremamente, vulnerável. Há alternativas para amenizar isso e precisamos encontrá-las”, alertou Fernando Mendes Lamas, chefe-geral da Embrapa Agropecuária Oeste (Dourados-MS), que tem em sua carteira de projetos, linhas de pesquisa para a soja e o milho.

DINAPEC

A Dinâmica Agropecuária recebe até hoje (25/02/11), a visita de produtores e técnicos para participar dos roteiros tecnológicos e minicursos. A Dinapec está localizada na BR 262, km 4, saída para Aquidauana, em Campo Grande (MS). Informações: dinapec@cnpgc.embrapa.br e (67) 3368-2141.

FONTE

Embrapa Gado de Corte
Dalízia Aguiar – Jornalista
Telefone: (67) 3368-2144

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.