No Paraná a safra de grãos de verão e de inverno 2010/11 está se consolidando e poderá atingir 30,95 milhões de toneladas, volume 5% inferior à produção da safra passada quando foram colhidas 32,71 toneladas de grãos no Estado. A previsão, divulgada no dia 24 de fevereiro de 2011 pela Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (Seab), inclui também a primeira intenção de plantio para o trigo da safra 2011.

O diretor do Departamento de Economia Rural (Deral), Otmar Hubner, disse que a safra de grãos 2010/11 ainda poderá oscilar para mais ou menos dependendo da colheita do milho safrinha que ainda está sendo plantado e do desempenho das lavouras de trigo, cujo plantio inicia dia 11 de março. “Por enquanto a safra 2010/11 está abaixo da anterior, que foi recorde. As chuvas deram uma trégua na colheita de grãos da safra de verão e algumas lavouras poderão surpreender”, afirmou.

De acordo com a pesquisa realizada pelo Deral, a primeira sondagem sobre o plantio de trigo da safra 2011 sinaliza uma redução de 11% na área plantada na comparação com o cultivo realizado na safra passada. A redução foi motivada pelo desestímulo dos produtores com a queda nos preços do grão. Mesmo assim, a redução não foi tão acentuada porque a alternativa mais viável para o plantio de grãos na região Sul e Centro-Sul do Paraná durante o inverno é o trigo.

PRIMEIRA SAFRA

Só a produção de grãos de verão deve totalizar 20,03 milhões de toneladas, volume 6% inferior ao obtido em igual período do ano passado, que foi de 21,38 milhões de toneladas. Segundo o Deral, o clima permanece chuvoso, mas ainda não há modificação da produção esperada, exceto com o feijão da primeira safra que já apresentou perdas de 9%.

O carro-chefe da produção de verão é a cultura da soja, que deverá apresentar um volume de produção estimado em 13,94 milhões de toneladas, praticamente o mesmo produzido na safra passada, que foi de 13,93 milhões de toneladas. Este ano, a área de plantio atingiu 4,5 milhões de hectares, considerada recorde. Em relação à área plantada no ano passado houve um aumento de 130 mil hectares.

As chuvas ocorridas no início de fevereiro atingiram a soja em final de ciclo em algumas regiões e muitos produtores chegaram a registrar perdas expressivas antes mesmo da colheita por causa da umidade de grãos. Porém o diferencial de 3% na expansão da área plantada poderá compensar essa queda na produtividade, acredita a engenheira agrônoma do Deral, Margorete Demarchi.

De acordo com a agrônoma, o produtor que plantou soja se deparou com fatores adversos durante o desenvolvimento da lavoura como noites frias, dias nublados e no final do ciclo, com a incidência de doenças. “Por tudo isso é bem possível que ele venha a ter prejuízos no rendimento da lavoura. Mas eles só poderão ser dimensionados à medida que avança a colheita”, disse Demarchi.

Na safra passada, a produtividade obtida com a soja foi de 3.184 quilos por hectare. Na atual safra, que ainda está em início de colheita, a produtividade caiu para 3.097 quilos por hectare. A agrônoma alerta que a produtividade da lavoura ainda pode mudar com a intensificação da colheita da soja.

Para o milho da primeira safra o Deral prevê uma produção de 5,39 milhões de toneladas de grãos. Esse volume é 21% inferior à produção no mesmo período do ano passado, mas é decorrente da redução de área plantada. Na safra 2010/11, os produtores paranaenses plantaram cerca de 735 mil hectares de milho, considerada a menor área plantada desde a década de 60.

As chuvas também estão atrapalhando parte da colheita do milho que ainda está incipiente no Paraná. Até agora apenas 5% da área plantada foi colhida quando deveria ser de pelo menos 15% da área plantada.

Para o feijão das águas, ou primeira safra, as chuvas ocorridas em janeiro e fevereiro deste ano foram prejudiciais e provocaram queda de 9% na produção esperada. O levantamento do Deral para o mês de fevereiro aponta uma produção de 522 mil toneladas, quando estava sendo esperada uma produção de 541 mil toneladas. Mesmo assim a produção é 7% maior que a obtida no mesmo período do ano passado que atingiu um volume de 489.588 toneladas.

SEGUNDA SAFRA

O plantio da segunda safra de grãos já iniciou no Paraná. A área ocupada pelo milho safrinha (segunda safra) está superando a área cultivada na safra de verão porque o produtor apostou na cultura em função da melhora nos preços do grão no segundo semestre de 2010. A previsão é que a que a área plantada seja 15% maior em relação ao ano passado.

No início o plantio estava prejudicado pelas chuvas. O produtor não consegue colher a soja e consequentemente não pode plantar o milho. Mas o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) autorizou a prorrogação do plantio, a pedido do governo do Paraná, e a área cultivada pode atingir 1,57 milhão de hectares, 210 mil hectares acima do que foi plantado o ano passado. Cerca de 1¨7% da área foi plantada quando o normal seria 35% da área estar ocupada.

A expectativa é que a produção deve ser de 6,86 milhões de toneladas, superando o volume produzido na primeira safra e 1,3% acima do volume obtido em igual período da safra passada que foi de 6,77 milhões de toneladas.

A segunda safra de feijão apresenta redução de 3% na área plantada, devendo cair de 191 mil hectares ocupados no ano passado para 186 mil hectares este ano. Apesar disso, a produção de feijão da segunda safra pode surpreender, informa o relatório do Deral. Se as condições de clima se mantiverem normais a produção de feijão da segunda safra pode ser 13% maior, em torno de 330 mil toneladas contra 295 mil toneladas colhidas em igual período do ano passado.

De acordo com a agrônoma do Deral, muitos médios e grandes produtores com boa tecnologia investem no plantio de feijão da segunda safra e a produção costuma apresentar excelentes resultados.

A primeira intenção de plantio de trigo da safra 2011 prevê uma redução de 11% na área plantada. O plantio que se inicia oficialmente, de acordo com o zoneamento agrícola, em 11 de março no Paraná poderá atingir 1,05 milhão de hectares, a menor área plantada nos últimos três anos no Estado. No ano passado foram plantados 1,17 milhão de hectares. A expectativa de produção, considerando condições normais de clima, deve atingir 2,52 milhões de toneladas, 26% a menos que o ano passado, quando o volume colhido foi de 3,42 milhões de toneladas.

FONTE

Agência de Notícias do Paraná

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.