O Portal da Tecnologia da Informação para o Agronegócio acaba de publicar as principais necessidades e oportunidades de desenvolvimento para o mercado de software agropecuário. As chamadas “demandas prospectivas” relacionam mais de 60 tipos de programas com potenciais aplicações para o agronegócio num cenário estimado até 2023. As informações são resultado do projeto “Estudo do Mercado Brasileiro de Software para o Agronegócio”, coordenado pela Embrapa Informática Agropecuária (Campinas/SP), unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Além de traçar um panorama sobre a oferta de software para o setor, o estudo busca orientar o mercado desenvolvedor sobre a carência de tecnologia da informação aplicada à agricultura.

As demandas identificadas estão distribuídas em sete grandes áreas de aplicação: agroenergia; agricultura, mudanças climáticas e uso sustentável de recursos naturais; sanidade agropecuária, segurança alimentar e do alimento; agregação de valor a processos e produtos de origem vegetal e animal; aquicultura e desenvolvimento de recursos pesqueiros; zoneamento, monitoramento territorial e recuperação de áreas degradadas; e tecnologias avançadas para o agronegócio, como automação, biotecnologia, nanotecnologia, sistemas de informação e transformação agroindustrial.

Os pesquisadores Eduardo Delgado Assad, da Embrapa Informática Agropecuária e Paulo Estevão Cruvinel, da Embrapa Instrumentação (São Carlos/SP), que coordenaram os estudos sobre cenários, prospecção e oportunidades para o mercado de software rural, destacam que as soluções tecnológicas futuras vão estar associadas à maior capacidade de processamento, memória e de comunicação, além de mais eficiência computacional.

Por isso, é importante considerar plataformas que estejam relacionadas principalmente ao desenvolvimento de software para sistemas de informação, incluindo a web e os recursos interativos de multimídia; sistemas de computação científica; computação gráfica e processamento de imagens; sistemas de automação e controle digital; sistemas embarcados críticos e modelagem computacional complexa.

Com o avanço das técnicas de inteligência artificial, ampliam-se as alternativas para o desenvolvimento de interfaces mais realistas e interessantes para o usuário, como a criação de ambientes que permitem diferentes formas de interações e promovem maior dinamicidade, realismo e usabilidade. Na visão dos pesquisadores, essas aplicações podem ser empregadas, por exemplo, na simulação de espaços rurais para controle do manejo de rebanhos, população de plantas, gestão e adequação de infraestrutura, logística, alertas de riscos e perigos, entre outros.

No portal também estão disponíveis análises sobre o mercado de oferta de software agropecuário e um levantamento dos produtos desenvolvidos pela Embrapa e por empresas privadas, distribuídos por categorias como administração, controle agropecuário, cultivo vegetal e manejo animal.

FONTE

Embrapa Informática Agropecuária
Nadir Rodrigues – Jornalista
Telefone: (19) 3211-5747
nadir@cnptia.embrapa.br

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.