A supersafra de grãos e as melhorias na infraestrutura portuária estão aumentando a movimentação de mercadorias pelo Porto de Paranaguá. Mesmo sem ter começado oficialmente o período da safra, a movimentação de caminhões rumo ao porto já é grande. No dia 28 de fevereiro de 2011, cerca de 900 caminhões ocupavam o Pátio de Triagem de Paranaguá.

De acordo com estudo realizado pela Diretoria Empresarial da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), a dragagem de manutenção dos berços de atracação vai resultar num aumento de 20% nas exportações de grãos pelo Porto. A medida, uma das primeiras tomadas pelo governador Beto Richa com o objetivo de recuperar cargas para o Porto e oferecer melhor infraestrutura para os exportadores, aumentou a confiança e a credibilidade perante operadores e exportadores, incentivando as exportações pelo terminal.

O estudo realizado pela Appa mostra ainda que sem a realização da dragagem o Porto de Paranaguá deixou de embarcar, em 2010, cerca de 2,6 milhões de toneladas de grãos pelo Corredor de Exportação. O volume representa uma perda de arrecadação de aproximadamente R$ 10,4 milhões.

“Para este ano [2011], o volume médio esperado de embarque por navio é de 68 mil toneladas. Em 2010, os navios não saíam de Paranaguá com mais de 57 mil toneladas. Este aumento no fluxo é resultado do trabalho que estamos realizando para recuperar cargas e recolocar o porto em posição de destaque”, explicou o superintendente da Appa, Airton Vidal Maron.

RODOVIAS

Para agilizar o escoamento da safra, a Appa adota um sistema chamado Carga On-line, que faz o gerenciamento do fluxo logístico dos veículos até o porto, estabelecendo quotas diárias de recebimento de caminhões e vagões para cada terminal/operador, dimensionando os fluxos e evitando filas.

Toda a carga de grãos destinada ao Porto é cadastrada on-line ainda na origem e o caminhão só é liberado para seguir viagem até Paranaguá quando há espaço em armazém para recebimento da carga e navio aguardando para embarcar o produto.

“Muitos operadores não estão respeitando esta sistemática e isso está atrasando o fluxo de entrada de caminhões no pátio. Fora isso, ao chegarem caminhões sem ordenamento da carga, nós não temos como garantir espaço para que eles desembarquem nos armazéns, causando filas”, explicou Marcos Antonio Jorge Hauly, chefe do Pátio de Triagem.

Na manhã do dia 28 de fevereiro, foi registrada uma fila de 16 quilômetros, que se formou ao longo da BR 277. A explicação para este acúmulo de caminhões é que o embarque de grãos nos três berços do corredor de exportação está paralisado em função da chuva e os armazéns ficam lotados, não podendo receber mais carga. Além disso, acumulam-se caminhões sem cadastramento prévio.

Só em janeiro deste ano, a Appa registrou aumento de 60% nas exportações de grãos. Considerando o total de mercadorias movimentadas, o aumento é de 28,8% em relação a 2010.

FONTE

Agência de Notícias do Paraná

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.