Com a ajuda de aparelhos GPs, o Greenpeace flagrou o corte ilegal e a venda de árvores da Amazônia. Serrarias fraudavam documentos para vender a madeira extraída ilegalmente. Fonte: TV Cultura

Compartilhe esta postagem nas redes sociais