O programa Globo Repórter, da TV Globo, abordou o tema da "defaunação" na sua edição que foi ao ar no dia 12 de dezembro de 2014. Um dos entrevistados pela produção foi o professor Mauro Galetti, do Departamento de Ecologia da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Rio Claro, responsável por projetos de pesquisa que integram o Programa Fapesp de Pesquisas em Caracterização, Conservação, Restauração e Uso Sustentável da Biodiversidade (Biota-Fapesp).

Galetti é coautor do artigo Defaunation in the Anthropocene, que integrou uma edição especial da revista científica norte-americana Science, publicada em julho, sobre as consequências – para a biodiversidade do planeta e para o futuro da humanidade – do desaparecimento de espécies animais. De acordo com o texto, o mundo passa por uma das maiores extinções de animais de sua história.

Mais informações sobre o programa em http://g1.globo.com/globo-reporter/index.html.

FONT E

Agência Fapesp

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

O verão começa no próximo dia 21 de dezembro. Durante a estação, com dias mais quentes e maior exposição ao sol, os cuidados com a saúde, principalmente com os olhos, devem aumentar. Os raios ultravioleta (UVB) estão mais agressivos nesta época do ano, quando os riscos de queimaduras, irritações na córnea e doenças infecciosas também são maiores.

Segundo Marcus Sáfady, presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO), a exposição prolongada aos raios solares, sem proteção adequada, pode acarretar a ceratite actínica e o pterígio. "A ceratite actínica é uma inflamação na córnea, que costuma ocorrer em pacientes expostos de 6 a 12 horas ao sol. Os sintomas são vermelhidão, dor na região e sensação de areia. O tratamento é feito com aplicação de soro fisiológico."

"Já o pterígio, alteração na membrana que recobre o olho, é resultado de anos de exposição ao sol e à poeira. A doença é caracterizada pelo crescimento de uma massa vermelha na direção da córnea, causando desconforto. Com os sintomas, deve-se procurar um oftalmologista para indicação de colírio adequado e, nos casos mais graves, do procedimento cirúrgico", salientou Sáfady.

Para evitar problemas com os olhos, ele recomenda o uso de bonés e óculos escuros de qualidade, com proteção contra radiação UVA e UVB que, em excesso, podem causar danos irreversíveis. "O filtro UV protege a visão dos raios solares. As lentes escuras de qualidade duvidosa são ainda mais perigosas, pois, ao utilizá-las, a pupila do paciente dilata, permitindo a entrada de uma quantidade maior de radiação. O uso prolongado dessas lentes pode causar catarata", explicou.

A conjuntivite também é bastante comum no verão, pois a bactéria transmissora se prolifera principalmente em altas temperaturas. A inflamação, que tem os mesmos sintomas da ceratite actínica, é contagiosa e causada, entre outros fatores, por água do mar contaminada e excesso ou falta de cloro em piscinas. O tratamento é com aplicação de água filtrada ou soro fisiológico. Recomenda-se evitar locais com alta concentração de pessoas.

De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, qualquer tratamento deve ser prescrito por um oftalmologista. Ele acrescentou que medicamentos, como pomadas e colírios, não devem ser utilizados sem prescrição médica.

Fonte: Agência Brasil
Armando Cardoso – Edição

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

O natal está chegando e com ele os preparativos para a ceia que deixa muitos cozinheiros de mão cheia inseguros. Por isso hoje vamos mostrar uma receita deliciosa de Strunfulli, que é uma bolinha de massa frita coberta com mel. Com certeza essa receita típica da colônia italiana vai agradar a família na noite mais mágica do ano. Dá uma olhada. Fonte: Emater/RS-Ascar

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

O estudo Balanço de Carbono em Reservatórios (Balcar), feito em conjunto por empresas do grupo Eletrobras e dez instituições de pesquisa brasileiras, entre 2011 e 2013, com 11 usinas hidrelétricas apurou que, à exceção de Balbina, "a maior parte das hidrelétricas brasileiras emite muito pouco dióxido de carbono, em proporção muito menor do que qualquer usina térmica, por melhor que ela seja. Ealguns reservatórios mostraram que absorvem carbono". A informação é da chefe da Divisão de Estudos e Planejamento Ambiental da Eletrobras, Maria Luiza Milazzo.

Entre os reservatórios que absorvem gases responsáveis pela emissão do efeito estufa da atmosfera, o estudo salienta os de Funil, na Região Sudeste, e de Xingó, na Região Nordeste. "Essa foi uma surpresa muito boa e interessante". Foram feitos quatro levantamentos de campo em cada usina, em observância às estações do ano.

Do total de usinas pesquisadas, oito estavam em operação — Balbina, Tucuruí, Itaipu, Serra da Mesa, Xingó, Três Marias, Funil e Segredo — e três em fase de construção — Santo Antônio, Belo Monte e Batalha. Foram coletados dados sobre emissões de dióxido de carbono, óxido nitroso e metano. Este último gás tem poder de aquecimento global quatro vezes maior que o dióxido de carbono, destacou Maria Luiza.

A usina de Balbina, situada no Rio Uatumã, na Amazônia, foi objeto de estudo anterior do biólogo Alexandre Kemenes, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), publicado em 2007 na revista especializada em geofísica Geophisical Research Letter. A pesquisa constatou elevados índices de emissões naquela hidrelétrica, dez vezes superiores às emissões de uma termelétrica movida a carvão mineral.

A chefe da Divisão de Estudos e Planejamento Ambiental da Eletrobras informou que, no cômputo geral, o Estudo Balcar mostra que as usinas hidrelétricas tendem a absorver gases poluentes da atmosfera. "Itaipu, por exemplo, é uma hidrelétrica que tem quase nada de emissão". Observou que uma usina termelétrica a gás emitirá menos do que uma [usina] térmica a óleo ou a carvão mineral. "Por isso é que a hidrelétrica ainda é tão vantajosa em relação a outro tipo de energia que a gente precisa para alimentar o setor elétrico do nosso país".

Maria Luiza ressaltou que as hidrelétricas contribuem no combate às mudanças climáticas. "A matriz energética do setor elétrico brasileiro é muito limpa devido ao grande número de hidrelétricas que nós temos. Se a gente fosse usar outro tipo de fonte, ela seria muito mais poluente, seja gás, carvão, óleo, diesel ou qualquer outro tipo de combustível fóssil. Seria muito maior a emissão", destacou.

O Centro de Pesquisas de Energia Elétrica da Eletrobras (Cepel), que coordenou o estudo, já está formatando o Balcar 2. A ideia, disse Maria Luiza, é dar seguimento à pesquisa não só nas três áreas onde os empreendimentos hidrelétricos estavam em construção mas também em outras usinas. O objetivo é ter uma base de dados sólida, tendo em vista que as pesquisas de campo são demoradas, caras e trabalhosas.

Fonte: Agência Brasil
Alana Gandra – Repórter
Marcos Chagas – Edição

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Ontem (15/12/14), Dia Nacional da Economia Solidária, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançou a primeira edição do Prêmio BNDES de Boas Práticas em Economia Solidária. A iniciativa pode destinar R$ 2,3 milhões para até 96 iniciativas exitosas em todos os Estados brasileiros. Trata-se de uma parceria entre o BNDES, a Secretaria Nacional de Economia Solidária (SENAES) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e o Fórum Brasileiro de Economia Solidária (FBES).

O objetivo é reconhecer os esforços e ampliar a visibilidade de Empreendimentos Econômicos Solidários (EES) que desenvolvam os princípios da autogestão, solidariedade e cooperação; incentivar e fortalecer a mobilização de atores sociais a partir de experiências e ações de referência para a sociedade no âmbito da Economia Solidária; e aprofundar o conhecimento sobre o tema no País, melhorando o diálogo, a construção e a implementação de políticas públicas de apoio e investimento aos EES.

Poderão concorrer EES formalizados, EES ainda não formalizados representados por Entidades de Apoio e Fomento (EAF) e Redes de EES. Quanto ao campo de atuação, poderão participar Empreendimentos de Finanças Solidárias; Empreendimentos de Produção, Comercialização ou Consumo Solidários; e Empreendimentos Formativos, Educativos ou Culturais.

Cada EES premiado, formalizado ou ainda não formalizado, receberá o valor de R$ 20 mil. Cada Rede de EES contemplada receberá o valor de R$ 50 mil. Serão destinados, por Estado, até dois Prêmios para EES formalizados e até um para EES ainda não formalizado. Para EES organizados em Rede, serão até três premiações por região do Brasil. No total, serão distribuídos até 96 prêmios.

Os recursos distribuídos deverão ser utilizados no fortalecimento e na consolidação das iniciativas agraciadas. No caso dos empreendimentos ainda não formalizados, o prêmio pretende contribuir com processos de formalização. O edital será lançado ainda neste mês de dezembro no Diário Oficial da União (DOU). O período de recebimento de inscrições será de 12 de janeiro até 13 de março de 2015. A cerimônia de premiação será realizada na Feira Internacional de Economia Solidária, no mês de julho, em Santa Maria (RS).

Homenagem

Esta primeira edição Prêmio BNDES de Boas Práticas em Economia Solidária homenageia Sandra Magalhães. Ícone do tema no Brasil, ela liderou diversos movimentos em busca de sua evolução, estimulando o fortalecimento das políticas públicas em prol de um novo modelo de desenvolvimento. Integrou a formação do FBES e do Banco Palmas, no Ceará, cuja experiência exitosa estimulou a criação da Rede Brasileira de Bancos Comunitários. Mesmo após sua morte, em 2013, a história de vida de Sandra ainda inspira milhares de pessoas.

Fonte: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Desde ontem (15/12/14), ainda em caráter beta, o Skype começa a traduzir, em tempo real, conversas por voz. Parece mágica, mas é só a boa e velha tecnologia refinada por anos e, enfim, entregue em um produto simples e fácil de usar.

O Skype Translator Preview funciona apenas no Windows 8.1 e nas versões preliminares do Windows 10. Por ora, o recurso funciona apenas com dois idiomas, inglês e espanhol. Há motivos para crer que outros serão adicionados no futuro – em maio, a primeira demonstração pública foi feita com um interlocutor alemão.

O vídeo abaixo mostra uma conversa real entre duas estudantes, uma na Cidade do México, outra em Tacoma, Washington, nos EUA. A tradução ocorre em tempo real, por duas saídas: texto e áudio. Não foi por acaso que a Microsoft escolheu duas salas de aula para demonstrar o recurso, já que o Skype tem se consolidado como uma importante ferramenta no processo educacional — pelo menos nos EUA.

Embora a conversa por áudio esteja restrita a dois idiomas, o Skype Translator já consegue lidar com 40 idiomas quando o papo se dá por texto. No momento, o programa está em estágio "preview" e acessível apenas mediante convite. Entre aqui para requisitar um – e use o código de registro MTT1724 que, segundo o The Verge, agiliza o recebimento. Ah, e caso se interesse pela parte técnica, este post (em inglês) traz mais detalhes sobre o assunto. Fonte: Gizmodo
Rodrigo Ghedin

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

A Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PRPG) publicou no dia 9 de dezembro de 2014 edital complementar para o processo seletivo do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ecologia Aplicada (PPGECO) da Universidade Federal de Lavras (UFLA). São dez vagas para mestrado e oito para doutorado. As inscrições devem ser feitas até as 18 horas do dia 26/12 neste link.

Além de preencher o formulário de inscrição online, o candidato deve ficar atento aos demais documentos que precisam ser digitalizados e enviados, como o diploma de graduação, o histórico escolar, o currículo Lattes/CNPq, a foto 3×4 e o comprovante de recolhimento da taxa de inscrição. No caso de candidatos ao doutorado, há também a necessidade do envio do diploma de mestrado e de apresentação de uma proposta de pesquisa. A taxa de inscrição tem valor de R$ 80,00. Os pedidos de isenção podem ser feitos até 11/12.

Após encaminhar a documentação pela Internet, a cópia impressa dos originais deve ser entregue na secretaria do PPGECO (Departamento de Biologia, prédio da Ecologia Vegetal). Nesse momento, é necessário incluir os documentos comprobatórios do currículo.

Requisitos para inscrição

O PPGECO atua nas áreas de Ecologia de ambientes aquáticos, Ecologia de insetos, Ecologia de mamíferos e Ecologia de populações e comunidades vegetais. Para concorrer ao mestrado, o interessado deve ser graduado em Ciências Biológicas ou áreas afins. Para o doutorado, além da exigência citada para graduação, solicita-se título de mestrado em Ecologia ou áreas afins.

O processo seletivo

Quem vai se candidatar ao mestrado terá a seguintes etapas do processo seletivo: prova escrita de conhecimentos em Ecologia, prova de Inglês e avaliação do currículo Lattes. Essas provas serão realizadas em 10/2/2015, às 8 horas, nos municípios de Lavras, Belo Horizonte e Viçosa.

Já os interessados em cursar o doutorado pelo Programa passarão por prova de Inglês no dia 11/2/2015, avaliação do projeto de pesquisa, defesa do projeto no dia 12/2/2015 e avaliação do curriculum. A seleção terá provas em Lavras e na Universidade de Lancaster, no Reino Unido.

No dia 19/2/2015 será divulgado o resultado preliminar. As aulas terão início em março de 2015.

Mais informações

Consulte aqui o Edital (arquivo PDF).

Fonte: Universidade Federal de Lavras
Ana Eliza Alvim – Jornalista

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Uma emenda no texto que está sendo discutido no Congresso da Medida Provisória 656/2014 pode criar mais uma obrigação de carregamento de canal na TV por assinatura. A ideia da emenda, sugerida no relatório final do senador Romero Jucá (PMDB/RR), aprovado na Comissão Especial do Senado no dia 10 de dezembro de 2014, é alterar a Lei do SeAC (Lei 12.485/2011) em seu artigo 32 e acrescentar a obrigação de carregamento, para todas as operadoras, de pelo menos dois canais destinados a transmitir programação de interesse do setor agropecuário.

A MP 656 tratava originalmente de algumas desonerações tributárias concedidas pelo governo mas, como é costume, acabou se tornando "ônibus" no Congresso para mais uma série de assuntos estranhos ao objeto inicial da medida do Executivo. Um dos aspectos mais polêmicos introduzidos no debate da MP no Congresso era uma proposta de federalização do processo de inspeção de carnes, o que beneficiaria o Grupo JBS . A oposição conseguiu derrubar, na votação da Comissão Especial, essa emenda.

Acontece que a alteração da Lei do SeAC é outra emenda estranha à MP 656 que também beneficia indiretamente a JBS. O grupo é principal acionista do Canal Rural (adquirido no começo de 2013 do grupo gaúcho RBS pelo valor de R$ 40 milhões). O Canal Rural poderia ser um dos beneficiados pela obrigação de carregamento, assim como o Terraviva, o Agro Brasil TV (Agromix) ou os canais do Sistema Brasileiro do Agronegócio (Canal do Boi, Agrocanal, Conexão BR e NovoCanal).

A redação é cuidadosa ao prever a obrigação de não apenas um, mas dois canais com foco no agronegócio. Ehá alguns detalhes importantes. Pela proposta, esses canais precisam estar disponíveis também na banda C e ter relevância e presença nacional, garantida com a produção de conteúdo diário e regular, com equipes próprias em pelo menos cinco estados da Federação."

Mais do que isso, a emenda exige que estes canais tenham, no mínimo, cinco horas de jornalismo sobre agronegócio em horários bem específicos (6:00 e 8:00, 12:00 e 14:00 e 18:00 e 21:00); ter pelo menos uma hora diária de programação de capacitação e educação "com apoio de entidade ou universidade reconhecida pelo MEC"; e veicular pelo menos uma hora diária de conteúdo cultural destinado ao agronegócio.

A MP ainda precisa ser aprovada pelos plenários da Câmara dos Deputados e do Senado Federal para se tornar lei.

Análise

O precedente é relevante e se for adiante pode ter consequências significativas para o mercado de TV paga. O Artigo 32 da Lei do SeAC não trata de canais de interesse comercial, mas sim de canais de acesso público (canais do Legislativo, Executivo, comunitários, educativos e dos canais abertos).

Obrigar o carregamento de canais que até então eram distribuídos em bases comerciais entre programadoras e operadoras certamente chamará a atenção de outros setores de atividade econômica específica (turismo, indústria automobilística etc), que podem buscar a mesma flexibilidade.

Outro aspecto que chama a atenção na emenda do senador Romero Jucá é que ela exige que os canais tenham distribuição na banda C, o que significa que, em tese, eles já têm assegurada distribuição nacional via satélite, sendo desnecessária uma nova distribuição na TV por assinatura.

O relatório justifica a alteração da Lei do SeAC dizendo que "a medida é relevante para garantir o acesso à informação especializada e qualificada para os participantes de um dos setores econômicos mais relevantes para a economia do Brasil, o agronegócio, importante gerador de divisas externas, empregos e renda", mas não entra na análise técnica nem nos impactos da medida. Tampouco houve audiência pública ou discussão com o setor de TV paga sobre o tema.

Benefício às celulares

Se a inclusão de uma mudança na Lei do SeAC é algo que cria um problema para o setor de telecomunicações, não se pode dizer que a MP 656 seja de todo problemática. Ela também cria uma desoneração do Fistel a equipamentos de transmissão de até 5W, o que permite o barateamento da implantação de small cells, um pleito antigo das operadoras móveis. Este benefício também foi incorporado à MP no relatório do senador Jucá.

Fonte: TeleViva
Samuel Possebon

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Marcelo Marthe conta como essa flor nativa do México se tornou um clássico da decoração natalina. Em seu cultivo natural, o arbusto de até 3 metros floresce no inverno. Mas os produtores brasileiros inventaram um jeitinho de fazê-la formar sua coroa vermelha ou creme em dezembro. Fonte: Veja.com

Compartilhe esta postagem nas redes sociais