Intolerância à lactose e alergia à proteína do leite são problemas presentes em boa parte da população do Brasil e do mundo. Pensando nisso, a Unesp de Araraquara criou a UNISOJA – Unidade de Desenvolvimento e Produção de Derivados de Soja — em 1997. A unidade produz leite de soja e, em parceria com a Prefeitura Municipal de Araraquara, distribui gratuitamente para pessoas da região. Atualmente a UNISOJA atende mais de 600 pessoas por dia. O pesquisador e coordenador da unidade, Elizeu Antônio Rossi, fala sobre as pesquisas e como é a rotina de produção dos alimentos derivados da soja. Ele também explica a produção de alimentos probióticos (organismos vivos benéficos à saúde) como o iogurte de soja, o sorvete de soja e o salame – além da goma de mascar que previne o surgimento de cáries.

Veja este vídeo na TV AGROSOFT:

FONTE: TV Unesp

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Pequenos veículos não tripulados voam sob o céu de Belo Horizonte. São os “drones”, traduzindo melhor “zangões tecnológicos”, que prestam os mais diversos serviços, da fotografia aérea a monitorização de áreas e obras. Uma tendência de mercado que já esbarra no primeiro obstáculo: a falta de regulamentação em nosso país. Vamos ver na reportagem da PUC TV de Minas Gerais.

Veja este vídeo na TV AGROSOFT:

FONTE: Canal Futura

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

O Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgou informações sobre o início da temporada de chuvas no Brasil, de outubro a março, e alertou para o aumento da incidência de raios nas regiões Sul, Nordeste e Norte.

A elevação no número de descargas deverá ocorrer especialmente no final do verão. Já as regiões Sudeste e Centro-Oeste deverão receber raios em incidência levemente abaixo da média.

O Elat também levantou dados sobre mortes causadas por raios em 2014. Até a primeira metade de novembro, 84 pessoas morreram em decorrência do fenômeno. O número é um pouco inferior ao registrado neste mesmo período do ano passado, 88.

Ainda de acordo com o grupo, morreram mais pessoas durante atividades agropecuárias (29%) e dentro de casa (18%), o que indica um desconhecimento dos riscos durante tempestades. Há mais vítimas do sexo masculino (89%) e que viviam em áreas rurais (56%).

Para auxiliar a população a se informar sobre a incidência de raios e os cuidados que devem ser tomados, o Elat reformulou seu site, com novo visual e conteúdo ampliado. De acordo com o grupo, o projeto foi desenvolvido para tornar ainda mais acessíveis os dados sobre raios e tempestades tanto para pesquisadores e estudantes como para o público leigo.

Um dos destaques é a nova ferramenta de busca da média anual de concentração de raios em cidades brasileiras. É possível fazer comparações entre municípios e entender como cada local é atingido.

Ainda com o objetivo de divulgar informações para minimizar acidentes, o Elat lançou também em DVD o filme Fragmentos de Paixão, longa de 2013 sobre o assunto, disponível para compra no site www.scorpiusvideo.com.br.

Também foi criado um concurso de fotografias de raios, que durará todo o ano de 2015. A proposta é divulgar as melhores fotos de cada mês no novo site e, no fim do ano, escolher a imagem mais impressionante, que terá destaque em todos os canais de comunicação do grupo.

Mais informações em www.inpe.br/elat.

FONTE: Agência Fapesp

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Com o avanço da tecnologia em sala de aula, muitas escolas e universidades estão envolvendo mais recursos tecnológicos em sua metodologia, entre eles, videoaulas pela internet. Apesar da disponibilização do conteúdo e da facilidade de acesso, muitos estudantes ainda não aproveitam todo o potencial dessa ferramenta.

Isso acontece porque é normal acreditar que apenas frequentar as aulas e ler os materiais solicitados é suficiente para o aprendizado completo. Na verdade, é preciso encarar as aulas online como um recurso que utiliza uma nova abordagem e, consequentemente, pode trazer novos ângulos sobre a questão estudada.

Uma das vantagens desse tipo de conteúdo é que ele proporciona a oportunidade de rever as matérias quantas vezes for preciso para consolidar o aprendizado. Dessa forma, o aluno também pode se concentrar somente no que o professor está dizendo, sem desviar a atenção para anotar a matéria.

Além disso, algumas instituições disponibilizam, além das palestras, fóruns de debate sobre os tópicos abordados. Essa é outra oportunidade muito boa de aprendizado, já que o aluno pode desenvolver também suas habilidades comunicativas ao interagir com outras pessoas.

Tal característica é útil não somente para aqueles que pretendem desenvolver melhor suas habilidades escritas, mas também para estudantes introvertidos, que se sentiriam desconfortáveis para expressar sua opinião em uma aula presencial. Através da troca de ideias também é possível absorver mais conhecimento, outro grande benefício das aulas online.

Da próxima vez que estiver estudando, considere as aulas online também como um mecanismo válido de ensino, que pode complementar a sua formação.

FONTE: Universia Brasil

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Para manter o consumo consciente de água e ainda sim contar a presença das plantas em casa, o paisagista Marcelo Faisal mostra as espécies que , sem muita água, podem formar jardins e canteiros modernos e bonitos.

Veja este vídeo na TV AGROSOFT:

FONTE: Revista Época

Compartilhe esta postagem nas redes sociais