A Universidade Federal de Lavras (UFLA), o Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (Ifsuldeminas) e a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) promovem, entre 23 e 28 de agosto de 2015, o 19º Congresso Brasileiro de Agrometeorologia na cidade de Lavras (MG).

O tema do evento será “Agrometeorologia no século 21: O desafio do uso sustentável dos biomas brasileiros”. Na programação estão previstas mesas-redondas, workshops e apresentações de trabalhos orais e de pôsteres.

Os organizadores esperam reunir especialistas, pesquisadores, engenheiros, professores, estudantes, empresários, técnicos das áreas de produção e de cooperativas, profissionais de áreas afins, autoridades nacionais e pesquisadores internacionais para analisar, discutir e compartilhar informações sobre os resultados das pesquisas mais recentes que abordam o tema central do evento.

A data-limite para envio dos resumos simples dos trabalhos é 29 de março.

Mais informações: http://ift.tt/1E3PWM2.

FONTE

Agência Fapesp

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Depois dos desligamentos de energia ocorridos no dia 19 de janeiro de 2015, em 11 estados e no Distrito Federal, o governo vai tomar medidas para reforçar a geração de energia no país. Segundo o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga (foto abaixo), serão adicionados 1,5 mil megawatts (MW) ao sistema elétrico da Região Sudeste.

Entre as medidas está a antecipação da entrada em operação de usinas termelétricas da Petrobras, que estão em manutenção preventiva. Até o dia 18 de fevereiro, serão adicionados 867 MW ao sistema. Também será feita a transferência adicional de 300 MW da Usina de Itaipu, o repasse de mais 400 MW de energia para as regiões Sudeste e Centro-Oeste e a ressincronização da Usina Nuclear Angra 1, com despacho parcial entre 100 MW e 200 MW. “Estamos fortalecendo o sistema para que intercorrências como a de ontem tenham ainda um nível maior de segurança”, disse.

O ministro explicou que o problema registrado começou quando houve variação de geração de um gigawatt na linha de transmissão que liga o Nordeste ao Sul do país. Depois disso, várias usinas foram desativadas, sendo que a primeira foi a Usina Governador Ney Braga, no Paraná, administrada pela Copel, com 1,2 mil MW de potência, que foi desligada por atuação indevida da proteção de potência reversa. No entanto, ainda não é possível identificar se esse desligamento foi ocasionado por falha técnica ou humana.

Eduardo Braga ressaltou que se não tivessem sido registrados atrasos em grandes projetos de hidrelétricas como Belo Monte, no Pará, Jirau e Santo Antônio, em Rondônia, a situação atual seria diferente. “Se Belo Monte já estivesse funcionando, se não tivessem tocado fogo no canteiro de Jirau, se não tivesse acontecido nada em Santo Antônio, se todas as obras estivessem funcionando dentro do cronograma, nada disso estaria acontecendo.”

Ele também ressaltou que o país enfrenta um momento de alto rigor no ritmo hidrológico e lembrou que nos dois últimos anos os reservatórios das hidrelétricas trabalharam em regimes extremos. “Em 2015, eles entraram [em funcionamento] com menos água ainda, e as chuvas em janeiro foram extremamente raras, principalmente onde deveriam ocorrer. Mas Deus é brasileiro, temos que contar que ele vai trazer um pouco de chuva para que possamos ter mais tranquilidade ainda”, avaliou o ministro.

O secretário executivo do Ministério de Minas e Energia (MME), Márcio Zimmermann, disse que a falta de energia que ocasionou a paralisação do metrô, em São Paulo, não foi ocasionada pela ocorrência que resultou no desligamento da energia em vários estados. “Foi um problema local, que não tem nada a ver com essa ocorrência”. Segundo ele, quem define as cargas que devem ser desligadas quando há algum problema são as distribuidoras.

FONTE

Agência Brasil
Sabrina Craide – Repórter
Stênio Ribeiro – Edição

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Os sistemas de alimentação devem ser mais inteligentes e mais eficientes para alimentar o futuro, afirmou o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva, durante sua participação no Fórum Global para a Alimentação e a Agricultura, parte da “Semana Verde” em Berlim (Alemanha), no dia 16 de janeiro de 2015.

Uma mudança de paradigma é necessária para substituir o modelo agrícola dos últimos 40 anos, em um mundo que enfrenta alterações provocadas pelas mudanças climáticas e uma disputa acirrada pelos recursos naturais, destacou Graziano. Se o atual ritmo de consumo continuar, em 2050 será necessário 60% a mais de comida, 50% a mais de energia e 40% a mais de água.

Para responder a demanda dos 9 bilhões de habitantes do planeta em 2050, são necessários esforços concentrados e investimentos que promovam essa transição global para sistemas de agricultura e gestão de terra sustentáveis. Estas medidas implicam no aumento de eficiência do uso dos recursos naturais — principalmente a água, energia e terra — mas também na redução considerável de desperdício de alimentos.

Ao abordar o uso de terras para a produção de biocombustíveis, o chefe da FAO ressaltou que é preciso deixar para trás o debate de “comida versus combustível” para alimentar o debate “comida e combustível”. Para ele, graças a experiência angariada nos últimos anos com a tecnologia de produção, os países possuem hoje mais conhecimento para avaliar as oportunidades e riscos do desenvolvimento dessa forma de combustível e, portanto, podem decidir melhor se o seu uso compensa no âmbito social, econômico e em questões ambientais.

FONTE

EcoD

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Terry Myerson, que comanda a divisão de sistemas operacionais na Microsoft, acaba de confirmar que o Windows 10 será gratuito para quem está no Windows 7 ou Windows 8.1. Todos os usuários do Windows Phone 8 também receberão a atualização.

Você poderá baixá-lo de forma gratuita apenas durante o primeiro ano de seu lançamento, mas receberá atualizações durante toda a vida do seu dispositivo. Isso é algo enorme: há 1,5 bilhão de usuários de Windows em PCs, e 650 milhões deles estão no Windows 7.

Myerson diz que, dessa forma, quer ajudar os desenvolvedores a “encontrar o próximo bilhão de usuários com o Windows 10″. Ele também diz: “estamos investindo pesado em tornar nossas atualizações mais fluidas para criar uma grande base de usuários para nossos desenvolvedores”.

Além disso, a Microsoft oficializou algo que vinha prometendo no Twitter: todo dispositivo com Windows Phone 8 ou 8.1 receberá o Windows 10.

FONTE

Gizmodo
Felipe Ventura

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Os sistemas de alimentação devem ser mais inteligentes e mais eficientes para alimentar o futuro, afirmou o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva, durante sua participação no Fórum Global para a Alimentação e a Agricultura, parte da “Semana Verde” em Berlim (Alemanha), no dia 16 de janeiro de 2015.

Uma mudança de paradigma é necessária para substituir o modelo agrícola dos últimos 40 anos, em um mundo que enfrenta alterações provocadas pelas mudanças climáticas e uma disputa acirrada pelos recursos naturais, destacou Graziano. Se o atual ritmo de consumo continuar, em 2050 será necessário 60% a mais de comida, 50% a mais de energia e 40% a mais de água.

Para responder a demanda dos 9 bilhões de habitantes do planeta em 2050, são necessários esforços concentrados e investimentos que promovam essa transição global para sistemas de agricultura e gestão de terra sustentáveis. Estas medidas implicam no aumento de eficiência do uso dos recursos naturais — principalmente a água, energia e terra — mas também na redução considerável de desperdício de alimentos.

Ao abordar o uso de terras para a produção de biocombustíveis, o chefe da FAO ressaltou que é preciso deixar para trás o debate de “comida versus combustível” para alimentar o debate “comida e combustível”. Para ele, graças a experiência angariada nos últimos anos com a tecnologia de produção, os países possuem hoje mais conhecimento para avaliar as oportunidades e riscos do desenvolvimento dessa forma de combustível e, portanto, podem decidir melhor se o seu uso compensa no âmbito social, econômico e em questões ambientais.

FONTE: EcoD

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Depois dos desligamentos de energia ocorridos no dia 19 de janeiro de 2015, em 11 estados e no Distrito Federal, o governo vai tomar medidas para reforçar a geração de energia no país. Segundo o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga (foto abaixo), serão adicionados 1,5 mil megawatts (MW) ao sistema elétrico da Região Sudeste.

Entre as medidas está a antecipação da entrada em operação de usinas termelétricas da Petrobras, que estão em manutenção preventiva. Até o dia 18 de fevereiro, serão adicionados 867 MW ao sistema. Também será feita a transferência adicional de 300 MW da Usina de Itaipu, o repasse de mais 400 MW de energia para as regiões Sudeste e Centro-Oeste e a ressincronização da Usina Nuclear Angra 1, com despacho parcial entre 100 MW e 200 MW. “Estamos fortalecendo o sistema para que intercorrências como a de ontem tenham ainda um nível maior de segurança”, disse.

O ministro explicou que o problema registrado começou quando houve variação de geração de um gigawatt na linha de transmissão que liga o Nordeste ao Sul do país. Depois disso, várias usinas foram desativadas, sendo que a primeira foi a Usina Governador Ney Braga, no Paraná, administrada pela Copel, com 1,2 mil MW de potência, que foi desligada por atuação indevida da proteção de potência reversa. No entanto, ainda não é possível identificar se esse desligamento foi ocasionado por falha técnica ou humana.

Eduardo Braga ressaltou que se não tivessem sido registrados atrasos em grandes projetos de hidrelétricas como Belo Monte, no Pará, Jirau e Santo Antônio, em Rondônia, a situação atual seria diferente. “Se Belo Monte já estivesse funcionando, se não tivessem tocado fogo no canteiro de Jirau, se não tivesse acontecido nada em Santo Antônio, se todas as obras estivessem funcionando dentro do cronograma, nada disso estaria acontecendo.”

Ele também ressaltou que o país enfrenta um momento de alto rigor no ritmo hidrológico e lembrou que nos dois últimos anos os reservatórios das hidrelétricas trabalharam em regimes extremos. “Em 2015, eles entraram [em funcionamento] com menos água ainda, e as chuvas em janeiro foram extremamente raras, principalmente onde deveriam ocorrer. Mas Deus é brasileiro, temos que contar que ele vai trazer um pouco de chuva para que possamos ter mais tranquilidade ainda”, avaliou o ministro.

O secretário executivo do Ministério de Minas e Energia (MME), Márcio Zimmermann, disse que a falta de energia que ocasionou a paralisação do metrô, em São Paulo, não foi ocasionada pela ocorrência que resultou no desligamento da energia em vários estados. “Foi um problema local, que não tem nada a ver com essa ocorrência”. Segundo ele, quem define as cargas que devem ser desligadas quando há algum problema são as distribuidoras.

FONTE: Agência Brasil
Sabrina Craide – Repórter
Stênio Ribeiro – Edição

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

A Universidade Federal de Lavras (UFLA), o Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (Ifsuldeminas) e a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) promovem, entre 23 e 28 de agosto de 2015, o 19º Congresso Brasileiro de Agrometeorologia na cidade de Lavras (MG).

O tema do evento será “Agrometeorologia no século 21: O desafio do uso sustentável dos biomas brasileiros”. Na programação estão previstas mesas-redondas, workshops e apresentações de trabalhos orais e de pôsteres.

Os organizadores esperam reunir especialistas, pesquisadores, engenheiros, professores, estudantes, empresários, técnicos das áreas de produção e de cooperativas, profissionais de áreas afins, autoridades nacionais e pesquisadores internacionais para analisar, discutir e compartilhar informações sobre os resultados das pesquisas mais recentes que abordam o tema central do evento.

A data-limite para envio dos resumos simples dos trabalhos é 29 de março.

Mais informações: www.muz.ifsuldeminas.edu.br/cbagro2015/index.php.

FONTE: Agência Fapesp

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Terry Myerson, que comanda a divisão de sistemas operacionais na Microsoft, acaba de confirmar que o Windows 10 será gratuito para quem está no Windows 7 ou Windows 8.1. Todos os usuários do Windows Phone 8 também receberão a atualização.

Você poderá baixá-lo de forma gratuita apenas durante o primeiro ano de seu lançamento, mas receberá atualizações durante toda a vida do seu dispositivo. Isso é algo enorme: há 1,5 bilhão de usuários de Windows em PCs, e 650 milhões deles estão no Windows 7.

Myerson diz que, dessa forma, quer ajudar os desenvolvedores a “encontrar o próximo bilhão de usuários com o Windows 10?. Ele também diz: “estamos investindo pesado em tornar nossas atualizações mais fluidas para criar uma grande base de usuários para nossos desenvolvedores”.

Além disso, a Microsoft oficializou algo que vinha prometendo no Twitter: todo dispositivo com Windows Phone 8 ou 8.1 receberá o Windows 10.

FONTE: Gizmodo
Felipe Ventura

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

O presidente Barack Obama defendeu, no dia 20 de janeiro de 2015 à noite, que o Congresso americano encerre o embargo econômico e financeiro a Cuba. O apelo ao Legislativo para decidir favoravelmente a Cuba foi feito durante o tradicional discurso do Estado da União, feito pelos presidentes norte-americanos desde 1790.

Além do fim do embargo, Obama pediu o fechamento da prisão americana em Guantánamo, em território Cubano, e denunciou o que chamou de ressurgimento do antissemitismo em relação aos muçulmanos, em certos lugares do mundo.

“Nossa mudança na política em relação a Cuba tem potencial para acabar com um legado de desconfiança no hemisfério”, disse, referindo-se ao anúncio que fez em dezembro sobre a reaproximação com o país e o governo de Raúl Castro, após 50 anos de rompimento das relações diplomáticas.

No discurso proferido à Nação e ao Congresso por quase uma hora, Obama pediu que os congressistas votem o fim do embargo a Cuba. Ele disse ainda que não vai desistir de acabar com a prisão situada na base norte-americana de Guantánamo, em Cuba, conforme havia prometido no início do seu mandato. “É tempo de acabar o trabalho. Estou decidido e não vou desistir até encerramos a prisão”, disse. Ele observou que a prisão não “se justifica” e que não faz sentido mantê-la a um custo de US$ 3 mil por prisioneiro.

No cenário externo, Obama demostrou preocupação com o ressurgimento do antissemitismo em “certas partes do mundo” e condenou os “estereótipos” em relação aos muçulmanos. “Como americanos, respeitamos a dignidade humana. É por isso que continuamos a rejeitar estereótipos que insultem os muçulmanos, cuja grande maioria partilha o nosso compromisso com a paz “, defendeu, referindo-se às manifestações de repúdio ao jornal francês Charlie Hebdo, no começo deste mês, na França.

O discurso foi o primeiro proferido por Obama no Congresso norte-americano depois das eleições legislativas de novembro do ano passado, que deram maioria aos republicanos no Senado e na Câmara dos Deputados.

O presidente também defendeu a igualdade de gênero, destacando que homens e mulheres devem ter salários iguais, e falou do desafio de enfrentar as alterações climáticas.

Sobre o cenário interno, ele lembrou que o país atravessou uma crise em 2008 e que agora passa por um momento de recuperação e de crescimento.

O discurso do Estado da União é uma tradição política nos Estados Unidos e foi feito pela primeira vez em janeiro de 1790, pelo então presidente George Washington.

Governo brasileiro parabeniza discurso de Obama pelo fim do embargo a Cuba

O governo brasileiro parabenizou o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, por ter ressaltado em seu discurso sobre o Estado da União, a necessidade de trabalhar para acabar com o embargo imposto a Cuba. Durante o tradicional discurso, feito pelos presidentes norte-americanos desde 1790, Obama defendeu que o Congresso americano encerre o embargo econômico e financeiro a Cuba.

Por meio de nota do Itamaraty, o governo informou que “o Brasil saúda esse passo positivo na desejada normalização das relações hemisféricas e no relacionamento entre os Estados Unidos da América e Cuba, dois países com os quais mantém relações históricas de amizade e parceria”.

Em dezembro, Cuba e Estados Unidos anunciaram a retomada de suas relações diplomáticas, após 50 anos de rompimento. O episódio foi denominado por alguns como o último resquício da Guerra Fria.

Além do fim do embargo, Obama pediu o fechamento da prisão americana em Guantánamo, território Cubano. “Nossa mudança na política em relação a Cuba tem potencial para acabar com um legado de desconfiança no hemisfério”, disse, referindo-se ao anúncio que fez em dezembro sobre a reaproximação com o país e o governo de Raúl Castro.

FONTE: Agência Brasil
Leandra Felipe – Correspondente e Danilo Macedo – Repórter
Graça Adjuto e Armando Cardoso – Edição

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Pesquisadores brasileiros e estrangeiros vão se reunir em Campinas (SP), nos dias 12 e 13 de fevereiro de 2015, para apresentar resultados de pesquisa que demonstram o real impacto dos sistemas de produção animal na América Latina em relação ao efeito estufa e tecnologias para redução de emissões e adaptação da pecuária às novas condições climáticas. Os dados serão divulgados durante o workshop internacional a respeito dos impactos da produção animal sobre as mudanças climáticas, que ocorre na Embrapa Informática Agropecuária.

Pesquisas indicam que o manejo adequado da pastagem, o aumento da produtividade e a consequente redução da demanda por novas áreas de pastagens têm contribuído para uma pecuária brasileira mais sustentável, com redução, principalmente, das emissões de gases de efeito estufa. Os relatos de pesquisa apresentados no workshop devem confirmar estas informações e estabelecer os índices mais atualizados a respeito do tema.

Tecnologias já disponíveis permitem o aumento do sequestro de carbono no solo, como a recuperação de pastagens degradadas e o sistema de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF). No caso da redução da emissão de metano, ela ocorre, por exemplo, quando o produtor faz a suplementação do gado com concentrado, fornece forragem de melhor qualidade e utiliza boas práticas de manejo animal. Além da redução da emissão dos gases de efeito estufa, a adoção dessas e outras tecnologias tem a vantagem de aumentar a eficiência dos sistemas de produção e, consequentemente, melhorar o retorno financeiro para o pecuarista.

A programação inclui projeções climáticas para a América Latina em diferentes cenários e suas implicações para o setor de produção animal, estratégias de adaptação e mitigação, perspectivas socioeconômicas, de inventário e políticas, além de definição de estratégias para o setor de produção animal com foco na adaptação às mudanças climáticas, redução das emissões de gases de efeito estufa e aumento da produtividade.

O evento é uma ação do projeto internacional AnimalChange, realizado em parceria com a Embrapa. O público-alvo são profissionais das áreas de pesquisa, indústria, extensão e formulação de políticas públicas.

Em 2015, mudanças climáticas devem ser um dos principais temas de debate entre cientistas em todo o mundo, já que, em dezembro, na França, será discutido um novo acordo sobre o clima. Os impactos da agropecuária e alternativas de mitigação de emissões de gases de efeito estufa (GEE) devem fazer parte dessa agenda de debates.

Inscrições

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pela Internet até 27 de janeiro.

Mais informações sobre o workshop podem ser consultadas neste link.

AnimalChange

O projeto de pesquisa AnimalChange reúne cientistas da Europa, África, Ásia e Brasil para integrar opções para a produção animal sustentável. O programa tem o objetivo de quantificar a emissão de gases do efeito estufa em várias regiões do planeta e em diferentes sistemas de produção.

Liderado no País pela Embrapa Informática Agropecuária, é integrado pela Embrapa Agrobiologia (Seropédica/RJ), Embrapa Amazônia Ocidental (Manaus/AM), Embrapa Amazônia Oriental (Belém/PA), Embrapa Cerrados (Planaltina/DF), Embrapa Gado de Corte (Campo Grande/MS), Embrapa Pantanal (Corumbá/MS) e Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos/SP).

Anote na Agenda

Workshop Produção Animal e Mudanças Climáticas na América Latina
(Livestock and Climate Change Workshop)
Data: 12 e 13 de fevereiro de 2015
Local: Embrapa Informática Agropecuária
Endereço: Av. André Tosello, 209 – Campus Unicamp / Barão Geraldo – Campinas/SP

FONTE: Embrapa Pecuária Sudeste
Gisele Rosso – Jornalista
Telefone: (16) 3411-5625

Embrapa Informática Agropecuária
Nadir Rodrigues – Jornalista
Telefone: (19) 3211-5747

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

A pesquisa genética atua em várias vertentes, inclusive na busca pelo conhecimento dos genes de um sequencia de DNA que permite o aperfeiçoamento de características das espécies. Pela primeira vez, uma associação internacional de cientistas de 11 países sequenciou o genoma completo do café da espécie canephora. Para falar sobre genoma do café feito no Brasil, suas aplicações, vantagens e os benefícios para o consumidor final, o programa recebe Alan Andrade, pesquisador da Embrapa.

Veja este vídeo na TV AGROSOFT:

FONTE: TV NBR

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

O cenário das energias renováveis no Brasil e na América Latina, a economia do biogás e a modelagem de negócios e avaliação de projetos em agroenergia (biogás) são alguns dos temas abordados no Curso de Atualização em Energias do Biogás promovido pelo Centro Internacional de Energias Renováveis – Biogás (CIBIogás-ER) com parceria da Embrapa, empresa de pesquisa agropecuária vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

O curso oferecido em português e espanhol é feito integralmente a distância, com carga horária de 110 horas (cerca de 3 meses), com tutoria. As inscrições estão abertas até o dia 15 de fevereiro de 2015 e podem ser feitas pela internet, preenchendo um formulário online disponível neste link.

O investimento é de R$ 190,00 e as aulas iniciam no dia 23 de fevereiro.

Outras informações pelo e-mail contatoead@cibiogas.org ou pelo telefone (45) 3576-7022.

FONTE: Embrapa Suínos e Aves
Lucas Scherer Cardoso – Jornalista
Telefone: (49) 3441-0454

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

O curso de Computação Aplicada, nível mestrado, da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), é direcionado a duas linhas de pesquisa, modelagem computacional aplicada (7 vagas) e computação, automação e gestão de dados em agricultura (8 vagas). O mestrado em Engenharia Sanitária e Ambiental, na área de concentração em Saneamento Ambiental e Recursos Hídricos, também da UEPG, é direcionado às linhas de recursos hídricos e meio ambiente e tratamento de água e águas residuais, com total de 18 vagas. Os programas de mestrado permanecem com inscrições abertas até dia 31 de janeiro de 2015.

Para se inscrever o candidato deverá preencher um formulário online e entregar pessoalmente ou via Sedex o currículo impresso, juntamente com os documentos pedidos no local indicado. A ficha de inscrição para os mestrados em Computação Aplicada e em Engenharia Sanitária e Ambiental está disponível em sistemas.uepg.br/stricto/inscricao.

A entrega dos documentos deve ser feita na Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação – Divisão de Pós-Graduação, Câmpus Universitário de Uvaranas, no caso do curso em Computação Aplicada e na Secretaria Acadêmica dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental, para o curso de Engenharia Sanitária e Ambiental.

Até o dia 5 de fevereiro estão abertas as inscrições para o Programa de Mestrado em Engenharia e Ciências de Materiais nas linhas de pesquisa de Processamento de Materiais, Caracterização de Materiais e Degradação e Meio Ambiente.

Para se inscrever o candidato deverá preencher a ficha de inscrição disponível neste link e entregar uma cópia da ficha juntamente com os documentos exigidos na Secretaria Acadêmica de Pós-Graduação Stricto Sensu, no Centro Interdisciplinar de Pesquisa e Pós-Graduação – CIPP, Campus Universitário de Uvaranas.

Resultados

Engenharia Sanitária e Ambiental – Será divulgado no dia 20 de fevereiro. As matrículas deverão ser feitas nos dias 25, 26 e 27 de fevereiro.

Computação Aplicada – Acontece em 26 de fevereiro e o período de matrículas ocorrerá do dia 2 a 5 de março.

Engenharia e Ciências de Materiais – Ocorre no dia 27 de fevereiro e a matrícula acontece no período de 2 a 4 de abril.

FONTE: Agência de Notícias do Paraná

Compartilhe esta postagem nas redes sociais