Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Embora o Brasil não tenha histórico de abalos sísmicos de alta magnitude, o fenômeno precisa ser constantemente monitorado pelos geofísicos. O mapa sismológico foi atualizado por pesquisadores do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP e incluiu novas regiões brasileiras onde os tremores de terras podem ser mais frequentes.

Fonte: TV USP

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.