Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O Observatório Europeu do Sul, o maior consórcio de pesquisa em Astronomia do mundo, rescindiu contrato com o governo brasileiro, após esperar por sete anos que o país pagasse pelo contrato de participação. Confira os impactos desta ruptura para o país.

Fonte: Canal Futura

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Tempo de campanha, debates televisivos e financiamento eleitoral estão entre uma série de mudanças que afetarão eleitores e candidatos este ano. Neste vídeo da série Sua Política, a repórter Angela Boldrini explica o que caracteriza tais alterações e antecipa regras que valerão para as eleições deste ano.

Fonte: TV Folha

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
A Comissão de Defesa do Consumidor aprovou um projeto que proíbe as operadoras de celular de fazer contratos com tempo mínimo de duração, a chamada fidelização. O objetivo é dar liberdade para que os consumidores possam trocar de operadora quando bem entenderem. O projeto ainda precisa ser analisado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Se for aprovado, segue para análise do Senado.

Fonte: Câmara dos Deputados

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Num mundo cada vez mais conectado, é difícil encontrar crianças que não estejam com os olhos grudados na tela de celulares ou tablets. Mas o que pode ser uma distração para eles e um momento de alívio para pais cansados, também pode prejudicar o desenvolvimento da criança quando utilizados em excesso.

Fonte: TV Câmara São Paulo

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
A viola de dez cordas conquistou espaço na música popular brasileira e, ainda hoje, cativa novas gerações de músicos como a violeira Letícia Leal. Mas como foi que esse instrumento chegou ao Brasil? E por que recebeu o nome de “viola caipira”? As explicações vem do mestre pela UFMG, Renato Caetano.

Fonte: TV UFMG

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Parasitas podem ajudar a indicar a qualidade da água dos rios que abastecem as cidades. Uma parceria entre Universidade Estadual de Maringá (UEM) e UniCesumar pesquisa essa possibilidade e os impactos para a comunidade.

Fonte: UEM TV

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Além das lagartas, os percevejos são outro grupo de pragas que trazem prejuízos econômicos aos agricultores. O monitoramento desses insetos, a identificação das espécies presentes no campo e o nível de dano que eles provocam são imprescindíveis para auxiliar o produtor no manejo dessa praga.

Fonte: Emater/RS-Ascar

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
O complexo de lagartas que se alimenta de folhas e os percevejos que sugam os grãos estão entre as principais pragas que atacam a soja. Quando atingem populações elevadas, as lagartas são capazes que de causar perdas significativas no rendimento da cultura. É preciso estar atento ao manejo dessas pragas.

Fonte: Emater/RS-Ascar

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
A convivência com os insetos-pragas na cultura da soja é um desafio constante para quem está no campo. Um dos aliados dos agricultores é o manejo integrado de pragas, o MIP. Essa metodologia incentiva o produtor a adotar critérios técnicos para manejar as pragas. Isso garante produtividade com menor investimento.

Fonte: Emater/RS-Ascar

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Boletim de previsão do tempo para o dia 23 de maio de 2018 contendo informações sobre as imagens de satélite, previsão, temperatura mínima e máxima prevista e a tendência do tempo para os próximos dias.

Fonte: Climatempo Meteorologia

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Clique na imagem para ver o vídeo
0.jpg
Entre 1060 e 1980 o Brasil sofreu intenso processo de êxodo rural. Trabalhadores do campo, prejudicados pela mecanização da produção agrícola, se deslocaram para as cidades em busca de novas oportunidades. Nas décadas seguintes, a população urbana continuou crescendo. Segundo o IBGE está tendência deve se manter até 2043.

Fonte: TV UFG

Compartilhe esta postagem nas redes sociais