Um dos roteiros da Dinapec que encerrou nesta sexta-feira, 22, tratou do SaniCerto, um programa de Saúde Animal elaborado pelos pesquisadores da Embrapa que foi lançado nesta ocasião. O primeiro curso foi inaugurado na Dinapec e a presença do público surpreendeu os organizadores. Segundo a coordenadora do curso, pesquisadora Vanessa Felipe, sentiu um público ávido por informações e interessados em fazer um trabalho sanitário correto. “As pessoas que participaram no primeiro período também compareceram à tarde, para mim uma demonstração de interesse no assunto. Elas estavam atentas, fizeram perguntas e tiraram dúvidas.
[more]
Foi muito gratificante apresentar para este público que pensa em adotar os procedimentos na propriedade”, declara.  Ainda, segundo Vanessa, o SaniCerto foi pensado em facilitar o trabalho nas fazendas e “é a melhor maneira de gerenciar os manejos das propriedades para prevenir perdas causadas por doenças nos bovinos”.

A duração do curso foi de 8 horas com apresentações nos períodos da manhã e a tarde. Dividido entre seis pesquisadores da área de sanidade animal da Embrapa e um sanitarista da Iagro, o curso foi dinâmico e prendeu a atenção dos participantes que receberam informações sem pagar nada. A Embrapa deverá realizar dois cursos por ano. O próximo será ainda neste semestre, informa a coordenadora Vanessa.

O SaniCerto está fundamentado no Calendário para manejos reprodutivo, sanitário e zootécnico disponível no site da Embrapa Gado de Corte (https://cloud.cnpgc.embrapa.br/cmrsz2017/). O conteúdo do curso inclui informações sobre a importância do calendário, como implantá-lo, como planejar os manejos (estação de monta, exame andrológico, diagnóstico de gestação, descarte de matrizes, cuidados com a vaca prenhe e com os bezerros). Além disso, no curso os pesquisadores orientam o controle de ecto e endoparasitos e vacinas para proteção contra doenças produtivas e reprodutivas. Eles abordam também, investimento e retorno financeiro.

O SaniCerto foi idealizado a partir do estudo científico das ocorrências das principais doenças que causam prejuízos em produção de gado de corte. Sua principal vantagem é que, com base nas recomendações é possível colocar em prática, de forma planejada, gradual e organizada, inúmeras ações que tem como objetivo contribuir para a melhoria da qualidade do produto final e o aumento da produção.

Ministra participa do encerramento da Dinapec avaliado como muito positivo pelos organizadores

Ao final do evento a Embrapa recebeu a visita da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que conhece bem os trabalhos da Embrapa. Em seu discurso a ministra falou do potencial do Brasil na produção de alimentos salientando a importância das pesquisas da Embrapa e seu papel para o desenvolvimento agropecuário. Participou do final do Encontro dos Jovens da Agropecuária ao qual se disse satisfeita em ver os jovens inseridos no agronegócio e visitou a Feira. Passou nos estandes da Famasul, Senar, Agraer, conheceu os trabalhos voltados para a agricultura familiar bem como de pesquisas oferecidos pela Embrapa e parceiros nas oficinas e roteiros. Uma das paradas foi no estande da Pecuária de Precisão onde a ministra ouviu explicações do pesquisador Pedro Paulo Pires sobre a tecnologia, equipamentos e softwares.   

Para os participantes da Dinapec o evento foi positivo e este ano atraiu mais os produtores rurais. O pesquisador Ademir Zimmer que falou sobre estabelecimento de pastagens em um dos roteiros comentou que o público deste ano estava mais focado nas questões de seu interesse. Outro pesquisador que avaliou positivamente a Dinapec foi o Pedro Paulo que abordou Pecuária de Precisão. “Neste ano o tema foi bem procurado por produtores, mais que no ano passado”. O pesquisador atribui esta maior procura pela divulgação feita por estagiários, bolsistas e assistentes que passaram pela Embrapa e que hoje estão trabalhando com produtores diretamente ou via associação e que divulgaram o trabalho despertando interesse da classe produtora.

A coordenadora do evento e chefe de transferência de tecnologia, Thais Amaral, disse que a Dinapec superou suas expectativas. “Tivemos um público de 3.500 pessoas e com um diferencial importante este ano, que foi o aumento de produtores visitando a Dinapec e procurando por tecnologias e informações diversas.” O sucesso de público Thais Amaral atribuiu também às empresas parceiras presentes na feira que fizeram uma boa divulgação entre seus clientes. “Estou satisfeita com o resultado porque nosso objetivo foi alcançado”, disse a pesquisadora que anunciou a decisão tomada pela chefia da Unidade de que a Dinapec passará a ser bianual, ou seja, o próximo evento irá acontecer em 2021 com uma melhor estrutura, maior número de parceiros e de atrações técnicas para o produtor.

Um dos roteiros da Dinapec que encerrou nesta sexta-feira, 22, tratou do SaniCerto, um programa de Saúde Animal elaborado pelos pesquisadores da Embrapa que foi lançado nesta ocasião. O primeiro curso foi inaugurado na Dinapec e a presença do público surpreendeu os organizadores. Segundo a coordenadora do curso, pesquisadora Vanessa Felipe, sentiu um público ávido por informações e interessados em fazer um trabalho sanitário correto. “As pessoas que participaram no primeiro período também compareceram à tarde, para mim uma demonstração de interesse no assunto. Elas estavam atentas, fizeram perguntas e tiraram dúvidas. Foi muito gratificante apresentar para este público que pensa em adotar os procedimentos na propriedade”, declara.  Ainda, segundo Vanessa, o SaniCerto foi pensado em facilitar o trabalho nas fazendas e “é a melhor maneira de gerenciar os manejos das propriedades para prevenir perdas causadas por doenças nos bovinos”.

A duração do curso foi de 8 horas com apresentações nos períodos da manhã e a tarde. Dividido entre seis pesquisadores da área de sanidade animal da Embrapa e um sanitarista da Iagro, o curso foi dinâmico e prendeu a atenção dos participantes que receberam informações sem pagar nada. A Embrapa deverá realizar dois cursos por ano. O próximo será ainda neste semestre, informa a coordenadora Vanessa.

O SaniCerto está fundamentado no Calendário para manejos reprodutivo, sanitário e zootécnico disponível no site da Embrapa Gado de Corte (https://cloud.cnpgc.embrapa.br/cmrsz2017/). O conteúdo do curso inclui informações sobre a importância do calendário, como implantá-lo, como planejar os manejos (estação de monta, exame andrológico, diagnóstico de gestação, descarte de matrizes, cuidados com a vaca prenhe e com os bezerros). Além disso, no curso os pesquisadores orientam o controle de ecto e endoparasitos e vacinas para proteção contra doenças produtivas e reprodutivas. Eles abordam também, investimento e retorno financeiro.

O SaniCerto foi idealizado a partir do estudo científico das ocorrências das principais doenças que causam prejuízos em produção de gado de corte. Sua principal vantagem é que, com base nas recomendações é possível colocar em prática, de forma planejada, gradual e organizada, inúmeras ações que tem como objetivo contribuir para a melhoria da qualidade do produto final e o aumento da produção.

Ministra participa do encerramento da Dinapec avaliado como muito positivo pelos organizadores

Ao final do evento a Embrapa recebeu a visita da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que conhece bem os trabalhos da Embrapa. Em seu discurso a ministra falou do potencial do Brasil na produção de alimentos salientando a importância das pesquisas da Embrapa e seu papel para o desenvolvimento agropecuário. Participou do final do Encontro dos Jovens da Agropecuária ao qual se disse satisfeita em ver os jovens inseridos no agronegócio e visitou a Feira. Passou nos estandes da Famasul, Senar, Agraer, conheceu os trabalhos voltados para a agricultura familiar bem como de pesquisas oferecidos pela Embrapa e parceiros nas oficinas e roteiros. Uma das paradas foi no estande da Pecuária de Precisão onde a ministra ouviu explicações do pesquisador Pedro Paulo Pires sobre a tecnologia, equipamentos e softwares.   

Para os participantes da Dinapec o evento foi positivo e este ano atraiu mais os produtores rurais. O pesquisador Ademir Zimmer que falou sobre estabelecimento de pastagens em um dos roteiros comentou que o público deste ano estava mais focado nas questões de seu interesse. Outro pesquisador que avaliou positivamente a Dinapec foi o Pedro Paulo que abordou Pecuária de Precisão. “Neste ano o tema foi bem procurado por produtores, mais que no ano passado”. O pesquisador atribui esta maior procura pela divulgação feita por estagiários, bolsistas e assistentes que passaram pela Embrapa e que hoje estão trabalhando com produtores diretamente ou via associação e que divulgaram o trabalho despertando interesse da classe produtora.

A coordenadora do evento e chefe de transferência de tecnologia, Thais Amaral, disse que a Dinapec superou suas expectativas. “Tivemos um público de 3.500 pessoas e com um diferencial importante este ano, que foi o aumento de produtores visitando a Dinapec e procurando por tecnologias e informações diversas.” O sucesso de público Thais Amaral atribuiu também às empresas parceiras presentes na feira que fizeram uma boa divulgação entre seus clientes. “Estou satisfeita com o resultado porque nosso objetivo foi alcançado”, disse a pesquisadora que anunciou a decisão tomada pela chefia da Unidade de que a Dinapec passará a ser bianual, ou seja, o próximo evento irá acontecer em 2021 com uma melhor estrutura, maior número de parceiros e de atrações técnicas para o produtor.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais