Uma iniciativa pioneira da Embrapa em Rondônia pode contribuir para reduzir o tempo e os custos inerentes aos programas de melhoramento genético do café. A ação utiliza o conhecimento e a experiência dos produtores da região para selecionar as variedades genéticas mais adaptadas e produtivas. O Programa de Melhoramento Participativo do Café reúne pesquisa e setor produtivo e, de acordo com os cientistas envolvidos, tem potencial para alavancar a cafeicultura em toda a região Amazônica.

Como vai funcionar

Durante quatro safras de produção, serão avaliados cerca de 60 clones de café canéfora (conilon e robusta).
[more]Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais