Texto produzido por Faemg

Mobilizadores das entidades cooperadas ao Sistema Faemg/Senar Minas estiveram reunidos em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, nesta quinta (21) e sexta-feira (22). Cerca de 26 profissionais participaram do Encontro de Mobilizadores e receberam orientações da assessora pedagógica do Senar Minas Mirian Rocha (de pé, na foto abaixo), que ressaltou qual é o papel do mobilizador e falou sobre as reformulações que estão acontecendo no Sistema.

“O objetivo é passar para os mobilizadores todas as mudanças pelas quais o Sistema Faemg/Senar Minas está passando e quais são as propostas de trabalho para os próximos anos.

[pmore]

Especialmente aqui em Valadares, falamos sobre programas especiais do nosso Sistema e a importância deles, principalmente o Programa Jovem no Campo. Sabemos da existência de regiões carentes aqui e precisamos investir nestes jovens rurais e desperta-los para o empreendedorismo”, explicou Mirian Rocha.

“No primeiro dia falamos sobre as alterações do manual de orientações e também sobre os programas especiais. Nesta sexta-feira, explicamos sobre as normas de mobilização, instrutória/supervisão, e mais sobre o Projeto Mobilizar Bem, que é voltado para capacitar o mobilizador para o levantamento das demandas dos próximos anos”.

Destaques

O encontro reuniu novos mobilizadores e aqueles que já fazem parte do sistema há vários anos. É o caso de Robério Francisco Costa, que atua como mobilizador pelo Sindicato dos Produtores Rurais de Mantena, desde a fundação do Senar Minas, em 1993, e foi homenageado durante o evento pos todo esse tempo de dedicação.

“Neste ano, completo 26 anos de atuação. E tenho um orgulho muito grande desse trabalho porque o Senar Minas surgiu para levar ensinamentos aos trabalhadores e produtores rurais e proporcionar mais conhecimento ao homem do campo. Faço um balanço positivo de todos estes anos. Foram várias etapas superadas, inúmeros cursos realizados e o mais importante, muita gente satisfeita, pessoas que permaneceram no campo, trabalhando, produzindo com base naquilo aprenderam nos cursos do Senar”, disse Robério.

Robério, recebendo o presente de Mírian Rocha

Sobre as mudanças informadas durante o encontro, o veterano foi categórico: “No início, elas [as mudanças] geram algumas reações, mas vamos coloca-las em prática para seguirmos com essa expectativa de um futuro melhor para os nossos trabalhadores e produtores rurais”.

Ainda durante esta sexta-feira, o gerente regional do Senar Minas em Valadares, Ulisses Silveira Costa, chamou a atenção para uma dupla de mobilizadores que se destacou pelo número de cursos promovidos durante 2018, pelo que também foram homenageados. Samuel Gonçalves Batista e Wagner Teixeira Pinto são do Sindicato dos Produtores Rurais de Caratinga e suas extensões de base. Nas 10 regionais do Senar Minas em todo o estado, eles ficaram em primeiro lugar, com 244 eventos ano passado.

“Estamos muito contentes, para nós foi uma surpresa muito positiva. O Wagner e eu temos uma parceria que funciona, nos damos muito bem e dividimos entre nós a mobilização do Sindicato Rural de Caratinga e suas extensões de base”, afirmou Samuel Batista.

“Acredito que o sucesso dessa parceria vem do conhecimento que a gente busca sobre as culturas da região, as características dos produtores rurais e dos trabalhos desenvolvidos por eles. A partir disso a gente começa a estudar e ver junto a eles as demandas existentes na região, os pontos fortes e fracos dentro das suas propriedades e só depois disso, solicitamos os treinamentos, os cursos que vão agregar conhecimento e trazer a satisfação para esses produtores rurais”, explica Wagner Teixeira.

A assessora Mírian, os mobilizadores Wagner e Samuel, e o gerente regional Ulisses

O presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Governador Valadares, e vice-presidente do Sistema Faemg, Afonso Luiz Bretas, fez a abertura do evento na quinta-feira (21) e deu as “boas-vindas” aos mobilizadores. Também participaram do encontro as assistentes da regional do Senar Minas em Governador Valadares, Aline Berbert e Bruna Castro; e Wilson Moura, consultor de novos negócios do Sistema Faemg que promoveu o encerramento do evento.

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Texto produzido por Faemg

O curso de Cultivo de Cogumelo passou por revisão e agora conta com as espécies Champion Paris e Portobello, Shimeji e Shitake. Além disso, foi retirado o conteúdo de compostagem, uma vez que demandava mais do que as 40 horas de carga horária.

As atividades foram desenvolvidas na sede do Sistema Faemg / Senar Minas pelos instrutores Gilmar Medeiros e Marcos Hermeto, acompanhados pelo analista técnico da Coordenadoria de Formação Profissional Rural (FPR) do Senar, Harrison Belico, e epal analista Cristiane Trigueiro, da Assessoria Pedagógica.

A mudança vem para atender a crescente procura pelos produtos, aliado também ao crescimento do veganismo e vegetarianismo.

[pmore]

O cogumelo, por ser um alimento com alto valor proteico, é uma boa substituição para a carne. Além disso, é um produto facilmente cultivado e pode utilizar áreas que não estavam mais sendo usadas, por exemplo dentro de uma mata ou um galinheiro desativado.

Gilmar Medeiros, instrutor do credenciado do Senar, diz que o objetivo do curso é levar ao produtor uma nova opção de renda e uma alternativa de aproveitamento de resíduo. “Depois do cultivo, o resíduo pode voltar para a cultura dele como forma de adubo orgânico. A ideia é agregar valor na produção e aproveitar melhor os resíduos”.

A produção de cogumelo demanda pouco espaço e pode integrar mais produtores em uma cadeia, como explica a analista técnica da FPR Senar, Marília Saraiva: “Tem muitos produtores que plantam eucalipto, que é uma forma de comercializar essa madeira para substrato dos cogumelos. Também há uma grande demanda para o turismo de experiência, no qual o turista compra seus cogumelos e gosta de ir nas fazendas conhecer a produção”.

Gilmar também explica que o público alvo do curso é a pessoa que quer agregar valor ao seu produto, ter uma nova opção de renda e promover a diversificação de produção, sem esquecer da saúde.

A partir da esquerda: Harrison Belico, Marília Saraiva, Gilmar Medeiros, Marcos Hermeto e Cristiane Trigueiro

Junto à revisão de conteúdo do curso de Cultivo de Cogumelo, também foram feitas revisões nos cursos de Hidroponia e Administração Rural durante esta semana.

 

Compartilhe esta postagem nas redes sociais