12ª SEMANA DE INTEGRAÇÃO TECNOLÓGICA TEM INÍCIO EM SETE LAGOAS

Fonte: Embrapa

Em sua 12ª edição, a Semana de Integração Tecnológica acontece em Sete Lagoas, de 20 a 24 de maio, e apresenta o tema “Bioeconomia na Agropecuária: do Conhecimento à Inovação”. A solenidade de abertura contou com lançamentos de tecnologias, assinaturas de acordo de cooperação técnica entre instituições e reflexões sobre a importância da pesquisa agropecuária pública.

A semana tem o objetivo de integrar os vários setores que compõem o segmento agropecuário de Minas Gerais e promover o diálogo e a troca de experiências entre produtores rurais, pesquisadores, técnicos de extensão rural, universidades e empresas agropecuárias.




Neste ano, comemora os mais de 17 mil participantes em todas as edições.

Na solenidade, compareceram representantes dos meios científico e agropecuário, como o ex-ministro da Agricultura Alysson Paolinelli, a secretária de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Ana Maria Soares Valentini, o diretor-presidente da Emater-MG Gustavo Laterza, o presidente em exercício da Epamig Trazilbo José de Paula Júnior, o chefe do Departamento de Ciências Agrárias da UFSJ Édio Luiz da Costa, prefeitos de municípios da região e outras lideranças.

O chefe-geral da Embrapa Milho e Sorgo Antônio Álvaro Corsetti Purcino agradeceu a presença dos empregados, colaboradores e parceiros que se empenharam para a realização da SIT. Ele mencionou que, com o passar dos anos, a semana ultrapassou os limites regionais. “Estamos cada vez mais envolvendo novas parcerias e trazendo novos desafios para orientar nosso grupo de pesquisas e de transferência de tecnologias. Nossas ações buscam contribuir para o desenvolvimento do agronegócio mineiro. Este ano já tivemos mais de 23 mil visitas em nosso site. E esperamos superar o público de 2018, que foi superior a três mil pessoas”.

O coordenador do evento, Fredson Ferreira Chaves, ressaltou que a SIT é uma oportunidade de transferência de tecnologia, negociação e parceria com as instituições. “A SIT iniciou em 2008 e vem crescendo a cada edição. Em 2019, nós contamos com a participação de mais de cinco estados da nossa Federação. Só de Minas Gerais são 50 municípios”.

Chaves ressaltou a importância da mobilização de público por todos os parceiros. “O Senar confirmou um grupo de 400 produtores das mais diversas regiões de Minas. Teremos também a presença de 80 extensionistas da Emater. Já a Epamig, a cada ano, aumenta a participação de sua equipe e realizará o Dia de Campo da Pecuária Leiteira, na Fazenda Santa Rita”.

Por sua vez, a Universidade Federal de São João del-Rei, presente desde a primeira edição, comemora 10 anos de existência em Sete Lagoas.  “Almejamos que esta semana integre o calendário acadêmico da universidade”, pontuou o coordenador.

A secretária de Estado da Agricultura, Ana Maria Soares Valentini, destacou que entre os ganhos que a SIT traz está a integração dos setores que compõe o segmento agropecuário de Minas Gerais. “Como produtora rural, eu sei que esta oportunidade é ímpar para estabelecermos diálogos com especialistas que têm contribuído para que a agricultura tropical seja uma referência na produção de alimentos. De acordo com dados da FAO, em 2050, o mundo precisará produzir mais 70 do que produz hoje, para alimentar uma população mundial de aproximadamente 9,1 bilhões de pessoas. Para suprir esta demanda crescente de alimentos é necessário investir em tecnologias, para caminharmos para a próxima revolução verde. Temos que aproximar a agricultura 4.0 dos produtores, ou seja, propagar o uso de drones, satélites, de sensores. Compreender e adotar como rotina a internet das coisas e tantas outras inovações que estão por vir. E não deixar em nenhum momento de nos preocuparmos com as mudanças climáticas”, disse.

Em relação à pesquisa, Valentini explanou sobre sua experiência Programa de Desenvolvimento para o Cerrado. Na época, a Embrapa, a Epamig e as Universidades, com apoio da extensão rural, disponibilizaram tecnologias que foram um grande incentivo para que os produtores pudessem produzir na região. “Esta integração levou o Brasil a um patamar diferenciado na produção de grãos, consequentemente promoveu o desenvolvimento da produção de proteína animal”, afirmou.

Aquecimento global

Ao final da solenidade, um dos maiores especialistas em estudos sobre aquecimento global, o cientista Carlos Afonso Nobre, pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), apresentou a palestra “Mudanças climáticas, agricultura e sustentabilidade”. Carlos Nobre é considerado uma das referências no País, na área de mudanças climáticas globais.

Segundo ele, as flutuações das mudanças climáticas são impactantes para a agricultura, e os extremos estão ficando mais frequentes. “É uma realidade que já existe”, afirmou.

Entre as soluções citadas pelo cientista estão as tecnologias do Plano Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (Plano ABC) e do Plano Nacional de Recuperação Vegetal Nativa (Planaveg). O Plano ABC é composto por sete programas, incluindo a recuperação de pastagens degradadas e a Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF). “Os sistemas ILP e ILPF apresentam enorme potencial para tornar a agricultura e a pecuária adaptáveis às mudanças climáticas. O sombreamento proporcionado pelo sistema ILPF pode aumentar a produção de carne entre 100 gramas e 200 gramas por dia, e a produção de leite em torno de dois e meio por cento”, enfatizou Nobre.

Termo de Cooperação Técnica

A Embrapa Milho e Sorgo firmou Termo de Cooperação Técnica com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG). Este acordo, denominado “Socialização do conhecimento em sistemas integrados de produção agropecuária nos Vales do Médio Jequitinhonha, Baixo Jequitinhonha e Alto Rio Pardo”, busca incentivar a adoção dos princípios de Boas Práticas Agrícolas.

“Este trabalho promoverá soluções não só para o Nordeste de Minas, mas para todo o Estado”, disse o presidente da Emater, Gustavo Laterza de Deus.

Lançamento de produto e Vitrine de Tecnologias

Na oportunidade, a Embrapa lançou uma nova cultivar de milho – o híbrido triplo BRS 3042. Essa cultivar apresenta ciclo precoce e possui alta resistência ao acamamento e ao quebramento, além de possuir características agronômicas equilibradas.  “Associa estabilidade de produção com adaptação ampla para cultivo, com destaque para a safrinha do Brasil Central”, enumerou o pesquisador Paulo Evaristo de Oliveira Guimarães, supervisor do Núcleo de Recursos Genéticos e Desenvolvimento de Cultivares da Embrapa Milho e Sorgo. Outro diferencial da cultivar é a excelente relação custo-benefício quanto à produtividade e ao menor custo de sementes.

Após a solenidade, realizada no Auditório Renato de Oliveira Coimbra, os participantes visitaram a Vitrine de Tecnologias.

Realização

Esta edição da SIT é realizada pela Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG) em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Serviço Nacional de Aprendizagem RuralAdministração Regional de Minas Gerais (Sistema Faemg – Senar Minas) e Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Participam também as Unidades da Embrapa Gado de Corte (Campo Grande-MS), Gado de Leite (Juiz de Fora-MG), Hortaliças (Brasília-DF), Informática Agropecuária (Campinas-SP), Meio Ambiente (Jaguariúna-SP), Pecuária Sudeste (São Carlos-SP), Rondônia (Porto Velho-RO), Semiárido (Petrolina-PE) e Solos (Rio de Janeiro-RJ).

A semana conta com o apoio do Canal Rural, Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais – CCPR/Itambé, Fundação de Apoio à Pesquisa e ao Desenvolvimento (Faped), Rede ILPF, Sementes Mineirão, Ikeda e Solar Volt e outras empresas do agronegócio mineiro.

A programação oferece mais de 40 cursos, dias de campo, giros tecnológicos, palestras e seminários técnicos que acontecerão na Embrapa Milho e Sorgo, na Epamig e na UFSJ.



Clique aqui para ver esta matéria na íntegra em Embrapa.

Hits: 0

Compartilhe esta postagem nas redes sociais