Fonte: Faemg

Verônica Peixoto é natural de Espera Feliz e a história dela começa em 2003, na cidade de Faria Lemos. Ela e o marido, Sérgio Peixoto, são produtores rurais de leite e foi naquele ano que Verônica teve o seu primeiro contato com o Sistema Faemg/Senar Minas. “Meu marido começou a trabalhar como mobilizador do Sindicato na região de Faria Lemos e foi por meio dele que tomei conhecimento dos cursos oferecidos e da metodologia utilizada pelo Senar Minas”. conta. A produtora se interessou pelo trabalho desenvolvido pelo Senar no meio rural e, desde então, vem participando de cursos ligados à agropecuária e outros às áreas de alimentação e nutrição.

O casal se mudou para Eugenópolis, onde passou a contar também com a assistência do Sindicato dos Produtores Rurais de Muriaé, parceiro do Sistema Faemg/Senar Minas.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Dezembro/2019 – 1ª semana – Região Norte

O Prosa Rural desta semana fala sobre a enxertia precoce de castanheira-do-brasil em viveiros. O ouvinte vai saber que, por ser realizada em viveiros, essa tecnologia diminui o trabalho do produtor ou do enxertador contratado, quando comparada à enxertia feita diretamente nas áreas de plantio. Uma das principais vantagens desse tipo de enxertia é a redução de cerca de cinquenta por cento do tempo de produção inicial dos frutos, que passa de quinze para sete anos.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Dezembro/2019 – 1ª Semana – Região Nordeste/Vale do Jequitinhonha

O Prosa Rural desta semana fala sobre a Espectroscopia no Infravermelho Próximo, uma das mais versáteis e promissoras ferramentas do setor agrícola. A tecnologia vem sendo usada no Semiárido nordestino para avaliar a qualidade dos frutos na cultura da manga. O equipamento é portátil e funciona acoplado a um computador ou celular. Participa do programa o pesquisador da Embrapa Semiárido, Sérgio Tonneto.  Para saber mais, não perca o Prosa Rural.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Foto: Silvia Zoche Borges

“Levantamento de problemáticas dos produtores rurais  da região da Grande Dourados”. Este é o nome do evento do qual a Embrapa Agropecuária Oeste faz parte como parceira, no dia 2 de dezembro, segunda-feira. Estão presentes Mary Sunakozawa, analista fo Núcleo de Desenvolvimento Institucional, Carmen Pezarico, supervisora do Setor de Prospecção e Avalição de Tecnologias, e Walmor Saldanha, analista desse mesmo setor.

O evento é coordenado pelo Senar, Senar/MS e Softex e faz parte do Projeto AgroUp, Rede Nacional de Inovação para Agricultura e Pecuária.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Em setembro, a equipe do projeto realizou visitas técnicas no interior do Tocantins. Foto: Clenio Araujo

Acontece terça (03/12) e quarta (04/12/19) workshop do projeto Sistema de Inteligência Territorial Estratégica (Site) da Aquicultura. Coordenado pela Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas-TO), envolve diversas outras Unidades da empresa; entre elas, a Embrapa Territorial (Campinas-SP), que sediará o evento.

A coordenadora técnica do Site Aquicultura, Marta Ummus, conta que neste ano foram levantados dados sobre a atividade.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Sensor Igstat é a base para o desenvolvimento de uma nova tecnologia por uma spin off, gerada da primeira empresa licenciada para produzir a solução em escala. Foto: Joana Silva

Acelerar o processo de inovação tecnológica e fortalecer a produção do conhecimento científico. Com esses objetivos a Embrapa Instrumentação (São Carlos – SP) celebra, nesta semana, oito contratos com empresas e universidades federais nas áreas de agricultura de precisão, irrigação, biocombustível e rastreabilidade de frutas.

Nesta terça-feira na solenidade em comemoração aos 35 anos, a partir das 18h30 no auditório “Sergio Mascarenhas”, serão oficializadas quatro parcerias, duas com universidades federais – do Mato Grosso e do Amapá – envolvendo os pesquisadores Paulo Cruvinel e Débora Marcondes Bastos Pereira Milori.

A primeira, com a UFMT, tem a proposta de organizar a infraestrutura computacional avançada de alto desempenho para gerenciamento de riscos agrícolas no Centro-Oeste – a Embrapa Instrumentação já vem desenvolvendo um projeto em Agricultura de Precisão em Mato Grosso, especialmente na cultura do algodão.

Já na região Norte, a pesquisa com a UNIFAP visa a avaliação da capacidade de diagnóstico de diferentes técnicas biofotônicas após inoculação dos patógenos Ferrugem Asiática e Haste Verde e Retenção Foliar, levando em consideração o custo benefício entre a técnica e o tempo de diagnóstico.

Tecnologia gera spin-off

Patenteado no Brasil e nos Estados Unidos, o sensor Igstat será licenciado para uma spin-off da empresa Tecnicer Tecnologia Cerâmica (São Carlos), parceira da Embrapa Instrumentação no desenvolvimento da tecnologia.

O sensor para medição da umidade de solo, que tem à frente o pesquisador Carlos Vaz, é a base que a Pitaya Tech Irrigação Eficiente Ltda, de São Carlos, está usando para desenvolver um sistema para manejo e controle automático de irrigação, capaz de oferecer mais eficiência e redução de custos.

“Estabelecer parcerias, principalmente no modelo de inovação aberta é fundamental para enfrentar os desafios de ampliar e acelerar a disponibilidade de tecnologias para a sociedade”, diz a chefe adjunta de Transferência de Tecnologia, a física Débora Milori.

Outro segmento que tem crescido no Brasil, a vitivinicultura, também é tema de contrato de cooperação técnica que a Embrapa Instrumentação vai assinar com a vinícola Casa Verrone, com sede em Itobi (SP).

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais