Fonte: UFS




No período de temporada aumentam os casos de queimaduras por águas-vivas em banhistas nas praias do litoral catarinense. Para explicar o aparecimento desses animais, o Laboratório de Biodiversidade Marinha da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) realiza um monitoramento desde dezembro de 2019. A pesquisa é desenvolvida em parceria com o laboratório de Zoologia de Vertebrados da Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC) e o Laboratório de Zooplâncton da Universidade Federal do Rio Grande (FURG).

Clique aqui para assinar GRATUITAMENTE o Agrosoft e receber todos os dias no seu email as notícias em destaque.



Compartilhe esta postagem nas redes sociais