Fonte: Euronews




Com o sonho de produzir alimentos sem químicos para a cidade da Lovaina, Tom Troonbeeckx criou a primeira quinta de base comunitária da Bélgica, há mais de uma década.

Atualmente, 700 pessoas pagam 330 euros, por ano, para poderem colher diretamente os legumes e receber embalagens de carne e de farinha da cooperativa BoerenCompagnie, que Tom administra com outros dois agricultores.

A expansão deste modelo é possível a toda a escala europeia sob certas condições, disse o agricultor, em entrevista à euronews: “Eu não gosto de subsídios e acho que devemos fazer refletir o custo real da produção dos alimentos no preço final dos alimentos. Os alimentos biológicos passariam a ser vistos como mais baratos em comparação com a produção tradicional e mais pessoas optariam para alimentos biológicos”.

“Talvez alguns subsídios sejam necessários porque estamos numa situação muito má em termos da agricultura em geral e deviam ser usados para a inovação e para atrair novos agricultores”, acrescentou.

Alocar 25% das terras aráveis da União Europeia para a agricultura biológica é uma das metas da estratégia agrícola “Do Prado para o Prato”, para implementar até 2030. As outras visam reduzir o uso de químicos na produção de alimentos, nomeadamente:

Redução em 50% do uso e risco de pesticidas
Redução de pelo menos 20% da utilização de fertilizantes
Redução de 50% nas vendas de antibióticos utilizados para animais de criação e aquicultura

Clique aqui para assinar GRATUITAMENTE o Agrosoft e receber todos os dias no seu email as notícias em destaque.



Compartilhe esta postagem nas redes sociais