Fonte: UOV

CLIQUE AQUI PARA VER MAIS DETALHES DO CURSO ONLINE PRODUÇÃO COMERCIAL DE ANTÚRIO, HELICÔNIA E SPATHIPHYLLUM.

Com o Curso Online Produção Comercial de Antúrio, Helicônia e Spathiphyllum, é possível aprender tudo sobre o cultivo dessas plantas tão belas e rústicas. Elaborado pela Universidade Online de Viçosa – UOV, o material aborda sobre os tipos de propagação das espécies, seus aspectos fisiológicos, escolha da variedade e cultivo, tratos culturais, colheita e pós-colheita, comercialização, sistemas de entrega e muito mais.

FICHA TÉCNICA:

  • Curso: Curso Online Produção Comercial de Antúrio, Helicônia e Spathiphyllum
  • Modalidade: Ensino a Distância
  • Coordenação: José Geraldo Barbosa
  • Carga Horária: 40 horas
  • Série: Floricultura – 45227
  • Realização: UOV – Universidade Online de Viçosa

Clique aqui para assinar GRATUITAMENTE o Agrosoft e receber todos os dias no seu email as notícias em destaque.

Clique aqui para divulgar notícias e artigos no Agrosoft



Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: jornal.usp.br

Pedro Luiz Côrtes associa falta de atuação governamental nos problemas ambientais com a possibilidade de restrições econômicas de grupos internacionais

Investimentos de grupos internacionais em operadores de grãos e produtores de carne brasileiros correm risco caso o governo não mude sua postura em relação ao desmatamento da Amazônia.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

O cipó-alho tem alicina, composto que induz ao aumento no consumo de ração, e melhora o desempenho zootécnico dos peixes e o sistema imunológico. Foto: Jefferson Christofoletti

• Extrato de folhas do cipó-alho, planta típica da Amazônia, misturado à ração, beneficia alevinos de pirarucu.

• Pesquisadores da Embrapa Amapá constataram indicadores positivos na engorda, crescimento e imunidade dos peixes.

• O peso dos animais aumentou em torno de 19%, resultando em maior lucro ao piscicultor.

• A maior resistência a bactérias frequentes em piscicultura e ao estresse do manejo também foi observada.

• A planta é facilmente encontrada na região e o custo de preparo do extrato de suas folhas é baixo.

Uma planta medicinal típica da Amazônia, que exala cheiro de alho, apresentou resultados positivos na engorda, crescimento e resistência imunológica de alevinos de pirarucus (Arapaimas gigas) durante testes feitos em laboratório.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

A floresta amazônica também abriga uma vasta diversidade microbiológica. É uma fonte valiosa de bioprospecção de fungos e de produtos gerados por eles. Foto: Antônio Carlos Pereira Góes

• Descoberta pode dar origem a biofertilizante.

• Microrganismo atua disponibilizando às plantas o fósforo presente no solo.

• Ação reduz aplicações de fertilizantes fosfatados na lavoura.

• Além da economia para o produtor, tecnologia é capaz de ajudar o Brasil a diminuir dependência de importação fósforo fertilizante.

• Traz mais sustentabilidade ambiental por reduzir riscos de carreamento de fósforo para corpos d’água.

• Resultado reforça a importância da Amazônia para a bioeconomia como fonte de matérias-primas valiosas.

Um fungo que ocorre no solo da Floresta Amazônica revelou ser um importante estimulante do desenvolvimento de plantas.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Parceria fomentará o uso da seleção genômica nos rebanhos Angus no Brasil. Foto: Fagner Almeida

A Associação Brasileira de Angus e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) fecharam acordo para dar início à Parceria Público-Privada (PPP) que fomentará o uso da seleção genômica nos rebanhos Angus no Brasil.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Fungo Trichoderma. Foto: Lucas Magalhães de Abreu

O lançamento oficial da publicação Trichoderma – uso na agricultura, editada pela Embrapa, será no dia 24 de junho, às 10h, em formato digital, e contará com a participação dos editores da publicação Maurício Conrado Meyer (Embrapa Soja), Sérgio Miguel Mazaro (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) e Juliano Cesar da Silva (Biotrop).

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais