Fonte: Embrapa

Percentual do faturamento da cafeicultura em relação ao total das lavouras é de 79,2% no Espírito Santo, 35,2% em Minas Gerais, 21% em Rondônia, 5% na Bahia, 5% em São Paulo e 0,87% no Paraná

O valor bruto da produção das lavouras brasileiras foi estimado para 2020 em R$ 493,9 bilhões, tendo como base principal o volume da safra anual e os preços médios recebidos pelos produtores agrícolas de vinte e uma culturas que foram objeto desta pesquisa, no período de janeiro a julho deste ano. 

Um ranking das seis principais culturas em termos de arrecadação indica que a soja se mantém em primeiro lugar e deverá faturar R$ 181,45 bilhões, o que representa um aumento de 22,4% se comparado com 2019, depois vem o milho, com R$ 78,77 bilhões – aumento de 15%, seguido da cana-de-açúcar, em terceiro, com R$ 63,74 bilhões, sem nenhuma variação expressiva em relação ao ano passado. Na sequência, em quarto lugar, destaca-se o algodão herbáceo com o faturamento estimado em R$ 44,07 bilhões, valor que representa uma redução de 3% se comparado com 2019, depois vem o café, em quinto, com R$ 29,4 bilhões e um expressivo aumento de 37,9%, e, em sexto, a laranja com a receita bruta calculada em R$ 15,66 bilhões – aumento de 9,1%.

Com relação exclusivamente às lavouras dos Cafés do Brasil, se for estabelecida uma correlação do Valor Bruto da Produção (VBP) de todas as lavouras pesquisadas com a receita da produção de café, nos seis principais estados da Federação produtores dessa cultura, constata-se que Minas Gerais, maior produtor de cafés do País, tem um faturamento estimado para essa cultura de R$ 17,75 bilhões, o qual corresponde a 35,2% do VBP total das suas lavouras, que é de R$ 50,3 bilhões.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Arte: Ivana Aragão

PackGreen, BioFoodk e Biofet, são as três equipes empreendedoras de estudantes universitários selecionadas pelo Ideas for Farm, edição 2020, da Embrapa Meio-Norte, para o Programa de Inovação de Teresina (THEch), no eixo de startups para o agronegócio.Os estudantes são alunos de Engenharia de Materiais na Universidade Federal do Piauí (UFPI),Tecnologia em Gestão Ambiental e Tecnologia de Alimentos, no Instituto Federal de Educação do Piauí (IFPI).

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Bruno Laviola foi um dos participantes da Biodiesel Week. Foto: Print da tela

O pesquisador da Embrapa Agroenergia Bruno Laviola foi um dos palestrantes do webinar “Novas matérias-primas para o biodiesel”, ocorrido no dia 11 de agosto. Entre os principais temas abordados, Laviola destacou a necessidade de diversificação de matéria-prima, as três oleaginosas com mais chances de sucesso para a produção de biodiesel e outras duas fontes que também devem ser consideradas.

Laviola iniciou sua participação destacando a importância da soja enquanto principal matéria-prima para a produção de biodiesel no Brasil.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais