Fonte: EFE




Após seis meses sem manter contato com os fiéis devido à pandemia do coronavírus, o Papa Francisco retomou hoje as audiências gerais às quartas-feiras, embora apenas para 500 pessoas e sem contato físico, enquanto para o momento tem todas as suas viagens suspensas, o que limita o seu pontificado.
Já se passaram cento e oitenta e nove dias desde a última audiência geral com os fiéis na Praça de São Pedro, em 26 de fevereiro, quando começou a emergência na Itália e o Vaticano decidiu se adaptar às normas anti-aglomeração para evitar o contágio.
Como um papa “enjaulado”, Francisco havia se definido, que guardava a oração do Angelus dominical e as audiências, mas apenas transmitia ao vivo da biblioteca do palácio papal.
As audiências em tempos de pandemia serão realizadas, pelo menos durante o mês de setembro, no pátio de San Dámaso, dentro do palácio pontifício e não na Plaza de San Pedro ou no Salão Paulo VI e diante de cerca de 500 pessoas sentadas, mantendo o distância de segurança.
Porém, após a entrada do pontífice no pátio, os fiéis, todos obrigatoriamente mascarados, correram para vê-lo e cumprimentá-lo.
Francisco, sem máscara, passou pelo corredor central e parou para conversar animadamente com os idosos, crianças e religiosos, mas não houve abraços e beijos de audiências anteriores a que o Papa argentino nos acostumara.
Ele só pegou uma bandeira libanesa nas mãos, atingida pela explosão gigantesca há um mês, que um padre lhe deu e depois de beijá-la parou para rezar.
Também durante as saudações, Francisco chamou o padre a seu lado e tomou a bandeira em suas mãos e fez um apelo para que o Líbano não fosse abandonado.
O papa de 83 anos manteve a distância social obrigatória e só cumprimentou os membros da Cúria com um aperto de mão.
«Queridos irmãos e irmãs, bom dia. Depois de tantos meses, retomamos o nosso encontro face a face e isto é bonito», iniciou a sua catequese e ouviram-se os aplausos dos fiéis do Vaticano após seis meses de silêncio.
Francisco saudou também os fiéis espanhóis, presentes na audiência de hoje, ao notar que havia algumas bandeiras e também os latino-americanos, “para que não se irritem”, brincou.
O PAPA VIAGEM FICA NO VATICANO E PREPARA UMA ENCÍCLICA
A pandemia cancelou todas as viagens programadas de Francisco, como a de Malta, e as que se preparavam para este ano, e também se prevê que não viaje no próximo ano, uma vez que a preparação da viagem exige vários meses de trabalho e inspecções e visitas. anterior, o que no momento é impossível.
Além disso, Francisco enviou o monsenhor colombiano Mauricio Rueda, que preparava visitas internacionais, como núncio em Portugal e ainda não há substituto.
A falta de viagens internacionais, mas também de visitas de chefes de Estado e de governo, limita a parte das relações internacionais, mas também a proximidade com os fiéis que viveram a visita do Papa como um autêntico acontecimento histórico e pessoal.

Clique aqui para assinar GRATUITAMENTE o Agrosoft e receber todos os dias no seu email as notícias em destaque.



Compartilhe esta postagem nas redes sociais