Fonte: Euronews




O Governo de Jair Bolsonaro prometeu ajuda financeira e técnica para o combate aos fogos que lavram na Amazónia, mas enquanto isso, no terreno, a falta de meios e as condições climatéricas adversas dificultam a vida aos que tentam deter a destruição vegetal e da biodiversidade.

Cobertas por uma espessa nuvem de fumo, equipas de bombeiros e de voluntários tentam combater o avanço descontrolado das chamas, que também dominam a paisagem do Pantanal.

Na maior área húmida continental do planeta lavra um gigantesco incêndio desde meados de julho que espalha a sombra da morte entre os ecossistemas locais.

Os animais que ainda resistem vagueiam pelas zonas de mato consumidas pelas chamas, com fome sede.

A região abriga mais de mil espécies de animais vertebrados, incluindo 36 ameaçadas de extinção, e pássaros raros.

Dados da Universidade Federal do Rio de Janeiro revelam que desde o início de agosto já ardeu mais de um milhão de hectares.

Clique aqui para assinar GRATUITAMENTE o Agrosoft e receber todos os dias no seu email as notícias em destaque.



Compartilhe esta postagem nas redes sociais