Fonte: Canal Rural




O embarque de animais vivos bateu recorde no Rio Grande do Sul neste mês de setembro. Ao todo, 25 mil cabeças de gado foram despachadas em um mesmo navio., conforme informou a fiscalização agropecuária ligada ao Ministério da Agricultura. Mesmo com embarque já foi encerrado, o navio segue atracado aguardando o final da certificação.

Tudo ocorreu no maior navio do mundo para embarque de animais vivos, que possui 201 metros de comprimento por 32 de largura e capacidade para 30 mil bois. “O agronegócio do Rio Grande do Sul vem dando sinais permanentes de crescimento, de qualidade, de interesse internacional “, disse o superintendente dos portos do Rio Grande do Sul, Fernando Estima.

Auditores fiscais acompanharam de perto o ingresso dos animais, as condições do navio, além da documentação exigida. “O nosso maior foco, durante este embarque, é o bem-estar animal. Estamos fazendo toda a operação com o maior cuidado para que os animais tenham o menor estresse possível “, disse a auditora agropecuárias Mariza Moreira dos Santos.

Atualmente, cerca de 86% da exportação brasileira de animais vivos partem em destino ao Oriente Médio. Neste caso específico, os compradores são da Turquia e do Líbano.

No planeta, o Brasil é o segundo maior exportador de bovinos vivos via transporte marítimo, perdendo apenas para a Austrália. No primeiro semestre de 2020, nós exportamos pouco mais de 146 mil cabeças de gado, uma queda de 47% em comparação ao mesmo período do ano passado, mostrando mais uma vez o impacto da pandemia e crise econômica nos países do oriente médio.

Por causa disso, apesar desse embarque recorde, especialistas não acreditam em uma recuperação expressiva até o fim do ano. “Em agosto, a exportação caiu 65%. Em função disso, a expectativa nesse segundo semestre é que o desempenho das exportações de bovinos vivos continue pior do que o ano passado, pois não há nada no horizonte que possa reverter o quadro econômico vigente, salientou o analista da Scot Consultoria, Alcides Torres.

Como alento, os vendedores contam com a ajuda da cotação do dólar. “”o ano de 2020 ainda será pautado por um câmbio desvalorizado o que fomenta os embarques brasileiros e principalmente do setor carne em 2020”, concluiu o analista da Safras & Mercado, Fernando Iglesias.

Clique aqui para assinar GRATUITAMENTE o Agrosoft e receber todos os dias no seu email as notícias em destaque.



Compartilhe esta postagem nas redes sociais