Fonte: Estadão




Com o aumento no número de pessoas que estão em home-office, por causa da pandemia, o Ministério Público do Trabalho quer fiscalizar melhor se as leis estão sendo cumpridas, mesmo longe das empresas.
O órgão publicou nota técnica com 17 recomendações sobre o home office para empresas, sindicatos e órgãos da administração pública.
A lista detalha questões como limitação de jornada, direito à desconexão e preservação da privacidade da família do trabalhador.
No entanto, especialistas na área do direito do trabalho dizem que o MPT não tem competência para isso, além de desestimular as empresas que já estudam manter a metodologia depois da pandemia.
Afinal, é preciso regulamentar melhor o home-office?
Empresas e empregados têm se entendido nesta modalidade de trabalho? Na edição de hoje, conversamos com Sérgio Schwartsman, advogado especialista em Direito do Trabalho, que esclareceu vários pontos sobre o home-office

Clique aqui para assinar GRATUITAMENTE o Agrosoft e receber todos os dias no seu email as notícias em destaque.



Compartilhe esta postagem nas redes sociais