Fonte: Jornal da Cultura




A conclusão é de um estudo conduzido pela agência científica nacional da Austrália. Os pesquisadores usaram materiais comuns no dia a dia, como notas de dinheiro, aço inoxidável, vidro, presente em telas touch screen, tecido de algodão e vinil, encontrado em capas protetoras de celular por, exemplo. Eles queriam entender a resistência do vírus de acordo com a temperatura.

Clique aqui para assinar GRATUITAMENTE o Agrosoft e receber todos os dias no seu email as notícias em destaque.



Compartilhe esta postagem nas redes sociais