Fonte: Embrapa

Foto: iStock – Grupos funcionais do Krill A32 atuam como carreadores de nutrientes para as plantas, eficiência comprovada em cultivos de tomates, pimentões e alface
  • Nanopartícula de carbono melhora a fotossíntese, o aproveitamento da água e o acesso das plantas a macro e micro nutrientes.

  • Bioproduto é metabolizado pela planta, por isso, não se acumula no ambiente.

  • Ainda pode ser associado a outros produtos, reduzindo custos de aplicação.

  • Desenvolvido em parceria entre UnB e Embrapa, originou a startup KrillTech.

  • Sob luz ultravioleta, pode ser rastreado como biomarcador, ferramenta útil em estudos científicos.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Foto: Sérgio Medeiros – Animais que recebem dietas ricas em grãos têm melhor conversão alimentar em comparação aos bovinos alimentados com maior porcentagem de volumoso
  • Experimentos mostram que conversão alimentar dos animais que recebem a dieta de alto concentrado é melhor.

  • A necessidade de consumo para cada quilo de ganho de peso pode cair pela metade.

  • Considerado o valor médio de duas dietas constrastantes (com 70% e 20% de volumoso) em confinamento, com mil cabeças de gado e ganho médio de peso de 150 kg por animal, a economia seria de cerca de R$ 400 mil. 

  • A dieta é metabolicamente mais eficiente, produzindo menos metano para cada quilograma de alimento ingerido.

  • Além disso, o bovino atinge o peso final em tempo menor, principal motivo da redução de emissão de GEEs.

  • A pesquisa tem recomendações para o manejo e alerta para que a viabilidade da dieta seja avaliada de acordo com as condições da propriedade, e revista a cada ano. 

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Foto: Felipe dos Santos Rosa – O estudo publicado pela Genetics and Molecular Biology fornece uma base estatística sólida para calcular o poder de testes diagnósticos
  • Estudo inédito comprovou que são necessários, no mínimo, sete marcadores-diagnóstico para diferenciar alevinos híbridos de peixes nativos. 

  • Distinguir a pureza dos animais é fundamental para a gestão do desempenho da qualidade da prole.

  • Trabalho envolveu simulações computacionais e aprimora estudos anteriores, eficazes somente na identificação das primeiras gerações.

  • Conhecimentos vão auxiliar piscicultores na formação de planteis de alto valor para o mercado.

  • Iniciativa já foi incorporada ao Tambaplus, serviço de análise genômica de matrizes de tambaqui voltado ao setor produtivo.

Estudo inédito da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (DF) comprovou que são necessários, no mínimo, sete marcadores moleculares para diferenciar animais híbridos avançados (resultantes de cruzamentos com outros híbridos ou desses com espécies puras) de peixes nativos.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Foto: Freepik.

Com vistas a atender aos requisitos da Norma ABNT NBR ISO 9001:2015, pela qual a Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP) é certificada, um grupo de trabalho foi criado para traçar estratégias de melhoria na gestão de riscos dos processos da Unidade de Pesquisa.

Deste trabalho em equipe surgiu o “Mapeamento das oportunidades e ameaças em processos organizacionais da Embrapa Meio Ambiente”, descrito na publicação que apresenta a estratégia adotada para implantar esta mentalidade de gestão de risco nos processos internos.

Segundo os autores, a utilização de ferramentas da qualidade relativamente simples e de conhecimento público, permitiu associar cada risco priorizado ao seu processo de origem, à sua categoria, à frequência que é percebido dentro dos processos e à sua intensidade (prioridade), o que demonstrou a validade desse processo e justificou sua realização no âmbito da Unidade.

A analista que coordenou a equipe, Margarete Crippa, conta que “um das etapas desta estratégia foi o estabelecimento um processo formal de gestão de riscos, que considerou a elaboração de documentos orientadores, modelos de registros adequados, além de práticas para a participação da comunidade interna, resultando em um mapeamento participativo dos riscos, também considerados como oportunidades e ameaças”.

Além disso, Margarete diz que “as equipes responsáveis pelos processos e as demais partes interessadas participaram desde o início, visando ao alcance de resultados melhores do que aqueles baseados somente na experiência das equipes individuais de cada processo”.

Inicialmente, cinco grandes processos da gestão da Unidade foram priorizados pela chefia para este mapeamento: 1) Realização do Produto; 2) Gestão da Infraestrutura; 3) Negócios/Inovação; 4) Compras e 5) Gestão de Competências.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Será que o resíduo urbano faz parte do problema ou da solução do desperdício de energias renováveis em forma de esgoto e lixo nas cidades? Para Gabriela Otero, coordenadora técnica da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), a resposta é simples: solução.

Gabriela diz que a Abrelpe e a Associação Brasileira do Biogás (ABiogás) fizeram recentemente um estudo conjunto sobre o potencial perdido em biogás que poderia ser gerado com a parte orgânica do resíduo sólido urbano.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Foto: Síglia Souza

As pesquisas sobre “Etnovariedades de mandioca: usos e conservação” serão foco do debate online realizado na próxima quarta-feira, dia 2 de setembro de 2020, no âmbito da série “Amazônia em Foco”. A ação é uma parceria entre Unidades da Embrapa, com ênfase na discussão de temas de importância econômica e social que pautam a pesquisa agropecuária na região.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais