Fonte: Embrapa

Abelhas nativas sem-ferrão, plantas alimentícias não convencionais (Pancs), ervas medicinais e aproveitamento de resíduos para biocompostagem são os temas dos cursos que a Embrapa Amazônia Oriental realiza nos período de 25 a 28 de junho, no IFPA Rural em Marabá. As capacitações são realizadas pelo projeto Agrobio e visa formar agentes multiplicadores tendo como público alunos do instituto, produtores rurais dos assentamentos no entorno da instituição e técnicos extencionistas.

Serão quatro cursos distintos, mas potencialmente interligados como ciclo produtivo e agregadores de renda à produção familiar rural sustentável, conforme explicou o líder do projeto Agrobio, o pesquisador da Embrapa, Daniel Santiago.

No dia 25, haverá o curso básico de biocompostagem, partindo do aproveitamento de resíduos madeireiros e doméstico das propriedades rurais.  Nos dias 25 e 26, o segundo curso tem como tema plantas medicinais: cultivo, conservação, identificação, propagação, uso e processamento.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Estão abertas as inscrições para o 16º Curso de Micropropagação de Plantas, um dos mais tradicionais treinamentos oferecidos pela Embrapa Mandioca e Fruticultura. O evento, que vai acontecer de 5 a 9 de agosto na sede da Unidade, em Cruz das Almas (BA), será promovido pelo Setor de Gestão de Transferência e Tecnologia e tem 20 vagas disponíveis para pesquisadores, professores, técnicos e estudantes de graduação e pós-graduação.

O objetivo é ampliar os conhecimentos teóricos e práticos dos alunos em relação à micropropagação de plantas, que consiste na viabilização da clonagem de várias espécies, permitindo a formação de plantas geneticamente idênticas a partir de células, órgãos ou pequenos fragmentos de uma planta matriz.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Embrapa

Processamento de mandioca é o tema do curso que a Embrapa Mandioca e Fruticultura  vai realizar de 22 a 26 de julho. São 20 vagas disponíveis para processadores de mandioca, agentes de assistência técnica, professores e estudantes.

Em 36 horas, essa segunda edição do treinamento coordenado pelos pesquisadores Joselito Motta e Luciana Oliveira e organizado pelo Setor de Gestão de Transferência de Tecnologia visa divulgar, por meio de aulas teóricas e práticas, as possibilidades de processamento para quem deseja diversificar a produção ou ingressar em um mercado de alto valor agregado.

A produção de mandioca de mesa ganha, cada dia mais, características específicas para a indústria de congelados, sendo comercializada fresca, minimamente processada, congelada ou pré-cozida congelada (chips, snack e palito).

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais