Fonte: Faemg

“A produção de queijos em nossa fazenda começou na época da greve dos caminhoneiros. Eram 1.500 litros de leite por dia e, para não desperdiçar, doamos boa parte da produção e nos arriscamos na fabricação de queijos. A boa aceitação nos fez enxergar um novo negócio. Fiz os cursos de Derivados do Leite, Produtos Especiais, Cria e Recria de Bezerras e Ordenha, do SENAR MINAS, e participei do programa Balde Cheio, DA FAEMG, o que nos ajudou a aumentar a produção.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Faemg

O-que-o-sistema-faz-por-voc-produtor-03-

“Nosso sucesso na bovinocultura de leite e na cafeicultura se deve muito aos programas Gestão com Qualidade em Campo, Sucessão no Campo e Balde Cheio. Aprendemos a encarar a fazenda como empresa, a nos manter na agropecuária de forma sustentável, a entender o processo sucessório, a planejar e a ter visão de futuro. Hoje, nosso café é exportado para a Alemanha e a produção do leite é de 3.500 litros por dia.”

 Helena Nogueira Frota de Aquino – Carmo da Cachoeira

Conheça a história completa no link (veja aqui)

Clique aqui para assinar GRATUITAMENTE o Agrosoft e receber todos os dias no seu email as notícias em destaque.

Clique aqui para divulgar notícias e artigos no Agrosoft



Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Faemg

A SuperMinas Food Show 2019, considerada um dos maiores eventos do país direcionados ao setor supermercadista, abriu suas portas ao público na última terça-feira (15) e novamente o Sistema Faemg/Senar Minas marca presença com sete de seus ex-alunos no Empório Senar, montado no estande da entidade no Expominas, em Belo Horizonte.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Faemg

O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio teve crescimento de 0,64% no acumulado de janeiro a julho de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

O resultado foi impulsionado principalmente pelo segmento de insumos, com alta de 7,88% nos primeiros sete meses do ano. Agroindústria e serviços registraram expansão de 1,60% e 1,18%, respectivamente. O PIB da atividade primária (dentro da porteira) foi o único que recuou (-2,99%), segundo o boletim CNA/Cepea.

“O PIB do segmento primário se mantém pressionado por maiores custos de produção e menores preços de seus produtos”, explicam CNA e Cepea por meio de Comunicado Técnico. 

 Analisando o comportamento do PIB por ramo, a pecuária puxou o resultado do PIB para cima, com crescimento de 7,04% de janeiro a julho, com desempenho positivo em todos os elos da cadeia produtiva.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais