Fonte: Fapesp

Um dos centros mais relevantes em pesquisas médicas no mundo, o Karolinska Institutet, da Suécia, quer firmar novas parcerias com o Brasil, inclusive com instituições do Estado de São Paulo, com vistas a gerar inovações na área da saúde.

O instituto sueco, responsável pela escolha dos ganhadores do prêmio Nobel de Medicina/Fisiologia, firmou, no fim de 2018, um acordo de cooperação com a FAPESP, no qual as instituições se comprometem a financiar pesquisas colaborativas entre pesquisadores do Estado de São Paulo e do Karolinska Institutet.

Em workshop realizado na FAPESP no dia 12 de dezembro, representantes da FAPESP, de universidades paulistas e da instituição sueca apresentaram relevantes trabalhos de inovação na área da saúde e discutiram as possibilidades de futuros projetos em conjunto.

“Esperamos implementar uma plataforma permanente de relacionamento entre pesquisadores de São Paulo e do Karolinska Institutet.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Fapesp

Agência FAPESP – Duas oportunidades de doutorado direto com bolsas da FAPESP são oferecidas pelo Projeto Temático “Cluster randomised controlled trial for late life Depression in socieconomically deprived areas of São Paulo, Brazil” na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). As inscrições devem ser feitas até dia 10 de janeiro de 2020.

O objetivo principal do estudo é avaliar o custo-efetividade de uma intervenção psicossocial para idosos com depressão cadastrados em Unidades Básicas de Saúde de Guarulhos (SP).

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Fonte: Fapesp

O número de pessoas infectadas pelo HIV vem diminuindo em escala global, assim como o número de mortes causadas pela Aids. Mas, segundo as estatísticas oficiais, essa redução ocorre de maneira desigual entre diferentes países e também entre diferentes segmentos sociais. Em adolescentes, por exemplo, o risco de contrair a infecção tem crescido significativamente nos últimos anos.

“Estamos longe do fim da Aids. Esse discurso de que estamos por vencer a doença é contraprodutivo, pois nos distrai de uma dura realidade”, disse Vera Paiva, uma das coordenadoras do Núcleo de Estudos para a Prevenção da Aids na Universidade de São Paulo (Nepaids-USP), em palestra na FAPESP Week France, entre os dias 21 e 27 de novembro de 2019.

Em 2016, a Conferência Internacional da Aids – considerada o maior e mais importante fórum global sobre a epidemia – apontou os adolescentes como população-chave entre os grupos desproporcionalmente afetados pela doença.

Clique para saber mais…

Compartilhe esta postagem nas redes sociais