Começa hoje no Rio e vai até sexta-feira a versão latino-americana da Biofach

A partir de hoje (8/9) e até sexta-feira (10/9) estará acontecendo a versão latino-americana da Biofach, o maior evento de produtos orgânicos da Europa, cuja versão original acontece anualmente em Nuremberg, na Alemanha. A expectativa dos organizadores é que a edição brasileira do Biofach, que acontece no Hotel Glória, movimente mais de R$ 8 milhões, o que representa um crescimento de quase 100% em relação ao ano anterior.
Esta será a segunda vez que o Brasil abrigará a Biofach, que no ano passado tinha status apenas de uma feira regional. O Brasil é de longe o maior consumidor de orgânicos do Mercosul e o maior fornecedor para o mercado europeu , acrescentou a diretora de Marketing da Biofach, Maria Beatriz Costa.
Disputa de espaço
A feira deverá reunir mais de 140 empresas entre nacionais e estrangeiras e a expectativa é de que deverá ser visitada por cerca de 1.500 pessoas durante os três dias de evento. O carro-chefe dos produtos a serem expostos pelos produtores brasileiros continua sendo a soja, como ocorreu nos eventos anteriores. Mas o grão já disputa espaço com café e com o mel.
Do lado dos importadores está sendo aguardada a participação da holandesa Tradin, uma das maiores empresas especializadas na comercialização de produtos orgânicos no mundo. O interesse do grupo holandês no evento pode ser traduzido por meio dos números da Fundação Agricultura e Ecologia da Alemanha (Soel), que apurou crescimento de 30% ao ano no consumo mundial de orgânicos.
No Brasil, as exportações deste tipo de produto movimentam cerca de US$ 30 milhões anualmente, enquanto o consumo interno giram torno de US$ 200 milhões. “O mercado interno precisa melhorar a capacitação e treinamento para o cultivo dos orgânicos e informar o consumidor sobre os benefícios, o enorme ganho que ele tem para a saúde consumindo produtos livres de agrotóxicos”, diz a diretora da Biofach.
De acordo com Maria Beatriz , líderes brasileiros na produção de orgânicos brigam agora ganhar consumidores no mercado interno. Este é o caso da GaMa, uma das principais exportadoras de soja orgânica do Brasil e que participa pela segunda vez do evento. Segundo o diretor de Marketing da empresa, Leonardo Gardemman, o portfólio internacional da companhia está bem ajustado. “Nossa meta é aumentar a presença nas grandes redes varejistas do país”, comenta o executivo.
Confirmaram presença no evento os ministros do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rosseto, e da Agricultura, Roberto Rodrigues. Paralelamente à feira, acontece um workshop sobre gastronomia com o uso de orgânicos.
Serviço
Biofach América Latina
8 a 10 de setembro
Hotel Glória – Rio de Janeiro – RJ
Horário: de 9 às 18 h
Internet: http://www.biofach-americalatina.com.br/indexport.htm
 

Fonte: Gazeta Mercantil

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Outro recorde na balança agropecuária

As exportações do agronegócio brasileiro entre os meses de janeiro e agosto deste ano somaram US$ 26,025 bilhões, valor 35% acima dos US$ 19,255 bilões registrados em igual período do ano passado, sendo o maior valor registrado no período em todo a série de estatísticas inicadas em 1989 pela Secretaria de Produção e Comercialização do Ministério da Agricultura.
De acordo com o Ministério, o resultado se deve ao bom desempenho das vendas externas do complexo carnes, soja, açúcar e álcool, madeiras, lácteos e algodão. O saldo comercial do agronegócio até agosto, também recorde, alcançou US$ 22,831 bilhões, número 41,3% superior ao de igual intervalo de 2003. O superávit de agosto foi de US$ 3,389 bilhões, 27,7% mais que no mesmo mês de 2003.
Receita com embarques de máquinas quase dobra
As exportações brasileiras de máquinas agrícolas atingiram, mês passado, 2.959 máquinas exportadas – a maioria tratores – , com um crescimento de 28,2% sobre o mesmo mês de 2003. No acumulado dos oito primeiros meses do ano, foram embarcadas 20.452 unidades, com aumento de 62,5% sobre janeiro a agosto de 2003, somando US$ 1,14 bilhão, contra US$ 572,9 milhões obtido no mesmo período do ano passado.
No mercado interno, as vendas de máquinas agrícolas totalizaram 3,9 mil unidades em agosto, aumento de 11,4% sobre igual mês de 2003. Em relação a julho, as vendas foram 0,5% maiores. No acumulado até agosto, as vendas das máquinas, puxadas pelos tratores, totalizaram 25.773 unidades, com crescimento de 2,3% sobre o mesmo período do ano passado.

Fonte: Redação – Portal Agrosoft

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Jogo da biossegurança

Um jogo de perguntas e respostas para computador sobre assuntos ligados à biossegurança dos alimentos. O cd-rom A cidade da ciência, lançado pela Associação Nacional de Biossegurança (ANBio), apresenta perguntas sobre o tema com três alternativas de resposta para cada questão.
O objetivo do produto, segundo a associação, é contribuir para o ensino e o desenvolvimento da biossegurança no Brasil, fortalecendo os empreendimentos no campo da biotecnologia.
Destinado a jovens e adultos, à medida que o jogador acerta as perguntas soma pontos que permitem a construção de uma cidade. Pelas regras, o jogador é eleito prefeito da Cidade da Ciência e o Governo Federal libera verbas para a prefeitura investir em biossegurança para melhorar a qualidade de vida da população. São criadas equipes de pesquisadores para que, por meio da Biblioteca da ANBio, sejam selecionadas diferentes níveis de questões.
Conforme as perguntas são respondidas, o governo entende que está ocorrendo investimentos na área e, a cada acerto, a prefeitura recebe verbas para serem aplicadas na cidade. Quando todas as perguntas forem respondidas, o jogador poderá ver seu desempenho como prefeito e verificar o quanto a cidade cresceu graças aos investimentos em biossegurança.
“Para construir a cidade com segurança o jogador deve responder questões, por exemplo, relacionadas à Lei de Biossegurança, aos requisitos de funcionamento de um laboratório e até a temas sobre a genética clássica”, disse uma das responsáveis pelo conteúdo do jogo, Alda Lerayer, à Agência FAPESP. O cd-rom conta com uma biblioteca virtual que pode ser acessada sempre que o jogador tiver dúvida sobre as questões.
Segundo Alda, que é pesquisadora do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), em Campinas, o público alvo do produto são os alunos pré-vestibular. “O jogo se traduz como uma revisão do que foi visto em sala de aula, com questões que vão da composição do DNA a temas sobre clonagem”, disse.
A Cidade da Ciência custa R$ 50 e pode ser adquirido pelo site da ANBio, no endereço www.anbio.org.br/jogo_mult.htm.
Por Thiago Romero

Fonte: Agência Fapesp

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

VI Feira Krahò de Sementes tradicionais

A Associação União das Aldeias Krahò – Kapey, promoverá entre os dias 16 e 18 de setembro de 2004 em sua sede dentro do território indígena Krahò, Itacajá, em Tocantins, a VI Feira Krahò de Sementes Tradicionais, que reúne todas as aldeias da etnia e também de outras etnias indígenas brasileiras e de outros países.
O objetivo é o intercâmbio de sementes e técnicas tradicionais de plantio, exposições, cantos, danças, músicas instrumentais, histórias e comidas típicas. Trata-se de um evento único no Brasil, até o momento, de valorização da agrobiodiversidade, onde pessoas não índias poderão conviver com as etinias presentes, trocando impressões, informações e cultura de uma forma geral.

Este ano serão convidados também, membros da comunidade quilombola Calunga, num grande encontro entre os moradores das maiores áreas contínuas de cerrado preservado do Brasil: a área krahò e o sítio histórico Calunga, ambos no estado do Tocantins.

O acesso à Feira se dá por avião e por rodovia até Palmas/TO e de lá por rodovia até a cidade de Itacajá, distante 20 km da sede da Associação Kapey e ligada por estrada em ótimo estado.

A programação começa na manhã do dia 16 com um ritual da tradição Krahò, seguindo-se a abertura oficial, pelo coordenador da Kapey, Getúlio Orlando Pinto Krahò. Depois haverá uma palestra sobre os Rumos do Etnodesenvolvimento Krahò, o almoço e à tarde apresentação cultural dos povos convidados além da corrida de tora dos Krahòs. Depois do jantar os presentes poderão assistir à exibição de vídeos e ao ritual de Pennnbkahac (velho Penõn) e rituais tradicionais do povo krahò e etnias convidadas.

No dia 17, depois da continuação do ritual tradicional, será feita a recepção de autoridades convidadas ( MDS, MDA, MMA, Funai, Embrapa, Funasa, Governo de TO, prefeituras locais). A programação do dia inclui palestras, degustação de comidas tradicionais no almoço e novas apresentações culturais. A Feira de Trocas propriamente dita, ocorre no dia 18, mas durante todo o evento haverão exposições permanentes e oficinas.

Para os visitantes interessados existem algumas normas a observar que, entre outras, inclui a necessidade autorização prévia para ingresso no evento e para fotos e filmagens. Bem como a consciência de que a troca de material genético (sementes, mudas etc) é restrita às comunidades indígenas e tradicionais.

Mais informações e confirmação de presença ligar para Sr. Ulisses no telefone (63) 439-1498.
Paulo Euler – peuler@cenargen.embrapa.br
Fonte
Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia
http://www.cenargen.embrapa.br

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Governo do MS declara situação de emergência na fronteira

Decreto assinado pelo governador de Mato Grosso do Sul, Zeca do PT e o secretário estadual de Produção, José Antônio Felício, declara situação de emergência sanitária animal da fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai. O decreto é justificado pela presença de animais clinicamente portadores de enfermidade vesicular na faixa de fronteira. A suspeita de febre aftosa é negada pelo governo paraguaio, que alega contaminação por IBR, cujos sintomas se assemelham.
O estado de emergência permanece até que medidas integradas entre a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) e outras entidades surtam o efeito desejado de defesa. No decreto ainda é argumentada a “enorme extensão da área de fronteira” que exige ações para defender a economia local. Cinco barreiras já foram montadas pelo Exército na fronteira com o Paraguai e são necessárias outras 15 para que a defesa estratégica ocorra em sua plenitude. Para isso são necessários R$ 300 mil a mais, além dos R$ 105 mil disponibilizados para a chamada “Operação Boiadeiro”.

Fernanda Mathias

Fonte: Campo Grande News

Compartilhe esta postagem nas redes sociais