A Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza-CE), Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, abre inscrições para o V Curso de Capacitação de Monitores em Pragas e Doenças do Cajueiro. O curso acontece nos dias 27 e 28 de julho, na Associação para o Desenvolvimento Sustentável, em Guanacés (CE) e tem como foco o programa de Produção Integrada de Caju (PIC).

De acordo com o chefe-adjunto de Comunicação e Negócios da Embrapa Agroindústria Tropical e coordenador do programa PIC no Brasil, Vitor Hugo de Oliveira, o curso é destinado a extensionistas, técnicos agrícolas e produtores vinculados ao agronegócio caju. O objetivo é apresentar conceitos básicos sobre a Produção Integrada de Frutas e o Regimento da Comissão Técnica da Produção Integrada de Caju. O treinamento terá informações sobre o caderno de campo e pós-colheita; identificação das principais pragas e doenças do cajueiro e conhecimento dos conceitos básicos sobre o Manejo Integrado de Pragas e dos principais agentes causadores de doenças.

O curso também prevê um dia de campo, que inclui prática de amostragem e nível de ação das principais pragas e dos principais patógenos do cajueiro, com orientações sobre o momento e a quantidade de aplicação de defensivos agrícolas permitidos para a cultura, visando a redução do seu uso, em benefício do meio ambiente e do consumidor.

A Embrapa Agroindústria Tropical iniciou a implantação da Produção Integrada de Caju em 2002. Um dos objetivos do PIC é otimizar o uso de adubos e diminuir o uso de agrotóxicos, para melhorar a qualidade final do produto, preservando o meio ambiente e a saúde do trabalhador rural e do consumidor. No caso do caju, por exemplo, o programa já está permitindo uma redução de 30% no uso de insenticidas. A PIC conta com a adesão quatro propriedades-piloto que estão em processo de adequação, nos Estados do Ceará e do Rio Grande do Norte, que já respondem por cerca de 500 toneladas de castanha, em mil hectares de área plantada.

Desde o início do programa, cerca de 150 pessoas já foram capacitadas. As inscrições são gratuitas, sendo que o deslocamento para o local do curso e as despesas com alimentação e hospedagem ficam por conta do treinando.

Informações

Telefones (85) 3299-1823 e 3299-1824
E-mail: eventos@cnpat.embrapa.br

O horário do curso é de 8h às 17h, com intervalo para almoço.

Fonte

Embrapa Agroindústria Tropical
Teresa Barroso – Jornalista
E-mail: teresa@cnpat.embrapa.br
Internet: www.cnpat.embrapa.br

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

O Dia de Campo na TV desta sexta-feira, dia 14 de julho, aborda a Produção de bananas em áreas alteradas. O programa vai ao ar das 9h às 10h da manhã (horário de Brasília), pelo Canal Rural e parabólica, com reapresentação no domingo, dia 16, às 8h, pelo Canal NBR/TV Nacional, numa produção da Embrapa Informação Tecnológica (Brasília-DF) e Embrapa Roraima (Boa Vista-RR), unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

O Dia de Campo na TV apresenta as tecnologias adequadas para condução de um cultivo de banana, seguindo as boas práticas recomendadas pela Embrapa, aproveitando áreas que foram anteriormente utilizadas para cultivos itinerantes.

A adoção de tratos culturais nos bananais melhora as condições das plantas, aumenta a vida útil do plantio e permite maior produtividade e melhoria na qualidade dos frutos. Apesar de todas estas vantagens, em muitos cultivos de bananais, especialmente na agricultura familiar, a Região Norte do Brasil não adota em larga escala as tecnologias disponíveis.

O programa mostra também as vantagens da utilização de mudas produzidas por micropropagação, além de oferecer orientações de como podem ser adquiridas. As mudas obtidas por micropropagação têm garantia fitossanitária, constituindo-se em uma alternativa para minimizar problemas com pragas, doenças e a disseminação de plantas daninhas de difícil erradicação.

Serão demonstradas as vantagens e as orientações para a correção e adubação do solo, manejo do bananal, irrigação e boas práticas para colheita e pós-colheita.

Com mudas micropropagadas e com a realização adequada das práticas culturais é possível assegurar uma produtividade de, no mínimo, 30% maior que na forma convencional.

O Dia de Campo na TV é interativo. As dúvidas do público sobre a tecnologia apresentada são esclarecidas, ao vivo, por especialistas, a partir de perguntas recebidas durante o programa, pelo novo telefone 0800 648 1140 (ligação gratuita), pelo fax (61) 3273-8949, ou ainda pelo endereço eletrônico diacampo@sct.embrapa.br.

Como sintonizar o programa

Antena parabólica doméstica (Banda L, Freqüência 1220 Mhz); Recepção multiaberta (Banda C, Transponder 6A2, Polarização Horizontal, Freqüência 3930 Mhz). Pelo Canal Rural ? NET, SKY e parabólica (Transponder 12A2, Polarização Horizontal, Freqüência 4171 Mhz).

Para aqueles que não puderem assistir ao programa, a Embrapa Informação Tecnológica disponibiliza cópias em vídeo que podem ser adquiridas pelos telefones: (61) 3340-9999 / 3448-4236, ou pela Livraria Virtual ? www.sct.embrapa.br/liv.

Fonte

Embrapa Informação Tecnológica
Jorge Macau – Jornalista
E-mail: diacampo@sct.embrapa.br
Internet: www.sct.embrapa.br

Embrapa Roraima
Síglia Regina Souza – Jornalista
E-mail: siglia@cpafrr.embrapa.br
Internet: www.cpafrr.embrapa.br

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

Em 15 anos, a produção nacional de leite passou de 11,1 bilhões de litros para 25,7 bilhões. Isto representa um crescimento de 131% entre os anos de 1980 e 2006, transformando o País, de tradicional importador, em exportador de lácteos. Estes números foram apresentados pelo presidente da Comissão Nacional de Pecuária de Leite (CNPL) da Confederação Nacional de Agricultura (CNA), Rodrigo Alvim, durante a reunião do Conselho Assessor Externo (CAE) da Embrapa Gado de Leite.

Para Alvim, nos próximos anos o Brasil terá que ampliar as exportações e o consumo interno de lácteos para atender a crescente oferta. A perspectivas para o mercado internacional são positivas para o Brasil. Nos países desenvolvidos, a produção está estacionada ou em declínio.

A expectativa do crescimento do consumo no mercado chinês irá movimentar ainda mais a cadeia produtiva de lácteos no mundo. O povo chinês, por tradição, consome pouco leite (menos de cinqüenta litros por ano, enquanto a Organização Mundial de Saúde recomenda algo em torno de 200 litros/ano).

O governo da China está incentivando o consumo de leite e derivados por parte da população. Num mercado com mais de um bilhão pessoas, qualquer aumento no consumo já é bastante significativa para os países exportadores.

Reunião do CAE

Durante a reunião foram também apresentadas experiências na área de monitoramento de custos na cadeia produtiva do leite. As experiências do Conseleite, no Paraná, e do Sistema de Monitoramento do Mercado de Leite e Derivados (Simleite) foram expostas aos pesquisadores da Embrapa.

A abertura da reunião aconteceu no dia 10, no Campo Experimental de Santa Mônica, em Valença (RJ). O segundo dia de trabalhos se deu na sede da Embrapa Gado de Leite, em Juiz de Fora (MG) e contou com a participação de pesquisadores e técnicos da Empresa.

O Comitê Assessor Externo foi criado pela Embrapa há sete anos. Ele reúne representantes de todos os elos da cadeia produtiva. ?Seu objetivo é tornar as ações de pesquisa mais transparentes e participativas?, diz o diretor da Embrapa Gado de Leite, Paulo do Carmo Martins. Para o diretor executivo da Embrapa, Kepler Euclides Filho, que abril a reunião, as interações com os diferentes segmentos da cadeia produtiva, aproximam a Embrapa da realidade do mercado, dando mais agilidade aos trabalhos da Empresa.

Fonte

Embrapa Gado de Leite
Rubens Neiva – Juiz de Fora
E-mail: neiva@cnpgl.embrapa.br
Internet: www.cnpgl.embrapa.br

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

O diretor e o gerente de marketing e comunicação da Epagri, respectivamente, Anselmo Benvindo Cadorin e Dorvalino Furtado Filho informam que o Encontro acontece de 12 a 14 de julho, no Centro de Treinamento da Epagri em Florianópolis.

A abertura do evento, às 13h30 do dia 12 de julho, será feita pelo presidente da Epagri, Athos de Almeida Lopes. Da programação fazem parte temas como a importância da comunicação rural, a nova linha editorial da Epagri, apresentação dos problemas do setor, dos objetivos a serem alcançados e, ainda, será feita uma proposta de avaliação e desempenho do quadro funcional da Epagri, entre muitos outros assuntos.

Alguns palestrantes convidados participam do encontro, além dos diretores, gerentes e técnicos da Epagri. No dia 12, por exemplo, o professor de marketing da Udesc, Ronaldo Canali fala sobre ?Comunicação e Marketing na Administração Pública?. No mesmo dia o professor de design da Udesc e coordenador do Grupo Gestor Estadual do Comunicater, Mauro Debonis, fala sobre as linhas gerais do programa Comunicater. Já no dia 14 de julho, o Secretário de Estado da Comunicação e Informação, Ricardo Fabris fala sobre ?Política Governamental de Comunicação?.

?O encontro é importante porque marca a inovação no marketing e comunicação rural, bem como implementa um novo sistema de gestão do setor na Epagri?, acredita Dorvalino.

Programação

12 de julho de 2006 (quarta-feira)

13h30min ? Abertura
Athos de Almeida Lopes ? presidente da Epagri

13h50min – Palestra
A importância da comunicação rural da Epagri
Anselmo Cadorin ? diretor de Marketing e Comunicação

14h15min ? Palestra
Comunicação e Marketing na Administração Pública
Ronaldo Canali ? professor de Marketing da Udesc

15h15min ? Intervalo

15h30min ? Palestra
Planejamento da Epagri e a Comunicação
Waldemar Hercílio de Freitas ? diretor de Planejamento da Epagri

16 horas ? Palestra
MDA/Comunicater : Linhas gerais do programa
Mauro Debonis ? professor de design da Udesc
Coordenador do Grupo Gestor Estadual do Comunicater

16h20min ? Palestra
Depoimentos em vídeo de formadores de opinião
Pedro Jungmann ? consultor da Epagri

16h40min ? Visita
Instalações da TV, Rádio e Gráfica da Epagri
Ângela Pinotti ? coordenadora do Setor de TV e Rádio

13 de julho de 2006 (quinta-feira)

8 horas ? Apresentação
Nova Política Editorial da Epagri
Roger Flesch e Paulo Simon ? Editoria técnica da GMC

8h45min ? Definição de linhas gerais para a comunicação:
Levantamento de problemas
Geraldo Buogo ? Epagri/Cepa

9h45min ? Intervalo

10 horas ? Formação da ?Árvore de Problemas?
Dorvalino Furtado Filho
Gerente Estadual de Marketing e Comunicação da Epagri

12 horas ? Almoço

13h30min ? Formação da ?Árvore de Objetivos?
Anselmo Cadorin
Diretor de Marketing e Comunicação

15 horas ? Intervalo

15h15min ? Elaboração de linhas gerais
Anselmo Cadorin e Geraldo Buogo

17 horas ? Assuntos gerais
Dorvalino Furtado Filho e Márcia Sampaio (assessora de imprensa)

14 de julho de 2006 (sexta-feira)

8 horas ? Apresentação
Proposta de avaliação e desempenho do quadro funcional da Epagri
Glauco Olinger ? consultor da Epagri

8h30min ? Palestra
A inteligência da comunicação na Rádio e na TV da Epagri
Ângela Pinotti e Celívio Holz
Setor de vídeo da Epagri

9h30min ? Política governamental de comunicação
Ricardo Fabris
Secretário de Estado da Comunicação e Informação

10h15min ? Intervalo

10h30min ? Planejamento Orçamentário/Financeiro e a Comunicação na Epagri
Nazareno Angulski
Gerente Estadual de Administração e Finanças da Epagri

11h30min ? Integração Epagri e agroindústrias de conservas
Indústria Duas Rodas ? Jaraguá do Sul e
Indústria Hemmer – Blumenau

Fonte

Epagri – SC
Márcia C. Sampaio – Jornalista
E-mail: marcias@epagri.rct-sc.br
Internet: www.epagri.rct-sc.br

Compartilhe esta postagem nas redes sociais