O Sebrae no Paraná, que realiza trabalho de estímulo da agricultura orgânica para fomentar novos negócios, emprego e renda nas pequenas propriedades rurais – com ênfase na agricultura familiar – realiza um evento inédito. É o Salão de Produtos Orgânicos, que acontece de 3 a 5 de dezembro, no Centro de Convenções e Eventos de Cascavel, no Oeste do Estado, um dos principais pólos da produção orgânica paranaense.
O Salão, que deve reunir alguns dos mais importantes especialistas da área em palestras e workshops, foi idealizado para mostrar a importância do sistema orgânico para a recuperação da viabilidade econômica das pequenas propriedades rurais. Outra justificativa do evento é o maior esclarecimento público sobre os conceitos da agricultura orgânica, visando, principalmente, desmistificar o sistema agrícola, “que é economicamente viável, ecologicamente correto e socialmente responsável”, conforme ressalta o consultor do Sebrae/PR, Renato Silveira, coordenador do Salão de Produtos Orgânicos.
Durante o evento serão realizados dois encontros de negócios, diversos cursos de culinária orgânica e workshops sobre logística, participação dos orgânicos nas compras públicas, alternativas de comercialização, além de um “salãozinho orgânico”, visando a educação ambiental das crianças da rede escolar, além da mostra de casos de sucesso e produtos do Paraná e de outros estados brasileiros.
O evento terá ainda uma cozinha que servirá refeições à base de produtos orgânicos e ainda quiosques institucionais sobre o café, cachaça, chimarrão e até artesanato e produtos industriais – tudo orgânico.
Mais informações e inscrições pelo e-mail salaoorganico@pr.sebrae.com.br, ou pelos telefones (45) 321-7050, com Renato As informações são do site: www.sebrae.com.br.  

Fonte: Panorama Brasil

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

A Fort Dodge Saúde Animal (www.fortdodge.com.br), como parte de sua política de investir na formação técnica de profissionais ligados à suinocultura, acaba de lançar dois novos canais de comunicação que vão intensificar o acesso aos estudos e pesquisas mais recentes nesse segmento. O primeiro deles é o Pigfort, informativo trimestral que leva assuntos relativos ao setor como Sanidade Animal, levantamentos, avaliações científicas, entre outros temas relevantes a suinocultores, estudiosos, pesquisadores e técnicos do setor. “Criamos o Pigfort, que é uma ferramenta para incrementarmos o acesso de interessados a dados importantes da suinocultura e intensificarmos nossa presença junto a esse público. Já nesta primeira edição apresentamos resultados significativos de um teste de imunização contra a Doença de Glässer feito pelo nosso departamento técnico”, considera o médico-veterinário Renato Verdi, gerente de produtos da Fort Dodge para a linha Aves e Suínos.

A outra novidade é o lançamento do site Suinocultura em Foco (www.suinoculturaemfoco.com.br), versão eletrônica da revista com o mesmo nome, especializada em pesquisas com tiragem média de sete mil exemplares. Produzida numa parceria entre a Fort Dodge e o Setor de Suínos da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (FaVet-UFRGS), a revista é distribuída gratuitamente a produtores, empresários, técnicos, pesquisadores, entidade oficiais e privadas do segmento. Sua nova versão eletrônica vai permitir, não só facilitar o acesso de interessados, como permitir a consulta às edições anteriores, já que a revista está em seu 12º número. Tanto a assinatura da versão eletrônica quanto da impressa são inteiramente gratuitas.

“A iniciativa é de extrema importância para incrementar o acesso às informações que disponibilizamos. Como trabalhamos textos científicos escritos numa linguagem simples e tratando o assunto com profundidade, muitos profissionais de granjas deslocadas dos grandes centros vinham solicitando o acesso remoto aos textos da revista para consulta”, considera o editor da revista, Prof. Dr. David Barcellos, professor dos cursos de graduação e pós-graduação da FaVet-UFRGS.

Silvia Alves
silvia@contatocom.com.br
Fonte
ContatoCom
http://www.contatocom.com.br

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

A programação de leilões da 1ª Expoinel MS (Exposição Internacional do Nelore de Mato Grosso do Sul), que será realizada de 15 a 21 de novembro, no Parque de Exposições Laucídio Coelho pela ASCN (Associação Sul-mato-grossense dos Criadores de Nelore), prevê sete remates com o melhor da raça Nelore. Junto com os leilões de corte, os sete remates devem comercializar cerca de cinco mil animais.
Participando dos julgamentos estão previstos cerca de mil bovinos no Parque. Reforçando o caráter técnico do evento, serão realizadas palestras e cursos de doma, de julgamento, curso de casqueamento e Procan.
Mato Grosso do Sul é maior produtor de carne e detentor da maior pecuária do País. A Exposição vem para preencher uma lacuna que essa condição criou. “Tudo que está relacionado ao nelore é superlativo em nosso Estado”, diz o presidente da ASCN, Ulysses Serra Neto, o Noninho. A raça zebuína, de origem indiana, representa mais de 90% do rebanho estadual, que segundo a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) se aproxima de 25 milhões de cabeças. Vanguardista no melhoramento de seus animais, tendo a Embrapa Gado de Corte em sua Capital, o Mato Grosso do Sul está em pé de igualdade com os grandes centros comercializadores e uma das metas da Expoinel MS é justamente encurtar a distância de preços pagos por animais de elite em relação a outras praças, como Uberaba (MG), por exemplo.
No dia 16 de novembro a partir das 20 horas o tatersal de elite da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) será palco do Leilão Nelore Elite Jeroá, que promete levar animais de alto padrão genético à pista. Serão ao todo 35 lotes, dos quais 14 da Estância Jeroá e os outros de convidados que vão participar do evento. Estão sendo selecionadas fêmeas, bezerras e novilhas, com boa caracterização e genealogia.
O proprietário da Estância Jeroá, Levy Dias, afirma que a proposta do certame é de estimular a continuidade do melhoramento genético. “É uma idéia brilhante realizar em Campo Grande a 1º Expoinel de Mato Grosso do Sul, considerando a importância da raça Nelore para o Brasil. Contamos com a participação de todos os produtores rurais para cumprirmos a expectativa de fazer uma feira de nível nacional”, afirma.
Fêmeas de 6 a 24 meses serão as estrelas da noite de 17 de novembro durante o Leilão Firmasa e Convidados, que será realizado no tatersal de elite da Acrissul, também na programação da Expoinel MS. A Firmasa está selecionando para o remate 10 animais tops de linha, todos produtos de TE (Transferência de Embriões) e com acasalamento comprovado. Esses animais foram selecionados de um grupo das 50 melhores do plantel da Firmasa, trabalho desenvolvido pela Avant consultoria. Com base no perfil desses lotes, estão escolhidos os animais dos convidados, que devem totalizar mais 20 animais, um para cada.
A Firmasa desenvolve um apurado trabalho de seleção, tendo 95% de seus animais produtos de TE, todas de doadoras comprovadas. Dentre as fêmeas que vai ofertar na noite de 17 de novembro, um destaque especial vai para a Biba TE da Firma, reservada na Progênie da Expoinel de Uberaba (MG) e que é filha do Bitelo da SS. Ela vai com prenhez confirmada e como outras, logo depois de disputar em pista. Todas as fêmeas a partir de 18 anos já serão entregues ao comprador prenhes. Dentre os participantes do evento, estão o pecuarista Levy Dias, da Fazenda Jeroá e Cícero de Souza, ambos também responsáveis por leilões de elite ao longo da Expoinel.
O médico veterinário responsável da Firmasa, Luís Carlos Nasser, afirma que o mercado está aquecido para animais de genética e ressalta que a realização da Expoinel em Campo Grande é acertada devido à qualidade do rebanho de Mato Grosso do Sul, que considera das melhores do País. “Hoje com a biotecnologia, que é o que utilizamos FIV (Fertilização in Vitro) e TE, ficou mais fácil termos acesso a boa genética que antes era restringida aos grandes criadores de grandes centros. Nossa qualidade é a mesma. Também consideramos o período bastante pertinente porque até lá já começou estação de monta”, avalia.
No dia 19 de novembro é a vez do Leilão Cícero de Souza e Convidados Especiais – Fêmeas 2004 – que será realizado no Parque de Exposições Laucídio Coelho, em Campo Grande (MS).
No remate serão 37 lotes, sendo 10 com animais do Cícero de Souza e os outros 27 de convidados vindos de São Paulo, Minas Gerais e daqui de Mato Grosso do Sul. Haverá baterias de vacas e de novilhas nelores. Segundo Carlos Sanchez, médico-veterinário proprietário da empresa Realiza Comunicação Rural, contratada para coordenar os eventos da Expoinel MS, todos os animais foram vistoriados por uma assessoria técnica particular e possuem um altíssimo nível de qualidade.
Sanchez acredita este evento mudará a realidade de Mato Grosso do Sul e eliminará o degrau na relação qualidade, genética e preço em relação à Exposição Internacional do Nelore (Expoinel), em sua edição nacional – evento promovido pela Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB) em parceria com a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) – realizada anualmente em Uberaba. “Com Mato Grosso do Sul conquistando esse espaço, ninguém segura o Estado”, garante ele.
O pecuarista Cláudio Fernando Garcia de Souza, o Cláudio Totó e seus 32 convidados estarão no Leilão do Totó, na noite de 21 de novembro, com 50 lotes rigorosamente selecionados pela SAP Assessoria. “Vamos estar ofertando animais de muita qualidade e também prenhezes muito importantes”, convida. Serão 50 lotes ao todo, sempre de animais de bastante categoria. Os convidados são criadores de Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná, tradicionais participantes dos principais leilões do País.
Na avaliação de Cláudio Totó, a realização da Expoinel será uma prova de que Mato Grosso do Sul vem acompanhando o resto do Pais e que está no páreo com os principais centros criadores de bovinos em relação à qualidade de seu plantel. Pecuarista e selecionador há 43 anos, Cláudio Totó lembra que o Estado foi um dos pioneiros na criação de nelores de ponta, desde a década de 40. “Antes da atuação da USP, ABCZ e Embrapa no melhoramento dos animais, que começou na década de 80, a seleção era respaldada pelo bom senso do criador”, conta Totó.
Programação dos Leilões:

15/11/2004 – Exposhop Genetron
16/11/2004 – Leilão Nelore Elite Jeroá
17/11/2004 – Leilão Especial Firmasa e amp; Convidados
18/11/2004 – Leilão Prenhezes Novo Horizonte e Convidados
19/11/2004 – Leilão Cícero de Souza e Convidados Especiais
20/11/2004 – Leilão Ventre Neloporã 2004
William Parron
parron@contatocom.com.br
Fonte
ContatoCom
http://www.contatocom.com.br

Compartilhe esta postagem nas redes sociais

A governadora Rosinha Garotinho lançou, em 22 de outubro, a pedra fundamental de uma biofábrica e um centro tecnológico que serão construídos na Escola Estadual de Agricultura Antônio Sarlo, no município de Campos. Os empreendimentos vão impulsionar o desenvolvimento dos agronegócios na região. Com investimentos de R$ 1,6 milhões, vindos da FAPERJ, Fenorte, Tecnorte e Finep, a biofábrica produzirá inicialmente 200 mil mudas por mês de abacaxi, banana, goiaba, mamão e cana-de-açúcar, que serão destinadas, em sua maioria, ao Programa Frutificar, do governo do estado.
A biofábrica é o resultado de um acordo de cooperação tecnológica do governo do estado com o governo de Cuba. O anúncio oficial da construção da Biofábrica foi feito por Rosinha durante a realização de um painel de desenvolvimento econômico das regiões Norte e Noroeste do estado. Ela lembrou que a obra busca a produção de mudas, a implantação de um pólo de fruticultura e o desenvolvimento da atividade canavieira na região.
Já o centro tecnológico, que incluirá uma incubadora de empresas, terá investimentos de R$ 2,1 milhões, vindos da FAPERJ, Petrobrás e do Programa de Expansão da Educação Profissional (Proep). Os recursos serão investidos na compra de equipamentos, trator, implementos agrícolas e na reforma e adequação da Escola Agrícola Antônio Sarlo.
Na biofábrica serão produzidas mudas de planta em gel líquido nutritivo, dentro de frascos de vidro esterilizados. Em seguida, uma parte do tecido da planta será cortada e irá receber nutrientes para que uma nova planta se desenvolva. As plantas cultivadas dentro dos frascos irão para câmaras de crescimento, onde serão expostas à luz solar. Estas mudas ficam mais resistentes ao transporte e seu custo de produção é reduzido.
Programa Frutificar gera 20 mil postos de trabalho
O Programa Frutificar foi criado no ano de 2000 pelo governo do estado em parceria com a Firjan e é responsável pela geração de cerca de 20 mil postos de trabalho diretos e indiretos. O programa oferece crédito rural de 2% de juros ao ano, com prazo de oito anos para pagamento, sem aval ou hipoteca para pequenos trabalhadores rurais e garantia de compra na colheita por parte do estado.
O objetivo do programa é possibilitar que os pequenos agricultores da região Norte-Noroeste fluminense tenham acesso a novas variedades e modernas tecnologias, através de crédito para financiamento de projetos de fruticultura irrigada, como plantações de abacaxi, maracujá, goiaba e coco.
Com esta iniciativa, em 2003, pela primeira vez na história, a Ceasa-RJ vendeu mais hortifrutigranjeiros produzidos no Estado do Rio de Janeiro do que em São Paulo e Minas Gerais. A produção local respondeu por 30% dos negócios, à frente de São Paulo (23%) e Minas (18%). Além disso, com a implantação do Frutificar, as cifras de crédito rural por parte do Governo do Estado do Rio de Janeiro pularam de R$ 17 milhões no biênio 98-99 (antes da implantação do Frutificar) para R$ 70 milhões no biênio 2003-2004, quando o projeto já havia sido implementado.

Fonte: Boletim da Faperj

Compartilhe esta postagem nas redes sociais